Visconde de Mauá, Maringá e Maromba!

A última vez que fomos a Visconde de Mauá, há 7 anos atrás, a estrada ainda era de terra! Desta vez pudemos conferir a bela estrada parque asfaltada que liga Penedo a Visconde de Maúa e continua até Maringá e Maromba, pequenas vilas distantes cerca de 6 km da vila principal de Visconde de Mauá, com cerca de 6 mil habitantes.

Visconde de Mauá - RJ

Na região de Mauá, o turista tem à sua disposição mais de 100 pousadas e dezenas de restaurantes, alguns muito bem cotados no ranking da boa comida feito pelo Guia 4 Rodas.

01DSC_0399

A região é coberta com uma belíssima mata em área de preservação ambiental incrustada  na serra da Mantiqueira a cerca de 1200 metros de altitude. Os turistas dispõem de inúmeras atrações como belas cachoeiras, rios de águas cristalinas  e vales com natureza preservada além de uma variada gastronomia.

Museu Duas Rodas, Visconde de mauá, RJ

Uma das atrações que devem ser visitadas em Visconde de Mauá é o Museu Duas Rodas que possui um acervo de mais de 300 motos e bicicletas.  A coleção foi iniciada há 30 anos pelo seu idealizador Robson Pauli, sendo considerada hoje uma referência em motocicletas raras.

Museu Duas Rodas, Visconde de Mauá, RJ

Museu Duas Rodas, Visconde de Mauá, RJ

O Museu está Localizado em um acesso de terra a partir da estrada que liga Visconde de Mauá a Maringá, após rodar 4 km na estrada de terra chega-se ao Museu que fica ao lado das “Corredeiras do Alcantilado”, uma  área de lazer que possibilita contato com a natureza e com inúmeras atrações de esportes radicais (Tirolesa, Estilingue, Pull-Scale, Pendulo, Arvorismo, Boia-Cross, Orbital-Giroscópio, etc.).  Havendo disponibilidade de tempo, vale a pena o visitante levar roupa de banho e aproveitar a ida ao Museu Duas Rodas e curtir também a natureza e os esportes nas Corredeiras do Acantilado (mais informações no site http://www.museuduasrodas.com.br ).

Nesta nossa visita a Mauá,  como estávamos com o nosso Yorkie Johnny, ficamos na Pousada Recanto da Serra onde pets são bem vindos…aliás praticamente todos os restaurante que fomos (Gosto com Gosto, Casa de Pedra, Ratatouille, etc.) aceitam a entrada de turistas com pets.

Restaurante Gosto com Gosto
Rua Wenceslau Braz 148 Visconde de Mauá – Resende – RJ
Tel: (24) 3387.2004 e 3387.1382

Restaurante Ratatouille
Alameda Gastronômica, Maringá – MG
Tel: (24) 9856-1502

Resaturante Casa de Pedra
Alameda Gastronômica, Maringá – MG
Tel: (24)9822-7129

Pousada Recanto da Serra
Al. Gsatronômica, Maringá – MG
Tel: (24) 3387-1498 e 9831-7587


Texto: José Maria


Feliz 2014!

Mais um ano termina e fazendo um balanço, notamos que somamos oportunidades, multiplicamos amizades e ampliamos o interesse em histórias e aventuras neste Blog!

Agradecemos por nos proporcionar mais um ano de convivência fraterna e esperamos que em 2014 possamos satisfazer ainda mais o interesse de nossos leitores!

Ride and have Fun!!

José Maria e Imaculada
www.vivermaisavida.com.br

Feliz 2014


Um pouco de motivação!

O que você quer ser quando crescer?

Use filtro solar (sunscreen)

On ou Off? De que lado você está?


Girassóis de Holambra

Um campo de girassóis em época de floração é um espetáculo impressionante, sendo muito difícil passar por um sem parar para contemplar e fotografar.

Campo de GirassóisOs meses de junho e julho é época de floração dos campos de girassóis de Holambra, no interior de São Paulo.  Aproveitamos o nosso passeio de moto que fizemos nos campos de girassóis e fomos almoçar no restaurante Martin Holandesa, no centrinho de Holambra,  para apreciar um prato que há algum tempo queríamos comer.

