chile

Patagônia 2009, o início de tudo

Indice de posts da viagem Patagônia 2009

Rumo ao Chile....

De novo, rumo ao Chile….

Deveria ser um sábado como tantos outros, passeávamos de motocicleta. Todavia, durante o almoço concitei meu Irmão Harleiro PHD Betão para que fizéssemos uma nova viagem até o Chile, por roteiro diferente. Sentido mais ao Sul.  Naquele mesmo instante, nosso Irmão Betão, convidou o nosso Irmão Harleiro PHD Folegatti para a referida façanha, sem que soubéssemos ao certo o que faríamos.

Naquela ocasião foi dado o início do que agora estamos prestes a concretizar, uma viagem à Patagônia.  No ano anterior (2008) estivemos em Viña del Mar e Santiago de Chile. Com isso tínhamos atravessado o continente. Do Atlântico ao Pacífico. Mas, desta vez queríamos muito mais. Pretendíamos descer a cordilheira Chilena até o sul.

A semente estava plantada. Os dias foram transcorrendo calmamente, o projeto foi tomando a sua forma.  Foi aí que o nosso irmão Harleiro Zoom veio integrar o grupo. A essa altura éramos quatro Irmãos, eu (PHD Cabanas), PHD Betão, PHD Folegatti e o Zoom, todos acompanhados das nossas Rainhas: Solange, Marli, Gláucia e Luciana.

Bem, a partir daí, muitas conversas foram trocadas, como havia tempo significativo contávamos os meses.  Logo passamos a contar as semanas, os dias e em breve as horas e os minutos.  É uma estranha sensação, na medida em que o tempo ia se esgotando, na proporção inversa, a nossa adrenalina ia aumentando. O sangue ferve nas veias, a pulsação aumenta, e com isso a ansiedade de estar na estrada montado nas nossas princesas trazendo na garupa as nossas Rainhas. A brisa tocando os nossos rostos, o ronco do motor como melodia aos nossos ouvidos e o asfalto passando sob os nossos olhos. No horizonte, o futuro se aproximando.  No retrovisor o passado, deixando para trás o percurso já percorrido.

Fizemos reuniões para traçar estratégias, na qual pudemos constatar a euforia dos que participariam da Expedição à Patagônia, oportunidade em que pudemos, infelizmente, constatar a desolação nos olhos daqueles que por algum motivo gostariam de nos acompanhar, mas, não poderiam participar da aventura.  A última reunião transcorrera num clima misto de euforia e ansiedade, uma vez que ao mesmo tempo em que faltavam apenas seis dias para iniciarmos a viagem seriam seis dias intermináveis, que passariam mais lentamente do que gostaríamos.  Logo passamos a contar as horas e os minutos para que a nossa jornada de 26 dias de estrada se iniciasse. O trajeto promete, com locais e vistas deslumbrantes. Enfim, estávamos prontos para transformar o nosso sonho em realidade.

A quinta-feira, véspera da nossa viagem, amanheceu chovendo. Durante o dia e à noite os nossos Irmãos que não estariam conosco nos desejaram uma boa viagem.  Nem mesmo o mal tempo que assolou o sul do País arrefeceu os nossos ânimos.

Enfim, na data aprazada estávamos prontos.  Hoje, o dia amanheceu radiante, prometendo muito sol.  As malas já estão devidamente acomodadas, pilotos e as Rainhas devidamente paramentados, as princesas com os motores rugindo, produzindo uma maravilhosa melodia aos nossos ouvidos, propiciando enorme prazer e sensação de bem-estar.  Agora temos de partir. Já é hora transformar os nossos sonhos em realidade.  Sonhar é viver. Viver é concretizar os nossos sonhos em realidade, para que fique indelevelmente registrada em nossas memórias, a maravilhosa experiência vivida.  Gostaria de continuar escrevendo para melhor detalhar a expediência a ser efetivada, mas, o dever nos chama. Quero dizer: o prazer de pilotar as nossas princesas pelas estradas da Patagônia nos chama!
______________________________________________________________________________
Texto: PHD Cabanas (Geraldo)

Viagem de moto à Patagônia 2009

Acompanhe os Posts sobre a Viagem

Veja outras viagens do HOG Campinas
Patagônia 2009: Depoimento final do Geraldo !!
Patagônia 2009: Depoimento final do Betão !!
Patagônia 2009: Depoimento final do Folegatti !!
Paragônia 2009: Após 10.300 km, em casa!
Patagônia 2009: Chegando em terras brasileiras
Patagônia 2009: Rumo à Casapueblo no Uruguai
Patagônia 2009: O pneu furado em Rio Colorado
Patagônia 2009: A fauna da Península Valdez
Patagônia 2009: Rumo a Puerto Madryn
Patagônia 2009: Esquel e Parque Los Alerces
Patagônia 2009: San Carlos de Bariloche
Patagônia 2009: Chegando em Bariloche de Harley
Patagônia 2009: Homenagem às nossas Rainhas
Patagônia 2009: Os Vulcões do Chile
Patagônia 2009: nos Andes de Land Rover
Patagônia 2009: Travessia da Cordilheira dos Andes
Patagônia 2009: Rosário a Villa Mercedes
Patagônia 2009: União da Vitória a Rosário/AR
Patagônia 2009: Campinas a União da Vitória
Patagônia 2009, o início de tudo

Na próxima sexta-feira dia 16 de outubro,  começa a aventura do PHD Betão, PHD Cabanas (Geraldo), PHD Folegatti, do Zoom e  respectivas esposas Marli, Solange, Gláucia e Luciana, todos íntegrantes do HOG Chapter Campinas, rumo à Patagônia  seguindo um plano de viagem que inclui a região dos Vulcões Chilenos.

O grupo entrará na Argentina em São Borja (Santo Tomé/AR)  e rumará para o Chile, cruzando a Cordilheira dos Andes na altura de Santiago, continuando a viagem descendo o território Chileno até  Puerto Mount, cortanto a região dos Vulcões e lagos. O grupo cruzará novamente a Cordilheira na direção de Bariloche, rumando para a Península Valdez (Puerto Madryn) já no litoral do oceano Atlantico  e retornam para Buenos Aires, passando em Bahia Blanca e Mar del Plata.

Trajeto da Viagem de moto à Patagônia - Out/Nov 2009

Trajeto da Viagem de moto à Patagônia – Out/Nov 2009

A viagem continua de balsa até Colônia del Sacramento, Montevideo e Punta del Este no Uruguai. Finalmente retornam ao Brasil, passando por Porto Alegre e rumando pela BR101 até Joinvile/SC onde fazem o último pernoite  antes do trecho final da viagem rumo a Campinas/Limeira/Salto.

A viagem terá um trajeto total de 10.300 km, rodados em 26 dias. O grupo irá em 4 motocicletas Harley-Davidson modelo Elektra e serão acompanhados por um carro de apoio guiado pela Luciana.

Desejamos uma excelente viagem para os nossos 8 amigos aventureiros e que o Anjo da Guarda os acompanhem por todo o trajeto. Vamos  disponibilizar neste Blog, todo o material enviado pelos integrantes do grupo durante a viagem, tais como relatos, textos, notícias, fotos, imagens, etc. Portanto, sugerimos que consultem regularmente os posts deste Blog  para seguirem a aventuras do grupo na viagem à Patagônia!

_________________________________________________________________________________________
Texto: PHD José Maria

A Patagônia nos aguarda!!

