II South America International HOG Rally Foz do Iguaçu – Abril 2004

O II International HOG Rally Foz do Iguaçu foi realizado no Hotel Resort Mabu, onde foram concentradas todas as atividades do evento: receptivo, atividades de suporte ao Rally de Regularidade, Hospitality Center, Espaço Kids, Cocktail, almoço com churrasco, Show com Banda de Rock e Jantar com Festa de Premiação do Rally.

Os participantes aproveitaram para visitar as atrações da região tais como visita para compras no Paraguai e no Cassino na Argentina.

A foto oficial foi no Parque das Cataratas e na Usina de Itaipu para onde todos foram com suas motos após um desfile pelas vias da cidade.

Foto Oficial do HOG Rally no Parque das Cataratas

Foto Oficial do HOG Rally na Usina de Itaipu

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

VI National HOG Rally Bonito – Maio 2003

O VI National HOG Rally em Bonito foi realizado no Eco Resort Zagaia, onde foram concentradas todas as atividades do evento: receptivo, Hospitality Center, Espaço Kids, Cocktail, Rally Especial, Show com Banda de Rock e Jantar com Festa de Premiação.

Bonito é um pólo de prática de ecoturismo com fama mundial, suas principais atrações são as paisagens naturais, os mergulhos em rios de águas transparentes, cachoeiras, grutas e cavernas. Atualmente o turismo ecológico, como principal atividade da região, reune um conjunto de equipes, empresas, ONGs e órgãos governamentais que organizam e coordenam as atividades turísticas visando sempre a sustentabilidade local e a conservação da natureza.

Os participantes do HOG Rally puderam visitar as inúmeras atrações de Bonito tal como flutuação nos rios da região, visitas a cavernas e trilhas pela mata. No intervalos dos passeios os integrantes aproveitaram a  excelente infraestrautura de lazer do Ecoresort Zagaia.  A foto oficial foi em frente no Eco Resort Zagaia e no salão de festa do hotel.

Foto Oficial do HOG Rally em Bonito

Foto Oficial do HOG Rally em Bonito

As agências da cidade organizam diversos passeios como o mergulho de superfície ou flutuação, rapel e passeios a pé e a cavalo:

  • Gruta do Lago Azul – gruta com um lago de águas azuis no fundo, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em quatro classes: etnográfica, paisagística e arqueológica.
  • Rio Sucuri – flutuação com roupa de neoprene em rio cristalino com forte correnteza e fauna exuberante de peixes.
  • Rio da Prata – flutuação com roupa de neoprene em rio de águas cristalinas e com fauna variada e uma bela cachoeira.
  • Gruta de São Miguel – visita a caverna com guia
  • Abismo Anhumas – caverna com acesso apenas com rapel e também possui um lago para mergulho e snorkeling.
  • Lagoa Misteriosa – situada no município de Jardim, a 42 km de Bonito, dolina de cerca de setenta metros de profundidade com uma impressionante lagoa de águas azuis. A visibilidade da água passa de 40 metros e sua profundidade  ultrapassa os 220 metros. As suas águas vem de fontes subterrâneas com leve correnteza.
  • Estância Mimosa – passeio com trilha na mata ciliar do Rio Mimoso e banho em sete cachoeiras de águas cristalinas, ao final é servido um almoço típico de fazenda preparado em fogão a lenha.
  • Rio do Peixe – passeio por trilha na mata ciliar do Rio do Peixe  e banho em diversas cachoeiras, no final é servido um almoço típico preparado em fogão a lenha.

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

 

HOG On The Beach Florianópolis – Dezembro 2002

O II HOG On The Beach em Florianópolis foi realizado no Hotel Jurerê Beach Village, onde foram concentradas todas as atividades do evento: receptivo, atividades do Rally de Regularidade, Hospitality Center, Espaço Kids, Cocktail, Show com Banda de Rock e Jantar com Festa de Premiação do Rally.

Os participante aproveitaram os intervalos entre as atividades programadas para aproveitar o sol na praia de Jurerê e também passear de moto pelas inúmeras praias da ilha:

  • Praias do Leste – Barra da Lagoa, Joaquina, Mole, Galheta e Moçambique.
  • Praias do Norte – Canasvieiras, dos Ingleses, Cachoeira do Bom Jesus, Cacupé, Jurerê, Praia Brava, Ponta das Canas, Santinho, Daniela, Praia do Forte, Santo Antônio de Lisboa, Lagoinha e Sambaqui.
  • Praias do Sul – Campeche, Ribeirão da Ilha, Armação, Matadeiro, Morro das Pedras, Açores, Pântano do Sul, Solidão e Naufragados.