ATUALIZAÇÃO JULHO/2015: visitamos em Julho/2014 e Julho/2015 os dois campos onde em Julho/2013 estavam com plantação de Girassóis e infelizmente estavam com outro tipo de cultura…portanto, antes de ir até Holambra para visitar campos de Girassóis procure se informar onde há plantações pois os agricultores da região variam ano-a-ano o tipo de plantação!!

De Harley em um Campo de Girassóis

Conheça os Girassóis!

Os girassóis são flores grandes com uma cor amarelo marcante que contrasta perfeitamente com o azul do céu. O nome da flor vem do fato que ela lentamente se orienta girando e seguindo a posição do sol durante o dia. Por essa razão, ao vermos um campo de girassóis todos estão perfeitamente dispostos e alinhados na mesma direção, que é a direção do sol naquele momento do dia! Campo de Girassóis em HolambraO girassol tem uma temporada mais curta do que a maioria das outras culturas,  estando em plena floração cerca de dois meses após o plantio e chegando no ápice da floração em 3 meses após o plantio.

No campo de Girassóis de Harley

Após atingir sua altura máxima e plena floração, o girassol curva-se para baixo e seca. Por essa razão é importante fazer o passeio nos campos de girassóis na época certa (2 a 3 meses após o plantio) e na hora certa do dia onde a vista do campo de girassóis possa ser melhor observada (considerando o seu ponto de observação!).

Martin Ribs do restaurante Martin HolandesaMartin Holandesa

Após o passeio pelos campos de girassóis, almoçamos no restaurante Martin Holandesa, que até bem pouco tempo atrás era uma confeitaria famosa por seus doces e tortas típicas Holandesas. Martin Holandesa em HolambraO local foi ampliado  e há algum tempo está funcionando também como restaurante com ótimas opções de pratos, entre os quais as costelinhas Martin Ribs feitas ao molho barbecue, com fritas gratinadas com bacon e queijo….uma delícia! Como sobremesa, existem inúmeros doces e tortas típicas que devem ser obrigatóriamente conferidas no balcão e saboreadas!

holambra-4Restaurante The Old Dutch

Uma outra boa opção para experimentar a culinária holandesa, com pratos típicos de carnes, Kassler e deliciosas sobremesas caseiras típicas da Holanda é o Restaurante The Old Dutch. Experimente o prato Hollandse Biefstuk Met Champignons, com miolo de alcatra, cebolas e champignons puxados na manteiga. Uma outra deliciosa opção é o Zalm Zuid-Holland, um filé de salmão com molho de ervas, creme de leite e champignons, acompanhado de arroz típico e batatas sautée.

Confeitaria do Lago (Zoet en Zout)

Você pode também relaxar às margens de um belo lago, tomando um café e comendo deliciosas tortas ou sorvete na  Zoet en Zout, também conhecida como a Confeitaria do Lago. Especializada em produtos tipicamente holandeses, com receitas caseiras que passaram de geração em geração.

Conheça um pouco de Holambra

HolambraHolambra é uma Estância Turística com origem na imigração Holandesa ocorrida logo após o término da II Guerra Mundial. Com pouco mais de 11 mil habitantes, Holambra é o maior centro de cultivo e comercialização de flores e plantas ornamentais do país e responde por cerca de 40% das vendas do setor. Durante a primavera, acontece anualmente a ExpoFlora, a maior festa de flores do Brasil, visitada por mais de 300 mil turistas de todo o Brasil. Mesmo, em outras épocas do ano, vale a pena visitar a  cidade e, além de curtir a excelente culinária, passear pela área onde é realizada a ExpoFlora, onde fica o famoso moinho de vento. O moinho de Holambra foi inaugurado em 2008, na comemoração dos 60 anos de imigração holandesa, sendo construído totalmente aos moldes da tradição holandesa. Atualmente  é um dos principais pontos turísticos da cidade, sendo considerado o maior moinho da América Latina. O moinho tem cerca de 40 metros de altura e cada pá mede 12 metros de comprimento. O moinho funciona pela força dos ventos com a geração de uma tração motora de cerca 60 cavalos-força.