Neve na estrada de Winter Park/CO - EUA

Neve na estrada de Winter Park/CO – EUA

Olho para fora e vejo que o chão ainda está molhado.  Durante o dia choveu levemente e a temperatura baixou um pouquinho.  Suportável, mesmo sem muito agasalho.  Isso me faz lembrar o dia 16 de setembro de 2007 quando a equipe de aventureiros: Betão, na direção da Van, comigo de carona. Zé Maria e Toninho na pilotagem das Harleys, chegávamos em Winter Park no Colorado/EUA, numa tarde chuvosa.  Inclusive com granizo.  Altas emoções nas curvas geladas das montanhas do Rocky Mountain National Park.

No dia seguinte quando deixamos Winter Park rumo a Denver, eu saí pilotando a Electra, juntamente com Toninho e, é claro, com as nossas “queridas” na garupa.  Logo na saída, a chuva voltou a cair e logo mais adiante começou a cair “neve”, exatamente quando a temperatura se igualou a zero graus no topo da montanha.  Imaginem pilotar uma Electra na Neve.  É muita emoção.  Foi uma experiência indescritível, somente vivenciando-a é possível entendê-la.

Pois bem, estamos exatamente há uma semana da nossa partida, rumo à Patagônia. . . . Na próxima sexta-feira dia 16 de outubro de 2009, saímos em nossas motocicletas Harley-Davidson eu e a Solange, o Betão/Marli, o Folegatti/Gláucia e o Zoom/Luciana com destino a Santiago do Chile, Puerto Mount, Bariloche, Puerto Madryn e Buenos Aires. Esperamos curtir esta viagem tanto quanto curtimos a do ano passado para o Chile!

Camiseta do Volney

Camiseta do Volney

Hoje, na Loja Harley-Davidson de Campinas encontrei um irmão Harleyro, o Volney de Curitibanos/SC, que fez uma viagem para o Chile parecida com a nossa no ano passado, acompanhado da esposa.  Ele caprichou, fez uma camiseta com o roteiro, estampou a foto do casal e mandou bordar o nome. Ficou muito bacana!

______________________________________________________________________________
Texto: Geraldo

Mais que uma Aventura (de moto rumo ao Chile)

Antes da viagem escutávamos de todos: As esposas irão de avião? Vocês irão com elas na garupa? Planejam carro de apoio? Esclarecíamos que os planos da nossa aventura eram seis casais sozinhos em suas motos Harley-Davidson, acompanhados apenas do nosso Anjo da Guarda, todos rumo a Santiago do Chile, cruzando as geleiras dos Andes num trajeto de mais 8 mil km.

Desde o nosso regresso, em novembro de 2008, eu queria escrever um artigo sobre a minha motivação para a realização da aventura. Contar o que antecedeu a viagem, as dificuldades, as inúmeras reuniões de planejamento quando analisávamos o percurso, as condições climáticas, temperaturas, distâncias, etc.

Confesso que temi pelo pior, primeiramente que algum imprevisto profissional urgente pudesse desfalcar o grupo. Mais tarde, quando nossa partida estava iminente, pensava nos desafios que iríamos deparar e me consolava de antemão para o caso de ocorrer a desistência de algum colega no meio da viagem por problemas com a motocicleta ou de saúde! Estabelecemos um pacto para as emergências: caso ocorressem imprevistos, todos se solidarizavam esperando chegar ajuda. Quando isso ocorresse, o grupo continuaria a aventura desfalcado.

Por mais que eu me esforçasse, eu não conseguia tempo para me dedicar aos preparativos da viagem da forma como eu julgava necessário, tendo em vista a envergadura da aventura! Vivia um momento muito produtivo no trabalho, estava comemorando o record de receita da empresa em 2008, resultado final dos nossos esforços para superar a crise de 2002 que quase inviabilizou a empresa. Estava muito atarefado, com acúmulo de atividades, pressão por resultados e conseqüente diminuição nas horas de sono e uma redução no tempo dedicado ao lazer.

Creio que na vida competitiva atual, quando estabelecemos objetivo de arrumar tempo para o lazer, às vezes pode soar como um pecado mortal. Somos compelidos a correr para “aproveitar” o tempo produtivamente, e com isso “aquele sonho” de realizarmos um determinado tipo de lazer fica proibido, se torna um sonho distante, uma utopia! Com o passar do tempo, nossa dedicação demasiada ao trabalho pode se tornar parte de nós mesmos e esquecermos como é bom e saudável nos divertir no nosso tempo livre.

DSC03845aInfelizmente, muitos se dão conta disso apenas quando já estão tomados por sentimentos de stress, dores, ansiedade, ou até inviabilizados com alguma doença. Nestas pessoas, esses desequilíbrios podem acarretar sintomas que são sinais de que o estado emocional está comprometido, as energias vitais estão sendo canalizadas de modo errado ou bloqueadas. Por isso é importante que restabeleçamos contato com a nossa totalidade, a nossa verdadeira fonte de energia…darmos uma pausa para fazer algo que realmente faça diferença para o nosso ser!

Para mim, tinha que ser algo que fizesse diferença nas férias que se aproximavam…Um desejo que estava escondido dentro de mim a muito tempo. Sabia que para realizá-lo, quanto mais o tempo passasse mais ele ficaria distante, pois a necessidade de superar nossos limites na aventura era incompatível com o avançar da idade!

Foi por isso, que depois de muito esperar, depois de um período extremamente produtivo no trabalho, com muito stress acumulado, coloquei a bagagem na motocicleta, minha esposa na garupa, e junto com amigos partimos para a aventura no Chile…

__________________________________________________________________________________________
Texto: José Maria
Imagens: Integrantes da Viagem
Viagem ao Chile, em Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas

Viagem ao Chile de Harley-Davidson: DVD da viagem

No DVD, que acabou de ser finalizado, é registrado em belíssimas imagens a  aventura de 6 casais de Campinas numa viagem em motocicletas Harley-Davidson de Campinas/SP até Santiago do Chile. No DVD estão imagens do grupo em suas motocicleta cruzando o Brasil, as planícies da Argentina, as montanhas geladas da Cordilheira dos Andes , o Chile e o Uruguai. Nos menus do DVD está também disponível o Diário de Bordo com os “causos” da viagem, informação de Hotéis, mapas, distâncias, etc.

DVD Caminho de Santiago - Out2008

Durante a viagem, o charme na travessia das pequenas cidades,  foi interagir com os moradores e funcionários dos pequenos estabelecimentos comerciais. Muitaspessoas também se aproximavam do grupo atraídos pela curiosidade nas possantes motocicletas Harley-Davidson, extremamente raras no interior da Argentina.

Nas grandes cidades, como Corrientes, Santa Fé e Mendoza, o grupo visitou museus,vinícolas, Cassinos e desfrutou a boa comida dos restaurantes argentinos.

Com certeza o destaque especial no DVD foi dado para a travessia das geleiras da Cordilheira dos Andes, mostrando o grupo viajando nas motocicletas e parando para curtir as belíssimas paisagens da estrada. São também destacadas as visitas  na Puente del Inca, na estação de esqui Portillo e a descida da Cordilheira  dos  Andes no lado Chileno, no trecho da estrada conhecido como Los Caracoles.

O merecido relax do grupo foi na bela cidade chilena de Viña de Mar, após a árdua viagem de travessia da Cordilheira dos Andes. Em Santiago o ponto alto foi a visita ao Mercado Público e o registro da troca da Guarda no Palácio La Moneda.  Em Buenos Aires, após cruzarem novamente os Andes e o inóspito interior da Argentina,  é mostrado no DVD a visita do grupo à loja Harley-Davidson e aos pontos turísticos tradicionais da cidade. A diversão noturna do grupo foi o  imperdível Show no Madero Tango, muito bem registrado no DVD.