A Foto Oficial foi feita com o grupo nas areias de bela praia de Jurerê em frente do Hotel.

Foto Oficial do HOG On The Beach Florianópolis Dezembro 2002

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

 

I Independence HOG Rally Araxá – Setembro 2002

O I Independece HOG Rally foi sediado no magnífico Grande Hotel de Araxá que fica no Complexo do Barreiro a 5 km da cidade de Araxá. As motos dos participantes ficaram estacionadas em frente do Hotel proporcionando uma bela imagem de contraste entre o imponência do prédio na cor terracota com os reluzentes cromados das motocicletas Harley Davidson. Foram programadas diversas atividades como o receptivo e o Show do Grupo NEP (Não Estamos de Plantão), um excelente grupo musical formado por médicos (alguns são integrantes do HOG). O final  do Rally de Regularidade foi na cidade de Sacramento onde os integrantes do evento almoçaram em um restaurante junto a uma bela gruta com cachoeira.

Vista aérea do Complexo do Barreiro

A palavra “Araxá” significa terreno elevado e plano, planalto, chapadão, região mais elevada e “Araxás” era o nome dos índios que viviam na região. Em 1766 Inácio Correia Pamplona exterminou a tribo de índios Araxás. O primeiro povoado da região foi Desemboque, atual distrito da cidade de Sacramento, para onde os moradores foram atraídos pela exploração do ouro. Posteriormente, com a decadência da mineração, a região se desenvolveu como produtora de gado.

Ana Jacinta de São José, a famosa Dona Beja, viveu e tem seu nome vinculado aos principais acontecimentos de Araxá na primeira metade do século XIX. Em 1831 o povoado foi elevado à categoria de Vila e em 19 de dezembro de 1865 a vila foi elevada à categoria de cidade.

Araxá tem na sua formação geológica riquezas minerais como as águas sulfurosas e radioativas, o nióbio e a apatita. Na Bacia do Barreiro, viveram mamíferos pré-históricos há milhares de anos.  Com todo esse legado natural e cultural Araxá é hoje, uma cidade turística e o valor das suas águas e da lama termal a fez tornar-se uma famosa estância hidromineral.

Foto Oficial em frente ao Grande Hotel Araxá

Todos os integrantes do HOG Rally puderam curtir o requinte do Hotel e das Termas de Araxá, beber das águas minerais das fontes radiativas e caminhar pelo belíssimo bosque que circunda o lago com espetacular vista do Hotel. Entre as diversas atrações turísticas destacamos:

  • Grande Hotel de Araxá – inaugurado em 1944,  o complexo do Grande Hotel abriu uma nova era de esplendor para Araxá e todo o interior mineiro, sendo palco de grandes acontecimentos sociais, políticos e culturais. O Grande Hotel de Araxá se impõe pela magnitude de seu conjunto arquitetônico. Projetado por Luiz Signorelli, sob influência do estilo missões, tem aproximadamente 43.000 m² de área construída. Possui imponentes salões, revestidos em mármore de Carrara, decorados por rico mobiliário, lustres de cristais da Boêmia, janelas com cristais franceses bisotados, obras de arte em afresco e vitrais. Seus apartamentos, recentemente reformados e modernizados, têm capacidade para atender cerca de 800 hóspedes. Ainda preserva, no segundo andar, as suítes governamental e presidencial. É tombado pelo Patrimônio Histórico, com móveis e decoração da época de sua inauguração.
  • Termas de Araxá – a grandeza e esplendor das edificações do Barreiro se repetem nessa casa de banhos, spa e tratamento de beleza. São nada menos que 16 mil m² de bom gosto primoroso e refinado acabamento. As Termas de Araxá estão ligadas ao Grande Hotel por uma galeria suspensa decorada com afrescos de paisagens dos principais pontos turísticos de Minas Gerais. Sua entrada principal é surpreendente e no seu “foyer” encontra-se uma rotunda em vitrais multicoloridos que narra trechos épicos da história de Minas Gerais e filtra a luz natural que ali penetra se refletindo na enorme mandala do piso.
  • Fonte Andrade Júnior – em frente ao Grande Hotel, o prédio da fonte é constituído por um pavilhão situado em uma pequena península no lago de água de Lama Sulfurosa. Possui quatro bebedouros que escoam águas mineralizadas, carbonatada, sulfatada, radioativa e alcalina, indicadas para casos de diabetes, gota, obesidade, desvio de metabolismo, hepatite, males dos rins, estômago, fígado e problemas de pele. Junto à fonte estão expostos fósseis de animais pré-históricos encontrados no local durante o período de construção do Grande Hotel e Termas de Araxá.
  • Fonte Dona Beja – fica do outro lado do lago, oposto ao Grande Hotel. Entre pedras vulcânicas, em uma gruta estilizada em forma de emanatório, brota a água mineral, bicarbonada cálcia magnesiana e radioativa, cujas propriedades ativam o metabolismo e estimulam a assimilação diurética, atuando com desintoxicante e agente hipotensivo. Uma bela paisagem do lago com o Hotel ao fundo pode ser apreciada de seus mirantes.
  • Museu Dona Beja – o museu retrata a história de Araxá e suas tradições culturais, através de seus ciclos econômicos: a pecuária, o turismo e a mineração. Batizado em homenagem a figura mitológica de Ana Jacinta de São José, fica localizado em um sobrado do século XIX, onde Dona Beja teria residido, recebendo personalidades para seus famosos saraus e reuniões de cunho político.