 

Confeitaria e Restaurante Martin Holandesa
Endereço: R. Dória Vasconcelos, 15, Holambra, CEP 13825-000, Brasil
Telefone:+55 19 3802-1295
www.confeitariamartinholandesa.com.br

Restaurante The Old Dutch
Estrada do Fundão, 200 – Holambra
Telefone: +55 19 3802-1290
www.olddutch.com.br

Confeitaria Zoet en Zout
Endereço: Viela Lantanas, 90, Holambra, SP,  Brasil
Telefone: +55 19 3802-1293
www.zoet-en-zout.com.br

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria e Imaculada


24 de Maio de 2013: 100 Mil visitas neste Blog!

Registramos há poucos minutos atrás (exatamente às 15:13 horas!)  a visita de número 100.000 em nosso Blog! Deste a criação deste Blog, em novembro de 2009, temos procurado postar informações de interesse de pessoas que compartilham conosco o gosto por Viver Mais a Vida… Agradecemos a todos os visitantes que nos deram feedback no sentido de aprimorarmos o Blog !

Nestes 3 anos, nossa linha tem sido pautada pela transparência e independência de opinião. Nosso foco tem sido nas experiências positivas que tivemos em lugares, atrações, eventos, restaurantes, etc.

Neste novo período que hoje se inicia, vamos procurar focar mais o tema cultura!  A nossa recente visita ao Inhotim, que gostamos muito, nos mostrou que os temas culturais tem tudo a ver com Viver Mais a Vida!

Um abraço,

José Maria e Imaculada

Viver Mais a Vida - 100.000 Visitantes

Viver Mais a Vida – 100.000 Visitantes


Viver Mais a Vida: 3 anos na estrada com 100 Mil visitas de amigos!

Neste mês de maio estamos alcançando em nosso Blog a marca de 100.000 visitas feitas nos  3 anos de existência do Blog. Para comemorar, resumimos abaixo alguns dos melhores posts do Blog!

Loja Tennessee Campinas Harley DavidsonNova Loja Harley Campinas – Abril/2011

Este é o artigo com mais visitas de todo o Blog, com uma marca de 6 mil acessos desde abril de 2011! Veja o emocionante Vídeo feito no dia da inauguração da Loja Tennesse Campinas Harley Davidson, quando os integrantes do HOG Campinas saíram em suas motos, em enorme comboio, até a loja em Sousas, Campinas!

Fazendo arte em inhotim Fazendo Arte em Inhotim – Maio/2013

Dicas, relatos e fotos da visita feita pelo casal José Maria e Imaculada em maio/2013 no Centro de Arte Contemporânea Inhotim na cidade de Brumadinho/MG próximo a Belo Horizonte. São dadas dicas de como visitar Inhotim, como otimizar a visita de forma que ela possa ser feita em 2 dias, dicas de hoteis, pousadas e restaurantes.

Viagem de Harley pelo Canadá – Junho de 2012

Dicas, relatos e fotos da viagem de moto que 5 casais, integrantes do PHD e do Tennessee Campinas HOG Chapter, fizeram em Junho de 20012 pelos Parques e Lagos das Montanhas Rochosas Canadenses passando pela Icefields Parkway, Lake Louise, Banff, Jasper, Victoria e Vancouver.

Viagem de moto ao Atacama – Abril de 2011

Dicas, relatos e fotos  da viagem de moto que 3 casais, integrantes do PHD e do Tennessee Campinas HOG Chapter, fizeram em abril de 20011 até o deserto do Atacama passando pelo altiplano da Cordilheira dos Andes, descendo a costa clilena até Santiago e retornando ao Brasil via Mendoza.

Viagem de moto à Patagônia – Outubro de 2009

Dicas, relatos e fotos da viagem de moto que 4 casais, integrantes do PHD e do HOG Chapter Campinas, fizeram em outubro e novembro de 2009 até o sul do Chile passando pela Cordilheira dos Andes, região dos Vulcões e Lagos Andinos, retornando por Bariloche e Buenos Aires.