Casapueblo - Punta Balena - Uruguai

Casapueblo – Punta Ballena – Uruguai

O DVD registra também a passagem do grupo pelo Uruguai onde visitaram pontos turísticos nas cidades de  Montevideo e Punta del Este. Especialmente em Punta Ballena, pouco antes de chegar em Punta del Este, o grupo visitou a exótica e impressionante Casapueblo, um misto de hotel resort, atelier, museu de arte e residência do artista plástico Carlos Paez Vilaró.

Na volta ao Brasil, durante a passagem pelas cidades da Serra Gaucha, o DVD registra a contagiante alegria do grupo se divertindo no trem turístico de Bento Gonçalves a Carlos Barbosa, com parada para degustação  de vinhos em Garibaldi. O passeio pela serra gaúcha é complementado por imagens do grupo nas cidades de Gramado, Canela e Caxias do Sul.

Finalmente, o DVD registra a emocinante chegada das motos em Campinas/SP após 23 dias de viagem e mais de 8 mil km rodados.

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

Camino de Santiago (Chile Motorcycle Adventure)

And so, after a long wait, in an ordinary morning of an ordinary day, I put the luggage on the motorcycle, met my friends, and for the adventure we went on.

I decided not to fear the challenges but to confront them …
I decided to see every problem as a solution to be found …
I decided to see each desert as a presage to an oasis …
I decided to see each night as a mystery to decipher …
I decided to see each day as a new opportunity to be happy to see magnificent sceneries and to live moments the uninitiated cannot even imagine…

On the journey, I discovered that our only rival was not the unknown but our own limitation and to face them was the best, and actually, the only way to defeat them.

On the journey, we found out we were not the best on anything and probably never had been. I stopped worrying about who wins or who loses, now I just care about doing the best I can.

I learned that to get up there is not as difficult as not trying to climb. I learned that the greatest triumph is to be able to call someone “friend”. I learned that love is more than just a state of being enamored, love is a philosophy of life that helps us overcome the challenges by sharing them.

On the journey, I stopped being a mere reflection of my past real or imaginary successes and began to be a light on my own. And I learned that our light is of no use if we don´t brighten the path of others.

After the journey, I decided to change so many things.
I learned that dreams exist to become reality.
And since then I don´t sleep to rest …

Now I simply sleep to dream!

________________________________________________________________________________________

Texto: José Maria (adaptação livre de texto da Internet)
Imagens: Integrantes da viagem
Viagem ao Chile, em  Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas

Caminho de Santiago (de moto rumo ao Chile)

E assim, depois de muito esperar, numa manhã de um dia como outro qualquer, coloquei a bagagem na motocicleta, e junto com amigos, decidi partir para a aventura.

Decidi não temer os desafios e sim, eu mesmo procurar superá-los… Decidi ver cada dificuldade como uma oportunidade para encontrar uma solução… Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis… Decidi ver cada noite como um mistério a resolver… Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz vendo paisagens magníficas e vivendo momentos inimagináveis para os não iniciados…

Na viagem descobri que nosso único rival  não era o desconhecido, e sim nossas próprias limitações  e que enfrentá-las era a única e melhor forma de superá-las.

Na viagem, descobrimos que nós não éramos os melhores e que talvez  nunca tivéssemos sido. Deixei de me importar com quem ganha ou perde, agora, me importa simplesmente saber melhor o que fazer.

Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima  e, sim, deixar de subir. Aprendi que o maior triunfo é poder chamar a alguém de “amigo”. Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, o amor é uma filosofia de vida e ele ajuda a superar os desafios compartilhando-os.

Na viagem, deixei de ser um reflexo dos meus triunfos passados  e passei a ser a minha própria luz no presente. Aprendi que de nada serve ser luz  se não iluminar o caminho dos demais.

Após a viagem decidi trocar tantas coisas…
Aprendi que os sonhos existem para se tornar realidade….
E, desde esta viagem, já não durmo para descansar….
Simplesmente durmo para sonhar!

________________________________________________________________________________________

Texto: José Maria (adaptação livre de texto da Internet)
Imagens: Integrantes da viagem
Viagem ao Chile, em  Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas

Endless Road (Chile Motorcycle Adventure Tour)

And so, after a long wait, in an ordinary morning of a day like any other, I put our luggage on the motorcycle, met my friends, and for the adventure we went!

In 23 days of journey and 5,000 miles from start to finish, our bikes had their share. Along the way many challenges awaited for us, but in our experience wind, rain, ice or height were no obstacles.

In the end, nothing stayed on our way or prevented us from reaching our goal and to come back safe and sound. And nothing was better than returning to find that the road that begins at our door is endless.

DSC00358SepiaHSpeqFar worse than climbing up and down the frigid Andes would be not even getting there or never having left the familiar roads of our lives. Even if only to realize how warm and comfortable they are.

I felt an undescribable sensation driving around ices so far away from home. In this journey, I discovered that we need to travel on our own, not through stories, pictures, books or TV. We need to travel following our own eyes and feet (or wheels!) to better understand our limits and fears and then we can live the fullness of all wonders around us.

We need to know the cold to enjoy the warmness, to feel the distance and homelessness in order to appreciate being under our own roof. We need to travel to places we don´t known to break down the arrogance that makes us see the world as we imagine, and not simply as it is.

That makes us teachers and doctors of things we never knew…
When we should just be students and go to learn!

_________________________________________________________________________________________

Texto: José Maria (adaptação livre do livro “Mar sem Fim” do Amyr Klink)
Imagens: Integrantes da viagem
Viagem ao Chile, em  Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas

Estrada sem Fim (de moto rumo ao Chile)

E assim, depois de muito esperar, numa  manhã de um dia como outro qualquer, colocamos nossa bagagem na motocicleta, e junto com amigos, partimos para a aventura!

Em 23 dias de viagem e nos mais de  8 mil km rodados, do início ao fim, as nossas motos fizeram a sua parte.  Ao longo do caminho, muitos desafios nos esperavam, e em nossa provação nem o vento, nem a chuva, nem o gelo nem a altitude foram obstáculos.

No fim nada impediu nosso caminho, nem que cumpríssemos a nossa meta e voltássemos íntegros em nossas motos.
E nada foi melhor do que voltar para descobrir que a estrada que parte da nossa porta não tem mesmo fim.

DSC00358SepiaHSpeqPior do que passar frio subindo e descendo as montanhas dos Andes seria não ter chegado até lá, ou nunca ter deixado as  conhecidas estradas das nossas vidas.  Mesmo que fosse apenas para descobrir o quanto  elas são quentes e confortáveis.

Eu senti um estranho bem-estar ao contornar gelos tão longe de casa.

Nesta viagem descobri que precisamos viajar por nossa conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV.
Precisamos viajar com nossos próprios olhos e pés (ou rodas!) para entender melhor os nossos limites e medos, e com isso podermos viver a total plenitude das maravilhas que nos cercam.

Precisamos conhecer o frio para desfrutar do calor e o oposto, sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto.  Precisamos viajar para lugares que não conhecemos, para quebrar a arrogância que nos faz ver o mundo como imaginamos, e não simplesmente como ele é.

Que nos faz professores e doutores do que não vimos…
Quando deveríamos  ser alunos e simplesmente ir ver !!

