lazer

Festa Tennessee Campinas HOG Chapter em Campos do Jordão

Neste último fim de semana fomos para o evento Bate e Fica Especial em Campos do Jordão do Tennessee Campinas H.O.G. Chapter.

O que fez deste um evento muito especial, foi o fato de ter sido o primeiro evento organizado por nós, atual Diretoria do H.O.G. Chapter. Os Hotéis Home Green Home (Hotel Oficial do Evento) e o Hotel Quatre Seasons tiveram suas  capacidades de hospedagem esgotadas com os participantes do evento.

O evento não ficou devendo nada se comparado com os grandes eventos promovidos no passado pelo H.O.G. Brasil. Como o tempo era de apenas uma noite, as atividades foram concentradas no almoço do dia 10/12, com uma divertida brincadeira de Amigo da Onça feita no Restaurante Mercearia Campos no centrinho da Vila Capivari e no Jantar com show de rock no salão do Hotel Home Green Home.

Depois de um excelente jantar,  a Banda Ghizzi brindou os presentes com grandes clássicos do rock como “Born to be Wild” com a voz do André Borges, “Route 66”, “Hotel California” e outros hits de sucesso.

A galera se entregou ao som forte do rock clássico da Banda Ghizzi na ótima companhia do Jack Daniels fartamente servido nas mesas.

O dia de sábado foi nublado mas sem chuva, já  a manhã de Domingo se descortinou com um céu azul maravilhoso que serviu de pano de fundo para um rápido passeio ao Pico do Itapeva, que era próximo ao Hotel. Em seguida todos foram rumo ao centrinho da Vila Capivari para passear, fazer compras e almoçar nas diversas  opções de restaurantes.

Veja as excelentes fotos feitas pelo Fernando Funtenma. 

Veja abaixo o Vídeo do Evento:


______________________________________________________________________
Texto: José Maria

HOG Campinas no Tiradentes Bike Fest 2010

Na manhã do dia 24/06, uma quinta-feira de inverno mas com um maravilhoso céu azul e sol brilhante, saimos de Campinas/SP eu, Arnaldo, Hélio e Marcão com as respectivas esposas, nas nossas motocicletas Harley-Davidson rumo a Tiradentes/MG para participar do 18º  Tiradentes Bike Fest 2010.

Após rápido almoço no posto Graal perto do trevo de Lavras, chegamos em Tiradentes por volta das 16:00hs da tarde após rodarmos cerca de 450 km e fazermos cerca de 2 paradas para abastecimento.

Gosto muito de Tiradentes, principalmente por causa das inúmeras opções Gourmet com excelentes restaurantes e ótimos vinhos! Nesta época do Bike Fest Tiradentes a cidade ferve com o desfile de possantes motocicletas. Alguns anos atrás as motos eram essencialmente da marca Harley-Davidson mas atualmente exite uma maior participação de outras marcas de motocicletas.

VEJA ABAIXO VIDEO DO PASSEIO AO TIRADENTES BIKE FEST 2010

Na quinta feira relaxamos num animado jantar na excelente pizzaria Atrás da Matriz onde entre cervejas e muito vinho todos sairam bastante “alegres” no final da noite.

Na sexta feira o programa foi assistir ao jogo Brasil x Portugal num bar da praça principal e em seguida ir almoçar comida tradicional mineira (frango com quiabo e feijão tropeiro) no aconchegante restaurante Pau de Angú que fica na estrada para Bichinho em um extensa área gramada com excelente vista da serra de São José. O jantar foi no restaurante Casa Tavarana, especializado em frutos do mar, risotos, massas, crepes, quiches e sopas. Como todos estavam “sem fome” por causa do farto almoço do dia, os pedidos foram as deliciosas sopas da casa acompanhadas de vinho.

No sábado o programa para alguns foi passear de moto até São João Del Rei e, no meu caso e da Imaculada, almoçamos um delicioso frango ao molho pardo no restaurante Estalagem do Sabor junto com familiares que fizeram um bate-e-volta de Juiz de Fora a Tiradentes. No jantar o grupo se dispersou e nós, como estávamos com vontade de comer massa, fomos à Tratoria Via Destra
e saboreamos uma deliciosa lasanha acompanhada de vinho.