Viagem ao Chile de Harley-Davidson – Novembro de 2008

Dicas, relatos e fotos da viagem que 6 casais, integrantes do PHD e do HOG Chapter Campinas, fizeram em motocicletas Harley Davidson até Santiago do Chile, cruzando a Cordilheira dos Andes e retornando por Mendoza, Buenos Aires, Montevideo e Punta del Este.

EUA Western Frontier Journey – Setembro de 2007

Dicas, relatos e fotos da viagem que 4 casais, integrantes do PHD e do HOG Chapter Campinas, fizeram de moto pelo Oeste americano, visitando o Yellowstone National Park, o Devil´s Tower Monument, o Mount Rushmore, o Rocky Mountain National Park e diversas cidades dos EUA.

Harley Davidson Route 66 Journey – Maio de 2006

Dicas, relatos e fotos da viagem que 5 casais, integrantes do PHD e do HOG Chapter Campinas, fizeram de moto pela Rota 66 passando pelos estados da California, Nevada, Utah e Arizona. Visitando o Zion National Park, o Grand Canyon National Park e o Lake Powell.


Estrada Real: Diamantina até Serro

Estrada-Real-LogoReservamos o dia para fazer um trecho de cerca de 65 km da Estrada Real, partindo de Diamantina até a cidade histórica de Serro, passando por algumas pequenas vilas como Milho Verde.

Nosso plano era retornar no final da tarde para Diamantina para participar da Vesperata no dia seguinte.

Estrada Real perto de Diamantina

Saímos de Diamantina pela manhã e pegamos a Estrada Real que é de terra até Milho Verde. Paramos para tirar algumas fotos, incluindo os famosos marcos da Estrada Real.

Milho Verde

Marco da Estrda RealApós passarmos por belos trechos da Estrada Real, subindo e descendo montanhas da Serra do Espinhaço,  passamos pelos povoados de Vau e São Gonçalo do Rio das Pedras antes de chegar em Milho Verde.

Em Milho Verde fomos primeiro visitar a  pequena, mas famosa, capela de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos que foi utilizada em clipe de divulgação de disco do cantor Milton Nascimento.

A partir da Capela e de seu belo pátio gramado no alto de uma pequena colina,  tem-se  uma bela vista das montanhas nos arredores. A Capela foi construída no século XIX por escravos, sendo atualmente o cartão postal de Milho Verde.

capela de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos

Milho Verde está a 1.120 metros de altitude e fica a 23 km da cidade histórica de Serro, da qual é distrito. A população é de cerca de 500 moradores no povoado e 1200 na área rural. As casas são simples com  algumas ruas cobertas com grama verde que dá um charme especial ao povoado. Infelizmente existem algumas casas históricas que foram modificadas ou ruíram por falta de conservação.  O povoado de Milho Verde também é famoso  por suas belezas naturais sendo cercado por belas cachoeiras e morros da serra do Espinhaço.

Chafariz de Milho Verde

O nome Milho Verde vem do fato das lavras da região terem pertencido ao português Manoel Rodrigues Milho Verde, natural de Moinho em Portugal. O lugarejo foi um antigo ponto de controle de impostos, sendo a rua do Quartel assim chamada por ter um quartel e posto fiscal para vigiar a passagem de pessoas e mercadorias pela Estrada Real.

Em pleno século XX ainda existia garimpo na região.  Garimpeiros com dragas e bombas, desviaram cursos de rios e revirando cascalhos causaram vários danos ecológicos na região. Atualmente, a mineração na região é proibida.

O povoado de Milho Verde foi descoberto para o turismo na década de 80 e atualmente os moradores do lugarejo praticamente vivem do turismo, com o desafio de explorar o potencial turístico ao mesmo tempo preservar as belezas naturais e históricas do lugar.