_________________________________________________________________________________________

Texto: José Maria (adaptação livre do livro “Mar sem Fim” do Amyr Klink)
Imagens: Integrantes da viagem
Viagem ao Chile, em  Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas

Viagem ao Chile de Harley-Davidson

Índice

Campinas-Guarapuava
Puerto Iguazu/AR
Corrientes/AR
Santa Fé/AR
Mina Clavero/AR
Mendoza/AR
Viña del Mar/CH
Santiago/CH
San Luis/AR
Pergamino/AR
Buenos Aires/AR
Montevideo/UR
Punto del Este/UR
Porto Alegre
Caxias do Sul
Ponta Grossa
Ponta Grossa-Campinas

A Partida de Campinas

Na manhã do dia 18 de outubro de 2008 iniciou a aventura! Um grupo de  6 casais integrantes do HOG Campinas partiram para uma viagem de moto, sem carro de apoio, de 23 dias de duração, percorrendo cerca de 8 mil quilômetros de Campinas/SP até Santiago do Chile e seguindo o roteiro abaixo. O animado grupo de amigos era  formado pelos casais: Betão/Marli, Gera/Solange, Hélio/Cris, Jeff/Maria Helena, Zé Maria/Imaculada e Marcão/Beth  que viajaram  em suas Harleys.

mapaviagempeq

Trajeto da Viagem de moto ao Chile – Novembro 20008

Assista ao vídeo da viagem:

18/10/2008 Campinas/Guarapuava 670 km

Cidade: GUARAPUAVA (Paraná/Brasil)
Chegada 18/10/2008 saída 19/102008
San Marino Palace Hotel, Rua Inácio Karpinski nº 899
Tel: 42 3624 32 00 contacto: Patrik
Diária casal: R$80,00 com café da manhã (A/C , Frigobar, Estac.)

O ponto de encontro em Campinas na manhã do dia 18 de outubro foi o Ventura Mall. Após um rápido café da manhã saímos para encontrar os colegas Betão, Geraldo e Marcão em um posto de gasolina em Tatuí a 160 km de Campinas. O céu estava aberto, mas perto de Sorocaba o tempo fechou e tivemos que parar na rodovia para colocar as capas de chuva.

Conforme combinado previamente, o Betao conduziria o grupo até Santa Fé, na Argentina. Durante a viagem para Guarapuava a chuva fina foi constante, com breve intervalos sem chuva. Almoçamos em Castro e chegamos em Guarapuava no meio da tarde. O primeiro jantar do grupo na viagem foi numa pizzaria onde, além do chopp, foi acertado detalhes em aberto da viagem.


_______________________________________________voltar ao índice

19/10/2008 Guarapuava/Porto Iguazú 405 Km

Cidade: PUERTO IGUAZÚ (Missiones/Argentina)
Chegada 19/10/2008 saída 20/10/2008
Hotel Carmen, Ruta 12 Km 4,5 Puerto Iguazú
Tel: 0021 54 3757 424 047 contacto Márcia
Website:
www.hotelcarmenteresa.es/iguazú
email:iguazu@carmenteresa.com
Diária casal: ARS 220,00 com café da manhã (A/C, Frigobar, Estac.)

Saímos as 7:30 hs da manha, com um forte frio e céu nublado mas sem chuva. Por precaução, colocamos capas de chuva que tiveram que ser tiradas no meio do dia, visto que o céu se abriu com um sol maravilhoso. Chegamos em Puerto Iguazu no inicio da tarde e fomos ao Freeshop fazer compras. Em seguida fomos comer Parrilla no centro da cidade.

A moto do Marcão estava com problemas na injeção com dificuldades para dar partida. Contatamos o PHD Bam-Bam que nos indicou um mecânico para ver a moto no dia seguinte. Entretanto, o Geraldo às 23 hs do domingo, colocou um rele novo na moto e o problema foi resolvido. O Marcão em agradecimento lavou a moto do Geraldo, visto que todas estavam imundas devido à chuva dos dias anteriores.


_______________________________________________voltar ao índice

20/10/2008 Porto Iguazú/Corrientes 615 km

Cidade: CORRIENTES (Corrientes/Argentina)
Chegada 20/10/2008 saída 21/10/2008
Hostel Del Rio Hotel, Rua Plácido Martines nº 1098 (NÃO RECOMENDAMOS FICAR NESTE HOTEL!!!)
Diária casal: USD 53,00 com café da manhã

Saímos pontualmente às 7:30 horas já no horário de verão (Argentina também adotou no dia 19/10!). O calor estava insuportável, para isso o remédio foi acelerar mais e ficar com pouca roupa. Almoçamos em Ituzaingo, uma pequena cidade turística nas margens do rio Paraná.

Chegamos em Corrientes no meio da tarde e saímos para um City Tour de moto, parando na avenida Costaneira que margeia o Rio Paraná para comermos e bebemorarmos com muito chopp. Tivemos a companhia de um Argentino (Carlos) dono de uma moto Honda que ficou com a gente tomando chopp.

Notamos como as motos Harleys chamam muita atenção na Argentina, em todo lugar querem tirar fotos da gente! Foi assim que o Carlos se aproximou do nosso grupo para tirar fotos das nossas Harleys.


_______________________________________________voltar ao índice

21/10/2008 Corrientes/Santa Fé 564 Km

Cidade: SANTA FÉ (Santa Fé /Argentina)
Chegada 21/10/2008 saida 23/10/2008
Hotel Rio Grande, Rua San Geronimo nº2580/86
Tel: +54 342 4500 700 ou +54 342 4500 710 contacto Sra. Salomé
email:
riogrande@santafe.com.ar
Diária casal: ARS 512,00 com café da manhã.

Saímos na hora de costume desfilando as Harleys pela avenida Costaneira. A certa altura, o Carlos nos fez uma surpresa se juntando ao comboio e nos conduzindo com sua moto até a saída da cidade.

Rumamos para Santa Fé debaixo de um sol escaldante e um forte calor. A viagem pelo chaco argentino é uma coisa indescritível, a estrada é muito boa, muito reta, dando para desenvolvermos bem, principalmente com as motos abastecidas com a excelente gasolina Argentina.

Quando estávamos a 100 km de Santa Fé, um motorista nos avisou que estava chovendo granizo próximo de Santa Fé. Andamos mais um pouco e quando decidimos colocar as capas de chuva o céu desabou com uma chuva fortíssima.Reduzimos a velocidade e a mantivemos constante, chegando em segurança em Santa Fé.

Ficamos o dia 22 em Santa Fé, o que possibilitou que descansássemos e enviássemos a roupa para lavar no Hotel. Almoçamos uma excelente carne argentina (chorizo) e fizemos um city tour de moto pela cidade.

Ao lavarmos as motos no Hotel, percebemos que a plataforma da moto do Zé Maria estava bamba e encontramos um misterioso parafuso debaixo da moto do Helio. O Betao apertou a plataforma da moto do Zé Maria e o mistério do parafuso da moto do Hélio continuou pois ninguém sabia de onde ele era….Quando o Geraldo chegou do Cassino ele imediatamente localizou de onde era o parafuso: era do suporte do escape! O Helio ficou muito agradecido e novamente o Geraldo teve mais uma lavagem da sua moto na “faixa”

_______________________________________________voltar ao índice

23/10/2008 Santa Fé/Mina Clavero 509 Km

Cidade: MINA CLAVERO (Córdoba/Argentina)
Chegada 23/10/2008 saida 24/10/2008.
Hotel Panaholma Sierra, Av. San Martin nº1.840
Tel: 0021 54 3544 472 181 ou 470 779 contacto: Carlos ou Estela
Website:
www.translasierra.com/panaholmasierras
email:panaholmasierras@yahoo.com.ar
Diária casal: ARS 140,00 com café da manhã.

Saímos às 7:30hs rumo a Mina Clavero com tempo bom mas com temperatura abaixo de 5 graus e ao meio dia o calor era muito forte exigindo que grande parte das roupas fossem tiradas. O Zé Maria foi conduzindo o grupo neste trecho da viagem.

Fomos até Córdoba em uma estrada plana e reta, onde a monotonia era quebrada ao atravessarmos os pequenos lugarejos. Almoçamos na Villa Carlos Paes, uma pequena cidade turística na beira de um lago perto de Córdoba.