Domingo de manhã, céu azul, sol maravilhoso e a estrada ansiosa nos esperando para o retorno à Campinas em nossas motocicletas! Voltamos com diversos casais amigos da região de Campinas que se revezaram num comboio de motos pela rodovia Fernão Dias. A viagem foi tranquila e agradável, a parada para o almoço foi no posto Fernandão em Pouso Alegre onde praticamente todos se encontraram antes de chegar em Campinas no meio da tarde.

Restaurante Atrás da Matriz
Rua Santíssima Trindade, 201
Tiradentes/MG
Tel. (032)3355-2150

Restaurante Pau de Angú
Estrada Real Tiradentes-Bichinho, marco 3
Tiradentes/MG
Tel. (032)9948-1692

Restaurante Casa Tavarana
Rua Frederico Ozanan, 320
Tiradentes/MG
Tel. (032)3355-1860

Trattoria Via Destra
Rua Direita, 45
Tiradentes/MG
Tel. (032)3355-1906

Restaurante Estalagem do Sabor
Rua Ministro Gabriel Passos, 280
Tiradentes/MG
Tel. (032)3355-1144
_________________________________________________________________________
Texto: José Maria

Viva mais a Vida!

O nosso organismo tem capacidade limitada de reagir às diversas ameaças que nos apresentam em nossas vidas, sejam ameaças reais ou apenas interpretadas pelo organismo como tal. Um exemplo comum de ameaça é o estado provocado ao nosso organismo pelos nossos medos.

Devemos entender como medo, toda ameaça real ou não, que é interpretada pelo organismo como um risco eminente. Existem também alguns medos muito comuns que às vezes se confundem com uma característica da pessoa. Portanto, as características de uma pessoa, suas emoções e o seu modo de ser podem dar muita informação sobre seus medos.

As emoções nos dizem o que nos afeta e se a ignorarmos podemos estar propagando as ameaças associadas e deixando a situação piorar indefinidamente, até transformar-se em algo muito mais sério. Emoções e sentimentos reprimidos podem acabar gerando inúmeras doenças que somatizam em nosso organismo. Um poderoso remédio e também uma excelente terapia para este mal é ter uma pessoa amiga com quem possamos desabafar e partilhar o que nos aflige.

Outro grande foco de medo é a necessidade de se fazer escolhas em nossas vidas, pois envolve o medo de errar ou medo de perder o que se ganharia caso a escolha fosse outra. Não gostamos de errar porque temos medo da avaliação negativa dos outros e de nós mesmos. Entretanto, errar é humano e quem não erra não aprende! Estamos a todo momento fazendo escolhas. A cada dia perdemos um dia de nossas vidas, bem ou mal vivido! Toda escolha que fazemos ou fazem por nós envolve perdas.

As pessoas pessimistas também costumam ter um belo disfarce para os seus medos. Estas pessoas, muitas vezes, não têm auto-confiança suficiente para acreditar que podem encontrar saídas e escondem-se atrás do sentimento de que tudo vai dar errado. Com isto são “recompensadas” por não terem que tomar atitudes que são incapazes de tomar. Os pessimistas devem mudar a sua atitude diante da vida, assumindo a responsabilidade pela própria vida e indo atrás de mais auto-confiança.

Devemos também nos aceitar como somos! A falta de auto-estima nos faz algozes de nós mesmos, sabotando nossas vidas e as possibilidades de sucesso e felicidade. Ao aceitarmos nossa própria condição, podemos aproveitar nossas qualidades e identificar nossos pontos de melhoria e com isso nos tornar pessoas cada vez melhores e mais realizadas.