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

V National HOG Rally Gramado – Maio 2002

O V National HOG Rally em Gramado foi realizado no Hotel Lage de Pedra, onde foram concentradas todas as atividades do evento: receptivo, atividades do Rally de Regularidade, Hospitality Center, Cocktail, Show Anos 70 e Jantar com Festa de Premiação do Rally.

A foto oficial foi no belo mirante em frente ao Hotel. Os participantes do HOG Rally puderam conferir as belezas da região serrana no trajeto de cerca de 150 km do Rally de Regularidade. Outro ponto de destaque para alguns participantes foi o excelente comércio de Gramado e Canela que oferece variadas opções de  produtos fabricados na região.

Foto Oficial do HOG Rally Gramado Maio 2002

A região da Serra Gaúcha é famosa pelas suas atrações turísticas. Entre as atividades oficiais do evento foram programados diversos passeios de moto pelas principais atrações da região serrana, entre as quais:

    • Cascata do Caracol – fica dentro do Parque Caracol, tendo uma queda livre de 131 metros. Ela é formada pelo arroio Caracol cujo leito percorre uma formação basáltica, até despencar do topo, formando nos dias ensolarados um imenso arco-íris. Dentre as várias atrações do parque, há uma escada ecológica de 927 degraus que conduz os visitantes mais aventureiros à base da cascata. O parque conta ainda com um mirante, que fica a mais de 150 metros da base da cascata, proporcionando uma belíssima vista da paisagem.

Cascata Caracol

    • Castelinho Caracol – situa-se no caminho para a Cascata Caracol. Construído em  arquitetura enxaimel,  foi erguido em 1913, utilizando apenas madeiras encaixadas – não há pregos na obra. Atualmente funciona como museu onde pode ser visto a mobília, os utensílios e as ferramentas dos antigos moradores de origem alemã. O Castelinho oferece ainda uma loja de artesanato e uma casa de chá onde é servido o mais famoso apfelstrudel da região, preparado em um fogão a lenha de mais de 90 anos.
    • Parque da Ferradura –  fica à direita na entrada do Parque do Caracol via  uma estrada de terra a uns 6 km de distância. No parque os visitantes praticam caminhadas e trekking até o interior do vale. São 450m de desnível do alto dos mirantes até o interior do vale onde fica o leito do Rio Caí.

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

I HOG On The Beach Angra dos Reis – Dezembro 2001

O I HOG On The Beach em Angra dos Reis foi realizado no sofisticado Resort Blue Tree Park, onde foram concentradas todas as atividades do evento: receptivo, passeio de escuna pela baía de Angra, Hospitality Center, Cocktail, Show com música eletrônica e Jantar com Leilão Beneficente .

O Resort Blue Tree Park fica em uma pequena baía com uma encosta de mata intocada e com uma aconchegante praia exclusiva para os hospedes do hotel. Os participantes do evento aproveitaram o excelente parque aquático e as variadas atividades náuticas disponíveis no hotel.