Após o almoço rumamos para Mina Clavero atravessando as “Altas Cumbles”, uma cadeia de montanhas que corta o chaco deixando a paisagem bastante diferente. Neste trecho subimos a cadeia de montanhas que tinha uma paisagem com aspecto “lunar” e um solo bastante pedregoso e com curvas maravilhosas, principalmente para nós que estávamos cansados de andar nos dias anteriores pelo chaco e suas estradas planas e retilíneas. Paramos algumas vezes para tirar fotos.

Chegamos em Mina Clavero no final da tarde. Embora a cidade fosse pequena (um pouco menor que Monte Alegre do Sul/SP), ficamos um bom tempo procurando o Hotel, foi o bastante para marcarmos nossa presença na cidade nas Harleys enormes montadas por forasteiros com roupa de couro preta. Após o City Tour forçado, chegamos no Hotel, descarregamos as motos e fomos almoçar em um simpático restaurante familiar (Pai, mãe e filhas dividem a cozinha e o atendimento) nas margens do rio que corta a cidade.

Mina Clavero / Argentina - Nov 2008

Mina Clavero / Argentina – Nov 2008


_______________________________________________voltar ao índice

24/10/2008 Mina Clavero/Mendoza 470 Km

Cidade: MENDOZA (Mendoza/Argentina)
Chegada 24/10/2008 saida 26/10/2008
Hotel Íbis Mendoza, Lateral Sur acesso Este nº 4241
Tel: +54 261/ 426 4600
Diária Casal: R$ 143,60, café da manhã R$ 8,22

Saímos às 7:30hs debaixo de um forte frio (menos de 5 graus) para atravessar o trecho mais inóspito da nossa viagem. Foram cerca de 260 km sem parar por falta de lugar para parada…quando encontramos um posto de gasolina já estávamos em San Luis.

Estranhamente, nenhuma das motos estava com a luz de reserva acesa! Deduzimos que a excelente gasolina da Argentina, aliada ao fato de termos viajado em terreno plano com velocidade constante de cerca de 120 km/h fez com que o nosso consumo fosse baixo.

Almoçamos sanduíches no posto de gasolina e rumamos para o trecho final com destino a Mendoza. Ao cruzarmos os estados de San Luis para Mendoza, o Marcão se enganou e passou pelo local destinado a desinfecção de caminhões, para eliminar pragas agrícolas, resultado: tomou um esguicho de um líquido não identificado…

Paramos mais uma vez em um posto onde havia um ônibus com um monte de velhinhas de Buenos Aires em excursão, para variar chamamos muito a atenção em nossas Harleys. O Helio fez o maior sucesso com as velhinhas e apesar da Cris estar nas redondezas ele deixou muitas velhinhas apaixonadas…

Chegamos em Mendoza no meio da tarde e fomos para o Hotel Ibis. O Jeferson ligou para o PHD Enrique de Mendoza, que recomendou um mecânico para olhar a sua Harley. A moto estava com nível baixo de óleo e com aspecto escurecido. O mecânico trocou o óleo e diagnosticou que estava tudo bem com a moto. À noite fomos jantar no centro da cidade, alguns rumaram para o Cassino local e outros foram dormir.

No dia 25 fizemos um City Tour de Van em uma Vinícola que tinha em anexo um excelente Museu do Vinho. Fomos a um Museu Histórico de Mendoza, ao Cerro de La Glória e fomos almoçar em um restaurante típico. À noite fomos jantar no centro e alguns foram ao cassino.

Cerro de la Glória / Mendoza / Argentina - Nov 2008

Cerro de la Glória / Mendoza / Argentina – Nov 2008


_______________________________________________voltar ao índice

26/10/2008 Mendoza/Viña Del Mar 411 Km

Cidade: VINÃ DEL MAR (Chile)
Chegada 26/10/2008 saída 27/10/2008
San Martin Hotel, Av San Martin nº 667
Tel: +56 32 268 9191 Fax: +56 32 268 9195.contacto Sr Osvaldo
Website:
www.hotelsanmartin.com.cl
Diária casal: U$ 135,00 com taxas, inclui café da manhã

Após um excelente café da manha no Hotel Ibis, abastecemos as motos e checamos o óleo (a moto do Zé Maria teve o nível do óleo completado). Saímos de Mendoza às 7:30hs com o tempo encoberto e temperatura em torno dos 10 graus centígrados. Saímos bem agasalhados, mais para enfrentar a Cordilheira dos Andes do que a temperatura matinal de Mendoza.

Cruzamos a Cordilheira parando várias vezes para fotos e filmagens, rodamos cerca de 150 km rodeados por montanhas com os cumes e paredes cobertas de neve!! A paisagem era fantástica…Após o túnel, logo na fronteira do Chiile (Aduana),o Marcão resolveu plagiar o Papa João Paulo II que beijava o solo logo quando entrava em um novo país: ele tombou a Elektra parada (com a Beth na garupa) em frente aos guardas do posto aduaneiro e beijou o chão!

Cruzando de moto a Cordilheira dos Andes - Nov 2008

Cruzando de moto a Cordilheira dos Andes – Nov 2008

Mais a frente paramos em Portillo, uma estação de esqui às margens da rodovia, onde tem um charmoso lago em frente a um Hotel com o mesmo nome. Em seguida, descemos os caracoles (estrada com inúmeras curvas na descida dos Andes no lado Chileno) e rumamos para Viña del Mar, uma elegante cidade praiana do Chile.

DSC05406peq

Zé Maria Imaculada – Lago Portillo/Chile – Novembro 2008

Em Viña del Mar descarregamos as motos e fomos passear pela orla da cidade visto que o Hotel San Martin ficava muito bem localizado perto de pontos de interesse (restaurantes, Cassino, etc.). Jantamos no próprio Hotel, uma vez que todos os restaurantes estavam fechados devido a lei eleitoral chilena que manda fechar estabelecimento no dia de eleição (era dia de eleição de prefeitos no Chile).


_______________________________________________voltar ao índice

27/10/2008 Viña Del Mar/Santiago 135 Km

Cidade: SANTIAGO (Chile)
Chegada 27/10/2008 saída 29/10/2008.
Hotel Panamericano, Rua Teatinos nº 320 – centro
Tel: +56 2 672 3060 contacto Denize
email:
contacto@hotelpanamericano.com.cl
Diária casal: U$118,00 com imp., inclui café da manhã

Saímos do Hotel para abastecer as motos as 7:30hs. Dentro de Viña Del Mar em uma curva fechada o Geraldo praticamente parado tombou a moto com a Solange na garupa. Após o susto, visto que nada havia acontecido ao casal e com a moto, partimos para Santiago.

Hotel em Vina del Mar - Nov 2008

Hotel em Vina del Mar – Nov 2008

O tempo estava frio e com neblina, o que nos obrigou a colocar capa de chuva. No meio do caminho a moto do Geraldo quebrou a vareta de engate das marchas, ele amarrou com fio de cobre e continuamos a viagem.

Chegamos em Santiago no final da manha e fomos para o hotel Panamericano que fica bem no centro perto das atrações turísticas. Descarregamos as motos e fomos almoçar no excelente Mercado Público de Santiago.

Mercado Público de Santiago - Nov 2008

Mercado Público de Santiago – Nov 2008

Na parte da tarde o grupo se separou após uma fracassada ida até a loja da Harley Davidson (segunda feira era o dia da loja ficar fechada!), incluindo dores de cabeça com motoristas de táxi desonestos (tomem cuidado com táxi em Santiago!).

O programa noturno foi variado: o Betão/Marli e Geraldo/Solange foram em um Jantar com show típico e os demais ficaram no hotel descansando tomando vinho e comendo queijos, frios e contando casos e piadas.