Por último, teremos mais saúde quando cultivarmos mais relacionamentos saudáveis. Devemos manter o hábito de nos comunicar com as pessoas, tantos as que nos identificamos como as que não temos afinidades. Podemos aprender muito com as diferenças! Devemos manter o coração aberto para ouvir e compreender e termos tolerância para aceitar as diferenças. Estas atitudes levam à saúde física e psíquica pois constroem amizades verdadeiras e vínculos afetivos recompensadores, trazendo estabilidade, segurança e paz interior, levando à criação de um ambiente propício para o bem-estar e felicidade. Possibilitando vivermos mais as nossas vidas!
_________________________________________________________________________Texto: Imaculada

Viagem de moto à Patagônia 2009

Acompanhe os Posts sobre a Viagem

Veja outras viagens do HOG Campinas
Patagônia 2009: Depoimento final do Geraldo !!
Patagônia 2009: Depoimento final do Betão !!
Patagônia 2009: Depoimento final do Folegatti !!
Paragônia 2009: Após 10.300 km, em casa!
Patagônia 2009: Chegando em terras brasileiras
Patagônia 2009: Rumo à Casapueblo no Uruguai
Patagônia 2009: O pneu furado em Rio Colorado
Patagônia 2009: A fauna da Península Valdez
Patagônia 2009: Rumo a Puerto Madryn
Patagônia 2009: Esquel e Parque Los Alerces
Patagônia 2009: San Carlos de Bariloche
Patagônia 2009: Chegando em Bariloche de Harley
Patagônia 2009: Homenagem às nossas Rainhas
Patagônia 2009: Os Vulcões do Chile
Patagônia 2009: nos Andes de Land Rover
Patagônia 2009: Travessia da Cordilheira dos Andes
Patagônia 2009: Rosário a Villa Mercedes
Patagônia 2009: União da Vitória a Rosário/AR
Patagônia 2009: Campinas a União da Vitória
Patagônia 2009, o início de tudo

Na próxima sexta-feira dia 16 de outubro,  começa a aventura do PHD Betão, PHD Cabanas (Geraldo), PHD Folegatti, do Zoom e  respectivas esposas Marli, Solange, Gláucia e Luciana, todos íntegrantes do HOG Chapter Campinas, rumo à Patagônia  seguindo um plano de viagem que inclui a região dos Vulcões Chilenos.

O grupo entrará na Argentina em São Borja (Santo Tomé/AR)  e rumará para o Chile, cruzando a Cordilheira dos Andes na altura de Santiago, continuando a viagem descendo o território Chileno até  Puerto Mount, cortanto a região dos Vulcões e lagos. O grupo cruzará novamente a Cordilheira na direção de Bariloche, rumando para a Península Valdez (Puerto Madryn) já no litoral do oceano Atlantico  e retornam para Buenos Aires, passando em Bahia Blanca e Mar del Plata.

Trajeto da Viagem de moto à Patagônia - Out/Nov 2009

Trajeto da Viagem de moto à Patagônia – Out/Nov 2009

A viagem continua de balsa até Colônia del Sacramento, Montevideo e Punta del Este no Uruguai. Finalmente retornam ao Brasil, passando por Porto Alegre e rumando pela BR101 até Joinvile/SC onde fazem o último pernoite  antes do trecho final da viagem rumo a Campinas/Limeira/Salto.

A viagem terá um trajeto total de 10.300 km, rodados em 26 dias. O grupo irá em 4 motocicletas Harley-Davidson modelo Elektra e serão acompanhados por um carro de apoio guiado pela Luciana.

Desejamos uma excelente viagem para os nossos 8 amigos aventureiros e que o Anjo da Guarda os acompanhem por todo o trajeto. Vamos  disponibilizar neste Blog, todo o material enviado pelos integrantes do grupo durante a viagem, tais como relatos, textos, notícias, fotos, imagens, etc. Portanto, sugerimos que consultem regularmente os posts deste Blog  para seguirem a aventuras do grupo na viagem à Patagônia!

_________________________________________________________________________________________
Texto: PHD José Maria

A Patagônia nos aguarda!!

Neve na estrada de Winter Park/CO - EUA

Neve na estrada de Winter Park/CO – EUA

Olho para fora e vejo que o chão ainda está molhado.  Durante o dia choveu levemente e a temperatura baixou um pouquinho.  Suportável, mesmo sem muito agasalho.  Isso me faz lembrar o dia 16 de setembro de 2007 quando a equipe de aventureiros: Betão, na direção da Van, comigo de carona. Zé Maria e Toninho na pilotagem das Harleys, chegávamos em Winter Park no Colorado/EUA, numa tarde chuvosa.  Inclusive com granizo.  Altas emoções nas curvas geladas das montanhas do Rocky Mountain National Park.