Trecho asfaltado da Estrada Real entre Milho Verde e Serro

Após darmos uma volta por Milho Verde  e visitar o antigo chafariz, almoçamos em um restaurante simples e rumamos para a cidade histórica de Serro pela Estrada Real, já asfaltada neste trecho. A paisagem muda um pouco neste trecho, primeiramente porque o asfalto tira o charme da estrada e segundo porque a flora fica mais verde e mais densa com trechos de  mata bem fechada.

Vista Capela de Santa Rita em Serro

Serro

Ao chegarmos de Milho Verde entramos pela parte alta da cidade do Serro e antes de descermos as ladeiras paramos na Capela de Santa Rita, que é o cartão postal da cidade. A capela fica na parte alta da cidade tendo uma enoooorme escada que dá na parte baixa junto ao centrinho da cidade. Tiramos fotos na parte de cima ao lado da Capela e fomos de carro para a parte baixa da cidade onde tiramos mais fotos da Capela no topo do morro e do conservado casario colonial da cidade.

Capela SaCapela Santa Rita, cartão postal de Serro

A pequena cidade de Serro tem hoje cerca de 21 mil habitantes, é cercada por serras, rios e cachoeiras, sendo uma excelente dica para quem gosta  de cidades históricas e ecoturismo. As origens da cidade são do início do século XVIII em um arraial que centralizava a exploração de ouro na região.

Casario de Serro

O primeiro nome foi   Arraial do Ribeirão das Minas de Santo Antônio do Bom Retiro do Serro do Frio. Em 1714 o povoado recebeu oficialmente o nome de “Vila do Príncipe” pelo governador da capitania de Minas Gerais. Em  1720 passou a sede da comarca do Serro do Frio  que abrangia todo o norte-nordeste da capitania. Em 1838, a vila foi elevada à categoria de cidade, com o atual nome de Serro.

Casario da cidade de Serro

As minas de ouro e diamantes foram exploradas exaustivamente durante quase cem anos. No início do século XIX, com a decadência da mineração, a pecuária e a agricultura de subsistência se desenvolveram de forma precária. No final do século XIX, o Serro não conseguiu se integrar com a malha ferroviária e se isolou ainda mais, dificultando o seu desenvolvimento.

O isolamento de certa forma ajudou a conservação do patrimônio histórico da cidade que, em 1938, teve o seu acervo histórico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Após visitarmos as igrejas e o casario, antes de  retornamos para Diamantina, paramos para um café mineiro com bolo de fubá!  Nossa viagem de volta foi por um belo caminho alternativo, com 86 km de asfalto, passando pela cidade histórica de Datas.

 


Texto: José Maria e Imaculada


Reflexos de Diamantina, MG

 

Diamantina com Serra dos Cristais

Nossa visita a Diamantina estava planejada há algum tempo! Estávamos estimulados pelo grande número de vezes que estivemos na região histórica de Minas (circuito Tiradentes-Ouro Preto) e queríamos muito conhecer novas cidades históricas mineiras e conhecer a região da Estrada Real próximo de Diamantina.

Após uma visita de 2 dias ao Centro de Arte Contemporânea de Inhotim, saímos pela  manhã da pequena cidade de Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte, rumando para Diamantina  cerca de 300 km de distância.

Por ser um dia de semana e véspera de feriado, pegamos um longo congestionamento na cidade de Contagem e chegamos no meio da tarde em Diamantina.

 

Serra do Espinhaço próximo à Diamantina

A região da Serra do Espinhaço, onde fica Diamantina, é muito bonita com montanhas e vales que podem ser vislumbrados logo após a subida da serra, depois de passar pela cidade de Curvelo.

Centro Histórico de Diamantina

Chegando em Diamantina, descemos por ladeiras íngremes com calçamento de pedras coloniais até o centro da cidade. Como o centro ainda fica num ponto alto, era possível ver, no mesmo nível do casario, as montanhas da Serra dos Cristais que circunda a cidade.

Diamantina

Ficamos no centrinho de Diamantina, na ótima Pousada Vila do Imperador com praticamente todos os lugares de interesse  nos arredores da Pousada. No final da tarde pudemos curtir um por do sol deslumbrante que deixou dourada a Serra dos Cristais atrás do casario colonial.