No dia 28 contratamos uma Van para um City Tour na cidade, incluindo uma visita na Loja da Harley-Davidson. Na loja compramos camisetas e alguns acessórios, incluindo a vareta de engate das marchas para a moto do Geraldo.

Após a saída da Loja HD finalizamos o City Tour com uma visita a um bairro elegante de Santiago, localizado em uma colina que tem uma bela vista para a cidade e para a Cordilheira dos Andes. Em seguida o grupo se separou, parte indo passear de teleférico e parte foi ao excelente Museu de Arte Pré-Colombina do Chile. No jantar o grupo se dispersou, alguns jantaram no Hotel outros no calçadão próximo ao hotel.


_______________________________________________voltar ao índice

29/10/2008 Santiago/San Luis 619 Km

Cidade: SAN LUIS (San Luis/Argentina)
Chegada 29/10/2008 saída 30/10/2008
Hotel Quintana, Av Pte. Arturo Illia nº 546
Tel/Fax: +54 2652 e 438400/404 contacto Patrícia
email:
reserva@hotelquintana.com.ar
Diária casal: ARS 300,00 com café da manhã

Planejamos sair mais cedo visto que o trecho incluía a subida da cordilheira, parada na aduana, parada para fotos, etc. Entretanto acabamos conseguindo sair somente às 7:30hs. Compensamos o atraso com uma saída rápida da cidade de Santiago, pois o Hotel estava a 3 quadras da Ruta 5 que nos levava direto para fora da cidade rumo aos Andes.

O céu estava límpido com um azul luminoso que fazia as Harleys brilharem ainda mais na estrada. A temperatura estava agradável, mas saímos bem agasalhados, pois não sabíamos como estava o tempo no topo da Cordilheira. Como esperado a temperatura caiu no topo da Cordilheira, mas o céu continuou azul com um sol que amenizava a temperatura.

Cruzamos a fronteira Chile/Agentina sem problemas nem atrasos. Paramos na Puente del Inca, uma ponte natural de pedra feita pela natureza através da deposição de sedimentos do rio Las Cuevas. Embaixo da ponte natural tem as ruínas de um antigo SPA da década de 40, que foi destruído por uma enchente. Como a Puente del Inca é um local bastante conhecido, haviam inúmeros carros e ônibus com turistas no local.

Mais uma vez pudemos constatar como as nossas Harleys chamavam a atenção. Fomos literalmente cercados por adolescentes que estavam em um ônibus, primeiramente interessados nas Harleys e em seguida o interesse aumentou ao perceberem que o idioma que nos comunicávamos era o Português! Dispararam inúmeras perguntas até que chegou uma argentina falando um português sem sotaque, que explicou que era uma excursão de estudantes de Santa Fé na Argentina. Acrescentou que ela era professora de língua Portuguesa daquela garotada e que eles iriam fazer um trabalho após o retorno da viagem…

DSC00378peq

Puente del Inca/Andes/Argentina – Novembro 2008

Nos despedimos após inúmeras fotos dos adolescentes nas motos e continuamos a viagem com a certeza que as nossas Harleys iriam inspirá-los no trabalho escolar onde iriam narrar como eles encontraram 12 brasileiros vestidos em trajes negros de couro em seis motos enormes no meio da Cordilheira dos Andes!

Paramos para abastecer as motos e almoçar em Uspallata, uma cidadezinha no meio dos picos nevados da Cordilheira dos Andes. Tiramos um pouco de agasalho, visto que a temperatura estava aumentando gradualmente a medida que a cordilheira terminava. Em pouco tempo estávamos nas conhecidas estradas planas e retilíneas das planícies argentinas!

Cruzamos Mendoza rapidamente a 120 km/h e rumamos para San Luis onde chegamos às 19:00hs com o céu ainda claro. Como a cidade de San Luis era apenas uma parada técnica, jantamos no Hotel e fomos descansar mais cedo.


_______________________________________________voltar ao índice

30/10/2008 San Luis/Pergamino 605 Km

Cidade: PERGAMINO (Buenos Aires/Argentina)
Chegada 30/10/2008 saída 31/10/2008
Hotel Americano, Rua Merced nº418
Tel: +54 2477 424868 ou +54 2477 440430 contacto Sr Rodolfo
Website:
www.hotel-americano.com.ar
email:hotamericano@ciudad.com.ar
Diária casal: ARS 210,00 com café da manhã

Saímos as 7:30hs do hotel Quintana e rumamos via Ruta 8 para Pergamino. Escolhemos a Ruta 8, um pouco mais longa que a Ruta 7, para evitarmos o trafego pesado de caminhões. O volume de trafego estava OK, mas foi o pior piso de estrada que pegamos na viagem.

Durante toda a viagem e também neste trecho foi possível constatar fatos que os colegas do Brasil tem nos perguntado bastante: Como é a convivência de motos com outros veículos nas estradas da Argentina? Com certeza os caminhoneiros argentinos gostam ou admiram mais Harleys que seus companheiros brasileiros. Durante toda a nossa viagem, tivemos uma forte cooperação dos caminhoneiros. Seja nos avisando sobre ultrapassagem segura, seja buzinando e acenando para nos saudar!

Outra pergunta freqüente tem sido sobre o comportamento da policia nos paises visitados: passamos por inúmeras barreiras e postos policiais e não fomos incomodados… Acenavam e mandavam as motos passar, tínhamos a impressão que em alguns casos queriam ate facilitar o nosso caminho!

Chegamos em Pergamino no meio da tarde, abastecemos as motos e rumamos para o Hotel. Como era uma parada técnica e a cidade não apresentava grandes interesses o grupo se dispersou para o jantar.


_______________________________________________voltar ao índice

31/10/2008 Pergamino/Buenos Aires 231 Km

Cidade: BUENOS AIRES (Argentina)
Chegada 31/10/2008 saída 02/11/2008
Hotel Holiday Inn Porto Madero, Av. Leandro N. Alem nº770
Tel: +54 11 4311 5200 contacto Brasil: Fernanda tel: (11) 3711 5660.
Diária casal: U$ 197,00 com café da manhã.

Saímos de Pergamino as 7:00hs da manha. O piso da Ruta 8 neste trecho era melhor o que possibilitou desenvolvermos maior velocidade na estrada. Neste trecho o Zé Maria transferiu a condução do grupo na estrada para o Geraldo.

Na entrada de Buenos Aires, tivemos a oportunidade de conviver com dois extremos inesperados de comportamento de motoristas argentinos. Decidimos ir para a loja Harley Davison antes de ir para o Hotel, visto que era bastante cedo para o check-in. Quando paramos brevemente na lateral de uma autopista interna a Buenos Aires, parou um Ford Ka e um argentino saiu do carro perguntando se precisávamos de ajuda. Ao saber nosso destino se ofereceu para nos escoltar até o início da Avenida El Libertador onde a Loja da Harley ficava uns 8 quilômetros à frente.

Na Avenida El Libertador, mal acenamos e buzinamos agradecendo a ajuda do motorista do Ford Ka e passou uma Harley Davidson Elektra por nós, sem fazer nenhum sinal ou cumprimento. Quando chegamos na loja HD, lá estava a Elektra estacionada. Estacionamos as nossas motos e o Geraldo notou que era um modelo diferente da Elektra brasileira (sem Tour Pack) e comentou conosco mostrando alguns detalhes diferentes na moto (apenas apontando de perto). O Argentino saiu da loja visivelmente irritado dizendo que estávamos mexendo na moto dele…dizia que ele não mexia nas nossas motos e que portanto devíamos ficar longe da dele! Ignoramos a presença do argentino e fomos comprar camisetas e acessórios na loja!