No dia seguinte quando deixamos Winter Park rumo a Denver, eu saí pilotando a Electra, juntamente com Toninho e, é claro, com as nossas “queridas” na garupa.  Logo na saída, a chuva voltou a cair e logo mais adiante começou a cair “neve”, exatamente quando a temperatura se igualou a zero graus no topo da montanha.  Imaginem pilotar uma Electra na Neve.  É muita emoção.  Foi uma experiência indescritível, somente vivenciando-a é possível entendê-la.

Pois bem, estamos exatamente há uma semana da nossa partida, rumo à Patagônia. . . . Na próxima sexta-feira dia 16 de outubro de 2009, saímos em nossas motocicletas Harley-Davidson eu e a Solange, o Betão/Marli, o Folegatti/Gláucia e o Zoom/Luciana com destino a Santiago do Chile, Puerto Mount, Bariloche, Puerto Madryn e Buenos Aires. Esperamos curtir esta viagem tanto quanto curtimos a do ano passado para o Chile!

Camiseta do Volney

Camiseta do Volney

Hoje, na Loja Harley-Davidson de Campinas encontrei um irmão Harleyro, o Volney de Curitibanos/SC, que fez uma viagem para o Chile parecida com a nossa no ano passado, acompanhado da esposa.  Ele caprichou, fez uma camiseta com o roteiro, estampou a foto do casal e mandou bordar o nome. Ficou muito bacana!

______________________________________________________________________________
Texto: Geraldo

Mais que uma Aventura (de moto rumo ao Chile)

Antes da viagem escutávamos de todos: As esposas irão de avião? Vocês irão com elas na garupa? Planejam carro de apoio? Esclarecíamos que os planos da nossa aventura eram seis casais sozinhos em suas motos Harley-Davidson, acompanhados apenas do nosso Anjo da Guarda, todos rumo a Santiago do Chile, cruzando as geleiras dos Andes num trajeto de mais 8 mil km.

Desde o nosso regresso, em novembro de 2008, eu queria escrever um artigo sobre a minha motivação para a realização da aventura. Contar o que antecedeu a viagem, as dificuldades, as inúmeras reuniões de planejamento quando analisávamos o percurso, as condições climáticas, temperaturas, distâncias, etc.

Confesso que temi pelo pior, primeiramente que algum imprevisto profissional urgente pudesse desfalcar o grupo. Mais tarde, quando nossa partida estava iminente, pensava nos desafios que iríamos deparar e me consolava de antemão para o caso de ocorrer a desistência de algum colega no meio da viagem por problemas com a motocicleta ou de saúde! Estabelecemos um pacto para as emergências: caso ocorressem imprevistos, todos se solidarizavam esperando chegar ajuda. Quando isso ocorresse, o grupo continuaria a aventura desfalcado.

Por mais que eu me esforçasse, eu não conseguia tempo para me dedicar aos preparativos da viagem da forma como eu julgava necessário, tendo em vista a envergadura da aventura! Vivia um momento muito produtivo no trabalho, estava comemorando o record de receita da empresa em 2008, resultado final dos nossos esforços para superar a crise de 2002 que quase inviabilizou a empresa. Estava muito atarefado, com acúmulo de atividades, pressão por resultados e conseqüente diminuição nas horas de sono e uma redução no tempo dedicado ao lazer.

Creio que na vida competitiva atual, quando estabelecemos objetivo de arrumar tempo para o lazer, às vezes pode soar como um pecado mortal. Somos compelidos a correr para “aproveitar” o tempo produtivamente, e com isso “aquele sonho” de realizarmos um determinado tipo de lazer fica proibido, se torna um sonho distante, uma utopia! Com o passar do tempo, nossa dedicação demasiada ao trabalho pode se tornar parte de nós mesmos e esquecermos como é bom e saudável nos divertir no nosso tempo livre.

