Visita ao Cairo

PlanejamentoDicasCairoAbu Simbel Rio NiloLuxor

Neste artigo vamos focar apenas nas visitas que fizemos nesta última viagem de três dias ao Cairo. Existem entretanto, algumas outras atrações que podem ser visitadas caso você ficar mais de dois dias na cidade, tais como a região de Saqqara (Museu Imhotep, Pirâmide de Degraus e Complexo Funerário de Djoser).

Grandes Pirâmides de Gizé

A parte principal do complexo de Gizé, além das Pirâmides de Queops, Quéfrem e Miquerinos, tem a Esfinge, um conjunto de edifícios que inclui dois templos mortuários em homenagem a Queóps  (um próximo à pirâmide e outro perto do Nilo), três pirâmides menores para as esposas de Queops, uma outra pequena pirâmide “satélite” e outros pequenos túmulos que cercam as Pirâmides.

Piramides, Cairo

 A Pirâmide de Quéops é a mais antiga e a maior das três pirâmides do complexo de pirâmides de Gizé. É também a mais antiga das Sete Maravilhas do Mundo Antigo e é a única a permanecer praticamente intacta. A pirâmide foi construída como uma tumba ao longo de um período de 10 a 20 anos sendo concluída por volta de 2570 aC pelo Faraó Queóps da quarta dinastia.

Pirâmide de Queops

Inicialmente, com  146,5 metros (481 pés),  a Grande Pirâmide foi a estrutura mais alta feita pelo homem no mundo por mais de 3.800 anos. Originalmente, a Grande Pirâmide era coberta por pedras de revestimento de calcário que formavam uma superfície externa lisa. Existem várias teorias científicas e alternativas sobre as técnicas de construção das Grandes Pirâmides. As hipóteses de construção mais aceitas baseiam-se na idéia de que elas foram construídas movendo enormes pedras de uma pedreira e arrastando-as e levantando-as ao platô onde elas estão localizadas.

Interior da Pirâmide

Há 33 anos, em nossa primeira viagem ao Egito, entramos dentro da Pirâmide de Queops e fomos até a câmara principal subindo um túnel com paredes de pedra, inclinado em 45% com apenas 1,3 metros de altura e 1 metro de largura. Para chegar à câmara principal foi necessário subir 40 metros neste túnel apertado, praticamente agachado, com tráfego de pessoas subindo e descendo esbarrando umas nas outras. Em nossa subida, há 33 anos, vimos 2 pessoas sendo “arrastadas” para baixo pois estavam passando mal por falta de ar. Nesta nova viagem resolvemos não arriscar em fazer a visita ao interior da Pirâmide de Queops, pois não temos hoje o mesmo preparo físico de antigamente. 

Camelo nas Pirâmides

Tenha em mente que a área é muito grande e que a melhor forma de se locomover é de carro (do seu Guia!) ou de Charrete que pode ser contratada dentro da área turística das Pirâmides. Existe também a possibilidade de andar de camelo, o que não recomendamos para pessoas que não tem experiência pois uma vez iniciado o passeio caso não queira continuar fica difícil voltar atrás!

Cairo, Egito

Uma dica muito importante é não se ater em visitar apenas aos mirantes mais “comuns”… existem alguns mirantes com vista maravilhosa das pirâmides que podem ser alcançados à pé ou de camelo. Nós fomos no carro do nosso Guia ao ponto mais próximo, contratamos um Camelo para utilizarmos nas fotos. Em seguida fomos à pé até o mirante  com o condutor do camelo contratado andando logo atrás de nós! 

Cidadela de Saladino

É uma fortaleza localizada numa das colinas da cidade do Cairo com inúmeros prédios históricos e mirantes com linda vista da cidade.

Em 640 d.C. os árabes tomaram dos romanos o Egito e os atuais territórios da Palestina e Síria. Passaram os séculos e os muçulmanos estavam dispersos, com dinastias inimigas governando a Síria e o Egito. Na idade média foram unidos pelo curdo  An-Nasir Salah ad-Din, mais conhecido como Saladino (1137-1193 d.C.). Após derrotar os exércitos cruzados, inclusive os famosos cavaleiros templários, Saladino foi  proclamado Sultão do Egito e da Síria. Foi nessa época que Saladino ordenou a construção da famosa fortaleza no meio do que eram então duas cidades, al-Qahira e al-Fustat.