Deixamos as motos estacionadas na Loja HD e almoçamos no excelente restaurante La Campiña do outro lado da rua. Após o almoço rumamos para Porto Madero onde ficava o Hotel Holliday Inn. Chegando no hotel, descarregamos as motos e fizemos reservas para o Show “Madero Tango” logo mais a noite. Além do musical, o Show incluiu um requintado jantar num ambiente muito especial com belíssima vista para Porto Madero (US$68,00 por pessoa). Retornamos á meia noite para o Hotel satisfeitos por ter tido a oportunidade de ir em um Show de Tango de excelente qualidade.

No dia 01 de novembro, contratamos um Van para um City Tour aos principais pontos turísticos de Buenos Aires. Compramos os tickets para o Buquebus (balsa da travessia do Rio da Prata para o Uruguai) para viajar no dia seguinte. Em seguida o grupo se dispersou para o almoço. O programa noturno foi o bonito Cassino de Porto Madero que fica em um barco. O Geraldo estava com sorte e ganhou cerca de 1000 pesos (US$400).

dsc10551peq

Casa Rosada / Buenos Aires / Argentina – Nov 2008


_______________________________________________voltar ao índice

02/11/2008 Buenos Aires/Montevideo 190 Km

Cidade: MONTEVIDEO (Uruguai)
Chegada 02/11/2008 saída 04/11/2008
Hotel Íbis Montevideo, Calle La Cumparsita nº1473- rambla sur
Tel: +59 82 413 7000 Fax +59 82 413 6245
email:ibismontevideo@accor.com.ur
Diária casal: R$ 77,00, café da manhã R$9,40

Embora o Hotel em Buenos Aires ficasse perto do Buquebus, saímos do Hotel as 7:30hs para chegarmos 1 hora antes do embarque marcado para as 8:45hs. Fizemos a migração e embarcamos as motos sem imprevistos. Chegamos as 10:00hs em Colônia Del Sacramento no Uruguai onde pegamos cerca de 190 km ate Montevideo em uma excelente estrada.Chegamos ao Hotel Ibis, desembarcamos a bagagem e desfilamos nossas Harleys pela Avenida Costaneira ate o Mercado Público onde almoçamos. O Mercado Público fica numa área recuperada da desgastada zona portuária de Montevideo.Após o almoço, fizemos um rápido City Tour pelo centro da cidade. Na praça central o Zé Maria se distraiu na condução da moto para facilitar as filmagens que a Imaculada estava fazendo na garupa e avançou um sinal vermelho bem na frente de um carro de polícia estacionado. Ele ligou a sirene e foi atrás da moto, emparelhou e educadamente solicitou a atenção na pilotagem ao Zé Maria.No dia 03 fizemos um City Tour de Van pelos pontos mais interessantes da cidade. Após o City Tour pegamos as motos e fomos passear pela Avenida Costeira, que é extremamente longa. Almoçamos em um dos restaurantes a beira mar e em seguida continuamos o passeio de moto pela cidade. Alguns foram até um evento automobilístico onde estava a Harley-Davidson de Montevideo (por causa deste evento a loja estava fechada!), entretanto não conseguiram comprar camisetas!

_______________________________________________voltar ao índice

04/11/2008 Montevideo/Punta del Leste 140 Km

Cidade: PUNTA DEL LESTE (Uruguai)
Chegada 04/11/2008 saída 05/11/2008.
Hotel Days Inn Mansa, Rambla Willian P3 s/n
Tel: +59 8 42 484353 contacto Gabriel
Diária casal: U$87,00 com café da manhã

Saímos às 8:30hs do Hotel rumo a Punta del Este, sob um céu muito azul e sol brilhante. A partir deste trecho o Jeferson passou a guiar o grupo até Campinas. Planejávamos passar pela Casa Pueblo alguns quilômetros antes de Punta del Este para visitar o atelier do artista Carlos Paz. Ao chegarmos no trevo de ligação para a Casa Pueblo, o Betão notou que seu pneu traseiro estava muito baixo. Decidiu ir atrás de um posto para enchê-lo e verificar a necessidade de borracheiro. O Geraldo foi atrás do Betão e os demais foram para a visita a Casa Pueblo.Casa Pueblo.

Casapueblo - Punta del Este - Uruguai

Casapueblo – Punta del Este – Uruguai

Rumamos em seguida para o Hotel Days Inn em Punta del Este, desembarcamos a bagagem das motos e o grupo se dispersou para o almoço. O Betão se juntou ao grupo que almoçou no restaurante a beira-mar em frente o Hotel. Ele explicou que teve que ir a um borracheiro com experiência em Harleys que tirou o pneu e recuperou uma rachadura no mesmo (desconfiou de defeito de fabricação!) e recomendou que o Betão não andasse em velocidades acima de 120 km/h.

Jantamos no mesmo restaurante à beira mar e à noite fomos ao Cassino Conrad ao lado do Hotel Days Inn.

_______________________________________________voltar ao índice

05/11/08  Punta del Leste/Porto Alegre 740 Km

Cidade: PORTO ALEGRE (RG do Sul/Brasil)
Chegada 05/11/2008 saída 06/11/2008.
Hotel Íbis Aeroporto, Av das Industrias nº1342 Navegantes
Tel: (51) 3018 1800 ou 3018 1801
reserva:
www.accorhotels.com.br
Diária casal: R$135,00, café da manhã R$ 9,50.

Como o trecho deste dia era longo, antecipamos a saída para as 7:00hs da manhã. Saímos agasalhados debaixo de uma temperatura amena e um céu com nuvens, mas prometendo que se abriria. Como prevíamos logo o céu estava totalmente azul e o sol escaldante.

Fizemos dois trechos de 220km e 260 km para abastecimento, não porque que queríamos andar, mas por falta de postos de gasolina. O Zé Maria e a Imaculada saíram de Punta del Este com sintomas de gripe que se manifestou na viagem através de dor no corpo tosse e congestão nasal.

Na hora de sair, após os trâmites aduaneiros na fronteira Uruguay-Brasil, a moto do Zé Maria entrou em uma pane elétrica e não dava partida. Tiramos os bancos para acessar o compartimento da bateria, e todos unidos em volta do problema, verificavam os contatos, fusíveis, etc. Após vários palpites, numa tentativa de partida da moto, pôde ser observado uma faísca do pólo positivo da bateria para o chassi da moto. Levantamos a bateria (que fica um pouco solta na Heritage!) e foi constatado que um dos cabos da bateria foi “descascado” com o atrito com o quadro da moto provocando o curto que apagou o sistema elétrico da moto. O Betão tinha fita isolante que foi usada para isolar o fio danificado. Recolocamos todos os componentes retirados da moto e demos a partida e a moto ligou normalmente sem problemas. Colocamos os bancos da moto e rumamos para o Brasil que ficava alguns quilômetros à frente.

No Brasil, por um longo trecho da BR471, cruzamos a Estação Ecológica do Taim. Além de uma paisagem deslumbrante, constatamos a rica fauna da região com os inúmeros animais silvestres que vimos nas margens da estrada.

Cruzando a Reserva Ecológica do Taim - Nov 2008

Cruzando a Reserva Ecológica do Taim – Nov 2008

Colocamos gasolina em Rio Grande quando o odômetro indicava 260 km. Almoçamos em local precário próximo ao Posto de Gasolina na cidade de Rio Grande.

Pouco depois de Pelotas o Jeferson, Betão e o Zé Maria foram parados pela Policia Rodoviária por ultrapassarem uma carreta em um trecho com faixa contínua. Nitidamente era uma “pegadinha” para incautos apressados uma vez que o trecho apresentava boas condições para ultrapassagem. Após meia hora de perda de tempo com os guardas fomos multados e retornamos para a estrada encontrando os outros 3 colegas parados mais à frente.