Foto Oficial do HOG On The Beach Angra dos Reis – Dezembro de 2001

Hotel Resort Blue Tree Park Angra dos Reis

O passeio de escuna saiu do pequeno ancoradouro no canto da praia do hotel e levou os participantes do evento para conhecerem as maravilhas da baia de Angra dos Reias. São 365 ilhas e mais de 2000 praias, algumas famosas e conhecidas outras não tão conhecidas mas não menos encantadoras: Ilha de São João, Ilha da Gipóia, Ilha de Paquetá, Ilha Botinas, Ilha Ponta Leste, Ilha Itanhangá, Ilha Cataguazes, Ilha Grande, Ilha dos Porcos, etc.

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

França: Vale do Loire, Bretanha e Normandia

Londres e o Big Brn

Londres

Desta vez não reservamos muito tempo para Londres, visto que já tínhamos visitado a maioria dos lugares de interesse turístico da cidade em nossas viagens anteriores.

Nosso objetivo era fazer o interior da Bélgica e da França em um carro alugado em Calais, França. O  trajeto planejado nos mínimos detalhes previa apenas pequenas estradas que ligavam pequenos lugarejos, grande parte com castelos ou ruínas de castelos. Sabíamos que passaríamos por paisagens de uma beleza inimaginável…

Os pequenos lugarejos, ou pequenos aglomerados de casas de pedra, inseridos nos vales do interior da França seria uma viagem ao passado!

Bruges na Bélgica

Após atravessarmos o canal da Mancha, alugamos um carro em Calais e rumamos para Bruges na Bélgica. O lugar é de um charme incrível, com inúmeros canais e paisagens bucólicas. Bruges é uma cidade turística que vale a pena ser visitada e onde se deve passar pelo menos uma noite. Aproveite para passear pelas ruas e canais tanto durante o dia como à noite pois com a diferença de luminosidade e as luzes noturnas tudo fica maravilhoso.

Bruges

Bruges

Gent na Bélgica

Gent na Bélgica

Saímos de Bruges rumo a cidade de Gent, ainda na Bélgica, uma cidade maior mais muito charmosa. A cidade também é cortada por charmosos canais, um excelente centro comercial e uma variada rede de restaurantes.

Visitando os Jardins de Monet

Rumamos para a pequena cidade de Venom na França onde fica a pequena Giverny com os famosos  jardins que inspiraram o pintor Claude Monet em grande parte dos seus quadros. Em Giverny também fica a casa onde morou Monet de 1883 à 1926, onde pode ser vista a coleção de estampas japonesas.

Jardins de Monet em Giverny

Jardins de Monet em Giverny

O ponto alto é a visita aos jardins que inspiraram o mestre do impressionismo francês. O passeio pelos jardins é fascinante, você se sente dentro dos quadros do pintor e dá para sentir o que inspirou tanto Monet.

Aproveite e também faça um passeio pelo centrinho de Giverny visitando uma das inúmeras casas de chá.

O Vale do Loire

Saímos de Venom e fomos para Orleans, a cidade fica no início do Vale do Loire no começo da região  onde ficam os famosos Castelos. A cidade de Orleans também é  conhecida por ser o berço da heroína francesa Joana D´Arc. A cidade tem inúmeros monumentos e igrejas que devem ser visitados.

mapa-vale-loire

Mapa do Val do Loire

Saímos pelo Vale do Loire em direção a Tours, passando por Blois e por inúmeros Castelos. Os Castelos desta região são da época e renascentista, e retratam  a riqueza dos nobres da época e como eram suntuosas as suas moradias.

Além de Orleans, outras cidades do Vale do Loire são Montargis, Joué-les-Tours, Dreux, Amboise, Blois, Tours, Saumur, Bourges, Chateauroux e Chenonceaux.

Na região existem inúmeros castelos entre os quais o Castelo de Amboise, Castelo de Azay-le-Rideau, Castelo de Blois, Castelo de Chambord, Castelo de Chenonceaux, Castelo de Cheverny, Castelo de Fougères-sur-Bièvre, Castelo de Langeais, Castelo de Ussé, Castelo de Loches, Castelo de Troussay, Castelo de Villandry, Castelo de Brissac,  Castelo Le Rivau, Castelo de Villesavin, Castelo de Menars, Castelo de Talcy e Castelo de Valençay.

Orleans no Vale do Loire

 

Cidade de Saumur

Sabíamos que no tempo que tínhamos seria impossível visitar todos os castelos do Vale do Loire.

Portanto,  selecionamos alguns para visitarmos internamente e externamente, e outros  para visitarmos  apenas a parte dos jardins externos. Os mais famosos castelos do vale do Loire são os Castelos de Chambord e Chenonceaux descritos abaixo.

 

 

 

Chateau Chambord

Chateau Chambord

Chateau Chambord

Chateau Chambord

Castelo Chambord

A 16 quilômetros da cidade de Blois, fica o mais famoso castelo do Vale do Loire: o Castelo  Chambord. Ele fica no meio de um enorme bosque com mais de  5.000 hectares. O Castelo tem uma belíssima arquitetura, com quatro andares ligados por uma enorme escada em caracol.  Pode-se visitar a maioria dos seus 440 aposentos. O castelo foi construído por François I no início do século XIV, quatro meses após a morte de Leonardo da Vinci. É atribuído ao mestre  a concepção renascentista do castelo e o projeto da grande escadaria em dupla espiral. Aproveite para visitar a loja de souvenirs do Chambord que é a melhor de todos os castelos. Se estiver com tempo de sobra visite a pequena cidade de Blois.

Castelo Chaumont-sur-Loir

Rumamos para Amboise a 34 quilômetros de Blois na estrada que  margeia o Rio Loire durante todo o trajeto.  Paramos para conhecer o Castelo de  Chaumont-sur-Loire, que fica numa bela elevação nas margens do rio Loire.  O castelo foi construído em 1559 pelo Rei Henrique II para a sua amante Diana de Poitiers.

Castelo Chenonceaux

O próximo castelo a ser visitado foi o Chenonceaux, um maravilhoso castelo menor que o Chambord,  mas com um charme especial devido ao fato de ter sido construído suspenso sobre o rio Cher. A água do rio passa por debaixo de arcos de pedra que sustentam o Castelo. O castelo de Chenonceaux é cercado por um jardim muito bem cuidado. Do lado de fora do castelo  tem um museu de cera com personagens ilustres e vestuários de época.

Castelo Chenonceaux

Na cidade de Amboise fica o castelo de mesmo nome. A cidade é uma das mais charmosas do Loire e em seu preservado centro há lojas de artesanato, restaurantes, cafeterias e creperias.

Pouco mais à frente, após passar pela cidade de Tours,  fica Azay-le-Rideau que é pequena mas muito aconchegante, por esta razão  resolvemos pernoitar na cidade. Em Azay-de-le-Rideau fica a última construção renascentista do vale do Loire, o Castelo Villandry de 1536. Nos arredores do castelo fica o mais belo e uma dos mais visitados jardins da França que ocupam cerca de 7 hectares.

Fougeres

No dia seguinte saímos do Vale do loire e continuamos a nossa viagem  rumo à cidade de Saint Malo na região da Bretanha. No caminho paramos em na pequena cidade de Fougères para almoçar e visitar o Castelo de mesmo nome. Bem mais antigo que os castelos do vale do Loire, o Castelo Fougères é da época medieval.

Vista de Fougères com o Castelo em primeiro plano

Porto de Dinan

Dinan

Antes de chegar em Saint Malo, paramos na bucólica Dinan onde pudemos  tirar algumas belas  fotos da região do antigo porto.

Saint Malo

Chegamos no litoral da Bretanha e pernoitamos na parte histórica da cidade de Saint Malo, que fica cercada por uma alta muralha da idade média. Pudemos curtir a vida noturna desta charmosa cidade e saborear a excelente culinária local. Durante o verão Saint Malo é um movimentado balneário francês.

Mont Saint Michel

Já na Normandia, chegamos ao Mont Saint Michel. Uma pequena ilha rochosa, na foz do rio Couesnon, ligada á costa por uma pequena rodovia. O local é um importante centro turístico e um santuário com uma abadia beneditina em estilo gótico datada do século XII. Atualmente é considerado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Mont Saint Michel

Etretat

No dia seguinte fomos para o norte, runo à região da Normandia margeando o litoral. Esta região é famosa pelos altos penhascos que margeam o oceano. Paramos em inúmeros locais para fotos, em especial na pequena cidade de Etretat que chamou a nossa atenção pois fica em um belíssimo local exatamente numa fenda dos penhascos dando para a praia.