No século XIX a fortaleza acabou sendo apelidada de Cidadela de Muhammad Ali após o regente egípcio ordenar a construção de uma mesquita com seu nome no interior da fortaleza.

A Cidadela no Cairo foi a sede do governo egípcio por quase 700 anos, desempenhando papéis estratégicos, militares e políticos ao longo dos anos. O complexo fortificado é um excelente exemplo de arquitetura islâmica, com exemplos de mesquitas, fortificações mamelucas e otomanas, templos e museus.

O que visitar na Cidadela de Saladino

Mesquita de Mohammed Ali

Também chamada de Mesquita de Alabastro, a Mesquita de Mohammed Ali é o ponto mais famoso da Cidadela e marca a silhueta da cidade no lado oriental. Foi construída no século XIX, sob o governo de Mohammed Ali, considerado o fundador do Egito moderno.

Cidadela de Saladino

O projeto turco clássico dispõe de uma grande cúpula central e dois minaretes altos. A Mesquita de Alabastro é uma obra arquitetônica admirável e cada detalhe deve ser contemplado.

Museu Militar

O prédio erguido em 1827 funcionou como residência da família real do Egito até 1874. Foi hospital militar na ocupação britânica durante a Segunda Guerra Mundial e voltou ao controle egípcio em 1946. Em sua visita fique atento à decoração interna que é impressionante.

Mesquita de na-Nasr Mohammed

A mesquita foi erguida entre 1318 e 1335 e fica bem perto da Mesquita de Mohammed Ali. É a única edificação mameluca ainda existente na Cidadela.

Teatro Dervixe

O teatro do século XIX foi restaurado e conta com um pátio, um jardim e uma linda fachada. O palco é circular e feito em madeira para a realização da dança Sufi. Os Sufis seguem um ramo espiritual do islamismo e acreditam que a sua dança os leva à unidade com Alá.

Museu Egípcio

No Museu Egípcio, nos mais de 100 mil itens expostos, você tem contato com alguns dos mais poderosos governantes do antigo Egito em mais de 3.000 anos de história. Na época que visitamos o Museu Egípcio, ele estava em obras devido  à sua transferência para o novo prédio do Grande Museu Egípcio (GEM) próximo às Pirâmides. Por essa razão o museu, que já tem fama de não ser muito bem organizado, estava parecendo um armário desorganizado de um colecionador de coisas egípcias antigas! Ficamos cerca de 3 horas no museu e foi o suficiente para ver apenas as partes mais importantes.

Museu Egípcio

O Museu egípcio foi criado em 1902 e não mudou muito desde então. Algumas salas do museu tendem a ser bastante escuras pois contam apenas com iluminação natural. Os cartões de descrição para a maioria dos itens em exposição são bastante básicos e, portanto, é bom ter um livro guia que detalhe os itens principais para se ter mais informações da história de algumas das peças.

Embora os livros de turismo afirmem que o museu é muito cheio de gente, nós não tivemos grandes dificuldades para visitá-lo. Em todo caso, é aconselhável deixar as salas mais disputadas tais como a sala dos tesouros de Tutankamon e a sala das múmias para o final da tarde.

O que visitar!

Antigo Império

A primeira grande sala, logo ao entrar no prédio do museu,  está repleto de uma série de sarcófagos, mas alguns dos itens mais importantes da sala são pequenos e passam despercebidos. O mais significativo é o Narmer Palette à direita da sala, que representa o faraó Narmer usando as coroas do Alto e do Baixo Egito, marcando o nascimento da antiga civilização egípcia. A pedra representa o começo das trinta dinastias que governariam o antigo Egito. Veja também uma antiga representação em argila de uma cabeça humana, a mais antiga descoberta no Egito, com cerca de 6.000 anos.

Museu Egípcio

Uma das esculturas mais impressionantes e intactas do período do Antigo Império fica na sala 47. As tríades em xisto negro, muito bem conservadas, retratam o faraó Miquerinos (2532-2593 aC) cercado de figuras femininas.

A sala 42 contém algumas das obras-primas do Antigo Império como a estátua de Quéfrem, esculpida entre 2558-2532 aC. Diante da estátua de Quéfrem, está a muito bem preservada estátua de Madeira de Ka-Aper, um antigo egípcio rico cuja aparência está preservada para sempre em sua estátua. À esquerda da porta de entrada fica o Escriba Sentado, uma linda estátua em calcáreo pintado com as mãos em posição de escrita.