Chegamos ao Hotel Ibis de Porto Alegre por volta das 18:00hs. O grupo foi jantar numa Galeteria. O Zé Maria e a Imaculada ficaram no Hotel visto que a viagem foi mais cansativa para eles devido ao estado gripal que os dois se encontravam.


_______________________________________________voltar ao índice

06/11/2008 Porto Alegre/Caxias do Sul 124 Km

Cidade: CAXIAS DO SUL (RG do Sul/Brasil)
Chegada 06/11/2008 saída 08/11/2008.
Hotel Íbis Caxias do Sul, Rua João Nichelle nº2335-Sanvitto II
Tel (54) 3209 5555 ou 3209 5550
Website:
www.accorhotels.com.br
Código do Hotel 5470
Diária casal: R$ 89,00, café da manhã R$9,50.

Como estava previsto, saímos às 10:00hs. O Hélio e o Marcão foram logo cedo de táxi até a loja da Harley para comprar camisetas. Saímos todos com capas de chuvas às 10:00hs visto que o tempo estava fechado e com uma fina garoa.

Pegamos chuva em vários trechos até Caxias. O tempo chuvoso não obscureceu a beleza da paisagem da estrada BR116 no trecho da Serra Gaúcha. Como estávamos já cansados das estradas retilíneas e planas que permeou a maior parte desta viagem, pudemos nos esbaldar com as curvas da Serra Gaúcha, mantendo, entretanto, cuidado pelo fato do piso estar molhado.

Cruzando a Serra Gaúcha - Nov 2008

Cruzando a Serra Gaúcha – Nov 2008

Perto de Nova Petrópolis a ventoinha da moto do Betão quebrou a braçadeira e ele teve que amarrar com arame. Chegamos em Caxias do Sul antes da 13:00hs e contratamos uma Van para nos levar até Bento Gonçalves onde tomamos um trem turístico para Carlos Barbosa e Garibaldi. A viagem foi regada a vinho e muita música com atores fazendo humor nos vagões e nas paradas do trem. Nosso vagão estava lotado com crianças de uma escola local e demos muita risada com as brincadeiras.

Na volta para Caxias passamos em propriedade rural produtora artesanal de mate para chimarrão. Após minuciosa explicação de como o mate é processado tomamos chimarrão e fomos para a cidade de Caxias direto para o jantar em uma Galeteria.

dsc11190peq

Moinho artesanal de Mate para Chimarrão – Caxias do Sul – Nov2008

No dia 07 parte do Grupo contratou uma Van para um passeio em Gramado e Canela. Visitaram a Cascata Caracol, o Lago Negro e outros pontos turísticos. Fizeram compras e foram almoçar em um café colonial.

O Zé Maria e a Imaculada, por já conhecerem Gramado e Canela, optaram por uma visita com almoço na Vinícola Chateau La Cave. Visitaram o Castelo de Pedra, degustaram vinhos e fizeram um excelente almoço no castelo num ambiente requintado e ao mesmo tempo medieval.

O grupo se dispersou para o Jantar, alguns jantaram no Hotel Ibis e outros foram ao Shopping Iguatemi próximo ao Hotel.

_______________________________________________voltar ao índice

08/11/2008 Caxias do Sul/Ponta Grossa 625 Km

Cidade: PONTA GROSSA (Paraná/Brasil)
Chegada 08/11/2008 saída 09/11/2008.
Ponta Grossa Plaza Hotel, Rua Sete de Setembro nº 887 – Centro
Tel: (42) 3026 4000 Fax (42) 3026 4000 contacto Sr Bruno
Website:
www.pontagrossaplazahotel.com.br
Diária casal: R$100,00 com café da manhã.

Saímos as 7:00 hs do Hotel rumo a Ponta Grossa. O céu estava nublado, mas não saímos com capa, pois não havia previsão de chuva. O Zé Maria e a Imaculada, mais recuperados da gripe, saíram mais agasalhados do que o necessário para não arriscarem uma recaída na recuperação da gripe. O tempo foi se abrindo e por volta do meio dia não havia mais nuvens no céu e o calor era forte.

O trecho da estrada BR116 após Vacaria/RS estava com o piso horrível. Foi consenso no grupo que esta foi a pior estrada de toda a viagem. Mesmo os trechos recém reformados estavam com ondulações inaceitáveis para uma estrada da importância da BR116.

No início da tarde vimos no horizonte indício de chuva e decidimos colocar as capas, entretanto tiramos as mesmas quilômetros à frente visto que a ameaça de chuva desaparecera.

Chegamos em Ponta Grossa às 6:00 hs da tarde e fomos para o Hotel Ponta Grossa. Como a parada era técnica, jantamos no Hotel e ficamos no lobby do Hotel tomando chopp e conversando sobre os “causos” da viagem.


_______________________________________________voltar ao índice

09/11/2008 Ponta Grossa/Campinas 480 Km

Saímos do Hotel mais cedo que de costume, às 7:00 hs, pois alguns queriam almoçar com a família em Campinas. A temperatura estava agradável e pegamos neblina no primeiro trecho da estrada.

A neblina desenhava, junto com as araucárias e os campos verdes do interior do Paraná, uma paisagem deslumbrante. A densidade não era forte, mas o suficiente para fazer desaparecer na neblina as primeiras motos do comboio quando vistas pelo piloto da última moto. O serpentear das motos nas curvas rumo à neblina criava uma imagem surrealista. O céu se abriu e o sol brilhou durante o resto da viagem.

Almoçamos em uma churrascaria em Itapetininga. O Jeferson e o Marcão após abastecerem as motos continuaram viagem para almoçarem em casa. No trevo e Tatuí o Betão se separou do grupo rumo a Limeira, em Salto foi a vez do Geraldo.

Logo as motos do Zé Maria e do Hélio entravam imponentes em Campinas vindos da rodovia Santos Dumont. Visivelmente emocionados eles foram conduzindo vagarosamente as motos primeiramente pela Av. João Jorge em seguida pela avenida Aquidabã. Em suas mentes veio a lembrança da manha do dia 18/10, as motos com 8.061 km a menos em seus velocímetros, faziam a direção inversa rumo a Santiago do Chile.

Logo mais a frente, um som de sirene marcou a despedida das duas motos e após acenos das garupas rumaram para o Cambuí (Zé Maria ) e Nova Campinas (Hélio). Ao chegarem no prédio onde residem no Cambuí, o Zé Maria e Imaculada foram saudados por porteiros e moradores que presenciaram a chegada da moto e já sabiam de detalhes da viagem devido a reportagem sobre a viagem feita pelo Jornal Gazeta do Cambuí distribuído gratuitamente para todo o bairro Cambuí no dia 18/10/2008. A motocicleta estava diferente da reluzente moto fotografada pelo jornal, estava bastante suja (foi eleita a mais suja pelo grupo!). Como não foi lavada tinha inseto argentino, chileno e uruguaio grudado disputando os milímetros quadrados dos cromados e faróis.

Rendemos aqui, homenagens e agradecimentos finais a:

1) Nossas queridas garupas pelo companheirismo e valentia em ter nos acompanhado nesta viagem.

2) Nossas motocicletas Harley-Davidson que rodaram de forma impecável, apenas com pequenos imprevistos, pelos mais de 8 mil quilômetros da nossa aventura ao Chile.

3) Finalmente agradecemos ao nosso Anjo da Guarda por ter nos conduzido em segurança e com saúde por toda a viagem.

Veja mais sobre a viagem em nosso eBook!

__________________________________________________________________________________________
Texto: José Maria e integrantes da viagem
Imagens: Integrantes da Viagem
Viagem ao Chile, em Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas