Patagônia 2009, o início de tudo

Rumo ao Chile....

Índice das Postagens da Viagem

O início – União da Vitória – Rosário – Villa Mercedes – Andes – Land Rover – Vulcões – Rainhas – Bariloche – Esquel – Puerto Madryn – Península Valdez – Rio Colorado – Casapueblo – Enfim, Brasil! – Enfim, em casa! – Folegatti – Betão – Geraldo

Deveria ser um sábado como tantos outros, passeávamos de motocicleta. Todavia, durante o almoço concitei meu Irmão Harleiro PHD Betão para que fizéssemos uma nova viagem até o Chile, por roteiro diferente. Sentido mais ao Sul.  Naquele mesmo instante, nosso Irmão Betão, convidou o nosso Irmão Harleiro PHD Folegatti para a referida façanha, sem que soubéssemos ao certo o que faríamos.

A idéia

Naquela ocasião foi dado o início do que agora estamos prestes a concretizar, uma viagem à Patagônia.  No ano anterior (2008) estivemos em Viña del Mar e Santiago de Chile. Com isso tínhamos atravessado o continente. Do Atlântico ao Pacífico. Mas, desta vez queríamos muito mais. Pretendíamos descer a cordilheira Chilena até o sul.

A semente estava plantada. Os dias foram transcorrendo calmamente, o projeto foi tomando a sua forma.  Foi aí que o nosso irmão Harleiro Zoom veio integrar o grupo. A essa altura éramos quatro Irmãos, eu (PHD Cabanas), PHD Betão, PHD Folegatti e o Zoom, todos acompanhados das nossas Rainhas: Solange, Marli, Gláucia e Luciana.

O planejamento

Bem, a partir daí, muitas conversas foram trocadas, como havia tempo significativo contávamos os meses.  Logo passamos a contar as semanas, os dias e em breve as horas e os minutos.  É uma estranha sensação, na medida em que o tempo ia se esgotando, na proporção inversa, a nossa adrenalina ia aumentando. O sangue ferve nas veias, a pulsação aumenta, e com isso a ansiedade de estar na estrada montado nas nossas princesas trazendo na garupa as nossas Rainhas. A brisa tocando os nossos rostos, o ronco do motor como melodia aos nossos ouvidos e o asfalto passando sob os nossos olhos. No horizonte, o futuro se aproximando.  No retrovisor o passado, deixando para trás o percurso já percorrido.

Fizemos reuniões para traçar estratégias, na qual pudemos constatar a euforia dos que participariam da Expedição à Patagônia, oportunidade em que pudemos, infelizmente, constatar a desolação nos olhos daqueles que por algum motivo gostariam de nos acompanhar, mas, não poderiam participar da aventura.  A última reunião transcorrera num clima misto de euforia e ansiedade, uma vez que ao mesmo tempo em que faltavam apenas seis dias para iniciarmos a viagem seriam seis dias intermináveis, que passariam mais lentamente do que gostaríamos.  Logo passamos a contar as horas e os minutos para que a nossa jornada de 26 dias de estrada se iniciasse. O trajeto promete, com locais e vistas deslumbrantes. Enfim, estávamos prontos para transformar o nosso sonho em realidade.

A quinta-feira, véspera da nossa viagem, amanheceu chovendo. Durante o dia e à noite os nossos Irmãos que não estariam conosco nos desejaram uma boa viagem.  Nem mesmo o mal tempo que assolou o sul do País arrefeceu os nossos ânimos.

A partida

Enfim, na data aprazada estávamos prontos.  Hoje, o dia amanheceu radiante, prometendo muito sol.  As malas já estão devidamente acomodadas, pilotos e as Rainhas devidamente paramentados, as princesas com os motores rugindo, produzindo uma maravilhosa melodia aos nossos ouvidos, propiciando enorme prazer e sensação de bem-estar.  Agora temos de partir. Já é hora transformar os nossos sonhos em realidade.  Sonhar é viver. Viver é concretizar os nossos sonhos em realidade, para que fique indelevelmente registrada em nossas memórias, a maravilhosa experiência vivida.  Gostaria de continuar escrevendo para melhor detalhar a expediência a ser efetivada, mas, o dever nos chama. Quero dizer: o prazer de pilotar as nossas princesas pelas estradas da Patagônia nos chama!
______________________________________________________________________________
Texto: PHD Cabanas (Geraldo)

(Visitado 60 vezes, 1 visitas hoje)

There are 4 comments

  1. Celso

    Consegui o blog somente agora, mas nunca é tarde, Geraldo e Solange me conhecem, embora eu conheça alguns de vcs, a viagem fica mais emocionante com chuva, neve etc., vcs estão de parabéns harleiros, b. viagem e que Deus acompanhe.

    Abs

    Celso PHD – Itu

Postar sua mensagem