Litoral de Etretat

Dieppe

Continuando a viagem pernoitamos nossa última noite na França  na cidade de Dieppe, uma bela cidade portuária nas margens  do canal da Mancha.

Porto de Dieppe

No dia seguintes fomos para Calais, onde devolvemos o carro alugado e pegamos um barco para Dover na Inglaterra de onde fomos para Londres de trem.

Em Londres fizemos compras antes de tomar o avião de volta para o Brasil no dia seguinte.
______________________________________________________________________________
Texto: José maria

Viagem ao Egito, a terra dos Faraós

EgitoVisitamos o Egito em maio de 1986, quando morávamos em Stuttgart, Alemanha. Embora durante o ano que moramos na Alemanha tenhamos viajado bastante por países Europeus, esta viagem ao Egito foi muito especial e muito diferente de tudo que havíamos feito anteriormente.

Estávamos em 4 brasileiros na viagem, eu a Imaculada e nossos amigos Sergio e Telma. Fomos  acompanhados de cerca de 40 turistas alemães que  contrataram o mesmo pacote turístico em uma agência de viagens  em Stuttgart.

Escolhemos um fim de semana prolongado de 24 a 28 de abril de 1986. Neste fim de semana ocorreu ma triste coincidência, estávamos no Egito quando a usina nuclear de Chernobyl explodiu na Rússia no sábado dia 26 de abril.  Notamos um clima de apreensão e preocupação nos alemães que nos acompanhavam na viagem. Nós somente entendemos a importância do acidente, nos meses seguintes com a comoção mundial perante o acidente nuclear.

Visitamos templos e monumentos no Cairo, em Assuan e em Luxor. O nosso grupo de excursão viajou em pequenos aviões egípcios entre estas cidades. As visitas aos monumentos e templos nas cidades visitadas foram feitas utilizando ônibus e barcos no rio Nilo.

No Cairo, visitamos as grandes Pirãmides de Queops, Quefrem e Miquerinos, a Esfinge, os Colossos de Memon, o Museu do Cairo,  algumas Mesquitas, alguns mirantes da cidade e inúmeros outros  monumentos menores.

Em nossa visita ao interior da Pirâmide de Queops, fomos até cripta principal  que tinha um acesso extremamente difícil devido a um longo túnel no interior da Pirâmide que subia com uma forte inclinação. Por ser estreito e ter o teto mais baixo que a estatura de uma pessoa em pé, nos obrigava a subir o túnel quase que na posição agachada por um longo percurso de subida. No trajeto vimos mais de uma pessoa sendo carregada na descida por ter passado mal no interior da Pirâmide.


Interior da Piramide de Queops
Na verdade nós fomos um dos poucos da excursão que entramos na cripta principal da Pirâmide visto que a visita era fortemente desaconselhável para pessoas mais seniores que era a maioria dos alemães da excursão… nós estávamos no vigor dos nossos 30 anos de idade!

Em Assuan, visitamos o templo de Philae, que teve que ser totalmente transportado para um lugar mais alto antes da construção da represa de Assuan.  O templo estava praticamente intacto desde a antiguidade, mas com a construção da represa de Assuan, a ilha onde ficava o Templo seria alagada e um terço dos edifícios do templo ficariam submersos durante todo o ano. Em 1960, a UNESCO iniciou um projeto para salvar os edifícios da inundação.  Em primeiro lugar, construiu uma estrutura que possibilitou a drenagem da água para que fossem feitos os trabalhos de remoção do templo daquele local. Em seguida os monumentos foram limpos e medidos, usando um método que permitiria a reconstrução exata do templo no novo local definitivo. Em seguida, cada edifício foi desmontado em cerca de 40.000 unidades, e depois transportado para o novo local mais alto a cerca de 500 metros de distância. Na cidade de Assuan, navegamos de  barco pelas águas do rio Nilo e visitamos outros monumentos menores.

Na cidade de Luxor,  visitamos o Templo de Luxor, o Templo  de Karnak e o Templo de Hachepsut onde visitamos a famosa tumba do Faraó Tutancamon.

Veja mais sobre a viagem em nosso eBook!


________________________________________________________
Texto: José Maria e Imaculada