Casario de Diamantina

Fiquei especialmente impressionado com a conservação e a estética do casario colonial da cidade. Na minha opinião é o mais preservado de todas as cidades históricas mineiras. Embora o município já tenha uma população de mais de 45 mil habitantes, o casario colonial se manteve intacto.

Passadiço da Glória em Diamantina

Visitamos as principais igrejas e museus, além de visitar o famoso “Passadiço da Glória”, um verdadeiro símbolo de Diamantina. O Passadiço foi construído entre 1750 e 1800 unindo o segundo pavimento de 2 casas, por onde as internas do colégio que ali estava instalado transitavam, evitando o contato com os moradores da cidade. Inicialmente pertenceu à Coroa Portuguesa, sendo adquirido por Dona Josefa Maria da Glória, daí veio a denominação de “Casa da Glória”. Atualmente é sede do Centro de Geologia Eschwege,  propriedade do Instituto de GeoCiências da Universidade Federal de Minas Gerais.

Vista do Mercado Municipal de DiamantinaDiamantina é terra natal do ex-presidente da República Juscelino Kubitschek e da famosa Chica da Silva (1732-1796), havendo museus abertos ao público nas respectivas casas onde moraram na cidade. Chica da Silva, era uma escrava alforriada esposa de João Fernandes de Oliveira, um dos homens mais ricos do Brasil na era colonial.

A cidade é o início  da Estrada Real, um dos roteiros culturais e turísticos mais famosos do Brasil e faz parte do circuito turístico dos Diamantes.

Reservamos o dia seguinte para um passeio de carro pela Estrada Real até a cidade histórica de Serro, passando pelo famoso  povoado de Milho Verde.

Vesperata em Diamantina

Diamantina é famosa por suas serestas e vesperatas. Atualmente a Vesperata é um evento que ocorre uma vez por mês num sábado. Coincidimos nossa visita à cidade com a Vesperata de Maio/2013 e pudemos conferir a animação da festa, onde os  músicos se apresentam tocando seus instrumentos nas janelas e sacadas dos velhos casarões para o público que assiste nas ruas da cidade. Recomendamos  o evento,  pela oportunidade de comer uma autêntica comida mineira sentado numa mesa na parte externa de um restaurante, enquanto se assiste o animado evento curtindo a música…sensacional!

Veja abaixo o vídeo com imagens da Vesperata de maio/2013:


Texto: José Maria e Imaculada


Fazendo arte em Inhotim

Já faz algum tempo que eu e a Imaculada estávamos programando uma visita ao Centro de Arte Conteporânea Inhotim. O Centro é  localizado na cidade de Brumadinho a 60 km de Belo Horizonte e foi  idealizado por Bernardo Paz, um empresário do setor siderúrgico que, com a abertura do Inhotim, formou o mais importante acervo de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte contemporânea ao ar livre do mundo. Ficamos sabendo que o nome Inhotim vem de “Nhô Tim”, como era chamado o Senhor Timothy, um inglês que era responsável por uma mineradora que existiu no local no século XIX.

Jardins de Inhotim

Em 2006, Bernardo Paz abriu o local para a visitação do público em geral, criando o Instituto Inhotim. Hoje o acervo do Inhotim tem mais de 500 obras de artistas brasileiros e estrangeiros, entre os quais Hélio Oiticica, Tunga,  Cildo Meireles, Vik Muniz, Ernesto Neto, Matthew Barney, Doug Aitken, Chris Burden, Yayoi Kusama, Paul McCarthy, Zhang Huan, Valeska Soares, etc.

Inhotim - Galeria da artista Adriana Varejão

Inhotim: Galeria da artista Adriana Varejão

O local é imenso, necessitando pelo menos 2 dias para ser visitado! Possui um terreno acidentado com área total é de 786  hectares (tamanho de 1000 campos de futebol), com  jardins projetados por Burle Max e uma  área de preservação com  mata nativa.