DSC03845aInfelizmente, muitos se dão conta disso apenas quando já estão tomados por sentimentos de stress, dores, ansiedade, ou até inviabilizados com alguma doença. Nestas pessoas, esses desequilíbrios podem acarretar sintomas que são sinais de que o estado emocional está comprometido, as energias vitais estão sendo canalizadas de modo errado ou bloqueadas. Por isso é importante que restabeleçamos contato com a nossa totalidade, a nossa verdadeira fonte de energia…darmos uma pausa para fazer algo que realmente faça diferença para o nosso ser!

Para mim, tinha que ser algo que fizesse diferença nas férias que se aproximavam…Um desejo que estava escondido dentro de mim a muito tempo. Sabia que para realizá-lo, quanto mais o tempo passasse mais ele ficaria distante, pois a necessidade de superar nossos limites na aventura era incompatível com o avançar da idade!

Foi por isso, que depois de muito esperar, depois de um período extremamente produtivo no trabalho, com muito stress acumulado, coloquei a bagagem na motocicleta, minha esposa na garupa, e junto com amigos partimos para a aventura no Chile…

__________________________________________________________________________________________
Texto: José Maria
Imagens: Integrantes da Viagem
Viagem ao Chile, em Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas

Eu e minha moto

O fascínio dos quarentões e cinqüentões pela motocicleta. Seis de cada dez Harley-Davidson no Brasil pertencem a homens com mais de 45 anos.

Quando o filme Sem Destino (Easy Rider) estreou, em 1969, eles eram rapazinhos de tudo. O tempo passou, eles cresceram, começaram a trabalhar, juntaram dinheiro e… compraram uma motocicleta cara. Bem-sucedidos profissionalmente, esses quarentões e cinqüentões podem se dar ao luxo dos longos passeios sobre duas rodas – como faziam os personagens de Peter Fonda, Dennis Hopper e Jack Nicholson na fita americana. Andar sobre duas rodas, para eles, é uma experiência de liberdade e de juventude.

É tão prazeroso que eles se organizam em clubes, encontram-se regularmente e têm o costume de viajar em grupo. Quando não estão pilotando suas máquinas, eles se divertem em oficinas especializadas e lojas de peças e acessórios. Nessas horas, parecem crianças. Não é preciso fazer muito esforço para adivinhar qual a moto dos sonhos desses garotões.

Eles costumam rodar montados em uma Harley-Davidson, a lendária motocicleta americana lançada em 1903 e imortalizada por Fonda, Hopper e Nicholson. Dos cerca de 5 000 exemplares em circulação no Brasil, 60% estão nas mãos de homens com mais de 45 anos. O modelo preferido dessa turma é a Heritage Classic, a mais clássica das Harley, cujo preço gira em torno dos 50 000 dólares, sem acessórios. Chega sexta-feira e lá vão eles. Sozinhos ou em grupo, jaqueta de couro e capacete coquinho (fazer o quê?), vários madurões brincando de “easy rider”.

___________________________________________________________
Artigo completo no link abaixo:
http://veja.abril.com.br/especiais/homem_2004/p_050.html

Camino de Santiago (Chile Motorcycle Adventure)

And so, after a long wait, in an ordinary morning of an ordinary day, I put the luggage on the motorcycle, met my friends, and for the adventure we went on.

I decided not to fear the challenges but to confront them …
I decided to see every problem as a solution to be found …
I decided to see each desert as a presage to an oasis …
I decided to see each night as a mystery to decipher …
I decided to see each day as a new opportunity to be happy to see magnificent sceneries and to live moments the uninitiated cannot even imagine…

On the journey, I discovered that our only rival was not the unknown but our own limitation and to face them was the best, and actually, the only way to defeat them.

On the journey, we found out we were not the best on anything and probably never had been. I stopped worrying about who wins or who loses, now I just care about doing the best I can.

I learned that to get up there is not as difficult as not trying to climb. I learned that the greatest triumph is to be able to call someone “friend”. I learned that love is more than just a state of being enamored, love is a philosophy of life that helps us overcome the challenges by sharing them.