Veja na sala 48 a estátua de Zoser  (2667-2648 aC) famoso  por construir em Saqqara, a pirâmide de degraus que é a mais antiga do mundo.

Médio Império

Na sala 26 pode ser vista a estátua de  Montuhotep II  o primeiro governante do Médio Império, que governou entre 2055-2004 aC.

Nas salas 21 e 16 estão inúmeras Esfinges de granito cinza bem diferentes da grande Esfinge do complexo de Gizé. Em vez do rosto do Faraó como foi esculpida a Grande Esfinge em Gizé, essas estátuas foram esculpidas como leões com um rosto humano inserido em suas jubas espessas. As peças foram esculpidas para o Faraó  Amenemhat III (1855-1808 aC) da segunda dinastia.

Novo Império

A sala 12 é o santuário de Hathor com a Capela de Arenito dedicado à Deusa que inclui uma representação do Faraó Tutmés (1427-1400BC) sendo amamentado por Hathor em sua forma de vaca.

A sala 3 é dedicada ao faraó Akhenaton (1352-1336 aC), o “faraó herege”. Durante o reinado de Akhenaton, o antigo Egito adotou um estilo artístico incomum não visto durante qualquer outro período. O estilo artístico era mais livre em contraste com os demais períodos, com suas representações humanas abstratas e ênfase do novo e breve deus do sol Aten. 

Na Sala 10 fica  a estátua gigante em granito de Ramsés II (1279-1213 a.C.) retratada como um menino aninhado a um falcão que representa o deus Hórus.

Salas das Múmias Reais

Nas salas 56 e 46 você pode ver dezenas de múmias com mais de 3.000 anos de idade. Alguns dos maiores faraós do Egito estão em exibição na sala 56 como Seti I, Ramsés II e Hatshepsut. A preservação é impressionante, algumas com cabelos grisalhos e algumas mostrando uma dentição perfeita.

 Salas do Tutankamon

O faraó mais conhecido atualmente é o Tutankamon que teve poucas realizações e reinou por um período muito curto. Por essa razão teve pouca importância em sua época. A fama veio pelo fato do egiptólogo Howard Carter ter encontrado em 1922 o seu túmulo cheio de tesouros quase intactos.

Tutankamon

A maioria do tesouro encontrado na tumba está atualmente na sala 3 no pavimento superior do Museu Egípcio. Esta sala é a mais visitada de todo o museu. Nesta sala estão a famosa máscara funerária de ouro do Tutankamon,  juntamente com sarcófagos e jóias de ouro que estavam na tumba do faraó no Vale dos Reis.

A múmia do faraó somente poderá ser vista no interior da sua tumba em Luxor. Procure chegar na sala 3 no final da tarde, pois a sala pode ficar muito cheia de turistas nos outros horários.  No grande corredor do lado de fora da sala, estão os quatro gigantescos santuários de madeira de Tutankamon, cada um menor do que o outro para que possam encaixar um dentro do outro e assim proteger melhor o sarcófago da múmia do faraó.

Sala de Múmias de Animais

Na sala 53 podem ser vistos inúmeras múmias de animais como babuínos, gatos e crocodilos . Os Egípcios mumificavam os animais considerados sagrados que eram deixados em túmulos para acompanhar o falecido na vida após a morte. Além desses animais sagrados, animais de estimação também eram preservados e colocados em túmulos. Haviam também animais mumificados para servir de comida ao falecido após a morte.

Jóias egípcias antigas

Na sala 4 estão grande parte dos adereços preciosos do museu, que abrangem desde as primeiras dinastias até o governo de Roma. A sala fica perto da sala do Tutankamon  e pode ser visitada tranquilamente pois não é muito cheia de turistas.

Tickets de Entrada

Abaixo as opções de tickets para entrada no Museu Egípcio:

  • Entrada Geral: 120 EGP (US$ 6,72)
  • Exposição Múmias Reais: 120 EGP (US $ 6,72)
  • Ticket de permissão de Fotografia: 50 EGP (US$ 2.80)
    Obs. Exceto a sala do Tutankamon e sala das Múmias

________________________________________________________________________
Texto: José Maria

(Visitado 79 vezes, 1 visitas hoje)

Postar sua mensagem