Cisnes em Inhotim

Existe na área de visitação do Inhotim um  jardim exuberante com  inúmeras galerias de artes, obras de arte ao ar livre,  restaurantes, muita mata nativa e cinco maravilhosos  lagos com  águas azuis.

Obra do artista Hélio Oiticica no Inhotim

Devido à exuberante flora, em 2011 o Instituto Inhotim recebeu do Ministério do Meio Ambiente a classificação oficial de jardim botânico com  mais de 4.300 espécies de plantas, entre as quais mais de 1.500 espécies de palmeira, formando a maior coleção de palmeiras do mundo.

Obra do artista Chris Burden no Inhotim

Obra do artista Jarbas Lopes

O Inhotim fica aberto de terça a domingo,  inclusive nos feriados. O ingresso custa R$14,00 (meia entrada) e R$28,00 (inteira), sendo que às terças a entrada é gratuita.

No interior do Inhotim existem carrinhos elétricos (semelhantes aos de campo de golfe)  com condutores que levam os visitantes para as Galerias e obras de arte mais distantes. O ticket para o carrinho deve ser comprado na entrada do Inhotim e custa R$20,00 para andar quantas vezes quiser durante um dia inteiro.

Embora caminhar pelo Inhotim seja uma experiência fantástica, para quem esteja com tempo limitado para a visita, recomendamos comprar o ticket de transporte, pois só assim é possível visitar o Inhotim em 2 dias…sem o carrinho  são necessários pelo menos 3 dias!

Um dos lagos de Inhotim

Lago de Inhotim

Outro lago de Inhotim

Nós compramos o Ticket do carrinho apenas para o primeiro dia e concentramos neste dia a visita em todas as Galerias distantes. No segundo dia visitamos as Galerias e obras de arte que ficam no circuito que tem que ser feito obrigatoriamente à pé (o carrinho não passa pela parte central do Inhotim!).

Obra do artista Edgard Souza no Inhotim

Obra do artista Edgard Souza no Inhotim

Almoçamos no restaurante Oiticica que fica dentro do Inhotim. A comida é de qualidade e o atendimento é impecável. No restaurante o visitante pode optar pelo sistema de buffet (R$49,00/kg) ou por pratos à La carte. Nós optamos pelo buffet nos dois dias que almoçamos no restaurante Oiticica e adoramos a comida!

Obra dos artistas John Ahearn e Rigoberto Torres no Inhotim

A cidade de Brumadinho ainda não conta com hotéis em quantidade suficiente para atender a demanda dos visitantes de Inhotim, por isso é comum muitos visitantes se hospedarem em hoteis de Belo Horizonte.

Chalé da Pousada Dona Carmita

Chalé da Pousada Dona Carmita

Nós ficamos na Pousada Dona Carmita onde as instalações, apesar de simples, eram muito boas com ótimo atendimento. A Pousada Dona Carmita tem um bom restaurante que abre para almoço e jantar. Optamos pelo restaurante da Pousada no jantar, pois em Brumadinho tem  poucas opções de restaurantes.

Realmente Inhotim é um lugar único…coisa de primeiro mundo! Muito organizado, funcionários treinados para um atendimento de alto nível, tudo muito limpo, restaurantes com comida nota 10 e principalmente obras de arte de grandes artistas nacionais e estrangeiros…Após conhecer Inhotim eu e a Imaculada, sentimos muito orgulho de sermos mineiros!

Assista abaixo o Vídeo oficial do Inhotim!

Veja o Making Of do Vídeo do Inhotim

Centro de Arte Contemporânea Inhotim
Rua B, 20, Inhotim, Brumadinho, MG, Brasil
Tel: +55 31 3571.9700   e-mail: info@inhotim.org.br
Horário: Terça, Quarta, Quinta e Sexta 9:30 às 16:30. Aos Sábados, Domingos e feriados de 9:30 às 17:30.

Pousada Dona Carmita
Rodovia MG 040 Km 49, 1508 – Brumadinho – MG – Brasil
Tel: 31 3571-3862   e-mail: contato@pousadadonacarmita.com.br


Texto: José Maria e Imaculada