On the journey, I stopped being a mere reflection of my past real or imaginary successes and began to be a light on my own. And I learned that our light is of no use if we don´t brighten the path of others.

After the journey, I decided to change so many things.
I learned that dreams exist to become reality.
And since then I don´t sleep to rest …

Now I simply sleep to dream!

________________________________________________________________________________________

Texto: José Maria (adaptação livre de texto da Internet)
Imagens: Integrantes da viagem
Viagem ao Chile, em  Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas

Caminho de Santiago (de moto rumo ao Chile)

E assim, depois de muito esperar, numa manhã de um dia como outro qualquer, coloquei a bagagem na motocicleta, e junto com amigos, decidi partir para a aventura.

Decidi não temer os desafios e sim, eu mesmo procurar superá-los… Decidi ver cada dificuldade como uma oportunidade para encontrar uma solução… Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis… Decidi ver cada noite como um mistério a resolver… Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz vendo paisagens magníficas e vivendo momentos inimagináveis para os não iniciados…

Na viagem descobri que nosso único rival  não era o desconhecido, e sim nossas próprias limitações  e que enfrentá-las era a única e melhor forma de superá-las.

Na viagem, descobrimos que nós não éramos os melhores e que talvez  nunca tivéssemos sido. Deixei de me importar com quem ganha ou perde, agora, me importa simplesmente saber melhor o que fazer.

Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima  e, sim, deixar de subir. Aprendi que o maior triunfo é poder chamar a alguém de “amigo”. Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, o amor é uma filosofia de vida e ele ajuda a superar os desafios compartilhando-os.

Na viagem, deixei de ser um reflexo dos meus triunfos passados  e passei a ser a minha própria luz no presente. Aprendi que de nada serve ser luz  se não iluminar o caminho dos demais.

Após a viagem decidi trocar tantas coisas…
Aprendi que os sonhos existem para se tornar realidade….
E, desde esta viagem, já não durmo para descansar….
Simplesmente durmo para sonhar!

________________________________________________________________________________________

Texto: José Maria (adaptação livre de texto da Internet)
Imagens: Integrantes da viagem
Viagem ao Chile, em  Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas

Estrada sem Fim (de moto rumo ao Chile)

E assim, depois de muito esperar, numa  manhã de um dia como outro qualquer, colocamos nossa bagagem na motocicleta, e junto com amigos, partimos para a aventura!

Em 23 dias de viagem e nos mais de  8 mil km rodados, do início ao fim, as nossas motos fizeram a sua parte.  Ao longo do caminho, muitos desafios nos esperavam, e em nossa provação nem o vento, nem a chuva, nem o gelo nem a altitude foram obstáculos.

No fim nada impediu nosso caminho, nem que cumpríssemos a nossa meta e voltássemos íntegros em nossas motos.
E nada foi melhor do que voltar para descobrir que a estrada que parte da nossa porta não tem mesmo fim.

DSC00358SepiaHSpeqPior do que passar frio subindo e descendo as montanhas dos Andes seria não ter chegado até lá, ou nunca ter deixado as  conhecidas estradas das nossas vidas.  Mesmo que fosse apenas para descobrir o quanto  elas são quentes e confortáveis.

Eu senti um estranho bem-estar ao contornar gelos tão longe de casa.

Nesta viagem descobri que precisamos viajar por nossa conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV.
Precisamos viajar com nossos próprios olhos e pés (ou rodas!) para entender melhor os nossos limites e medos, e com isso podermos viver a total plenitude das maravilhas que nos cercam.

Precisamos conhecer o frio para desfrutar do calor e o oposto, sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto.  Precisamos viajar para lugares que não conhecemos, para quebrar a arrogância que nos faz ver o mundo como imaginamos, e não simplesmente como ele é.

Que nos faz professores e doutores do que não vimos…
Quando deveríamos  ser alunos e simplesmente ir ver !!

_________________________________________________________________________________________

Texto: José Maria (adaptação livre do livro “Mar sem Fim” do Amyr Klink)
Imagens: Integrantes da viagem
Viagem ao Chile, em  Novembro de 2008, feita por integrantes do HOG Campinas