viagens

Atacama 2011: San Pedro de Atacama a Antofagasta

Índice de posts da viagem ao Atacama 2011

Achamos que o deserto tinha acabado, mas na verdade San Pedro de Atacama é apenas o começo…. esse deserto não acaba !!!! Até Antofagasta é só deserto, com muita exploração de minérios…. pó para todo lado!!!

Tivemos que parar na cidade de Calama para fazer o xixi matinal… descobrimos que os postos de gasolina não tinham banheiro, e acabamos indo ao Shopping Center da cidade só para fazer xixi… foi o mais demorado da viagem!!! Uma hora para achar um banho !!!!

Antofagasta

Fomos dormir bem cedo…. quase meia noite !!! Mas decidmos sair mais tarde no dia seguinte pois o dia só so clareia depois das 8:00 da manhã…
_________________________________________________________________________
Texto: Folegatti/Geraldo/Hélio

Patagônia 2009: Depoimento final do Geraldo !!

Índice de posts da Viagem à Patagônia 2009

gerapb

PHD Cabanas e Solange

Iniciada a nossa viagem rumamos para a cidade de União da Vitória, no Paraná. A partida se deu à luz de um sol maravilhoso, mas que não durou muito. Logo começou a chover. À medida que a paisagem ia mudando, com as edificações típicas do Paraná e a região serrana, era possível antever o que nos aguardava. No dia seguinte saímos debaixo de chuva em direção a Santo Tomé, na Argentina. Passamos por Rosário, Villa Mercedes e Mendoza.

Ao nos aproximarmos de Mendoza já era possível avistar os cumes das montanhas cobertos de gelo, o que no ano passado somente avistamos quando nos encontrávamos na pré-cordilheira. Isso anunciava que o frio seria maior, em contrapartida o cenário seria mais deslumbrante, devido a grande quantidade de gelo que cobriam as montanhas.

portillo3

Lago Portillo

Durante o trajeto para atravessar a cordilheira do Andes visitamos a Puente del Inca. Em Portillo, no meio da cordilheira, almoçamos no hotel com vistas ao lago ainda congelado, mas de rara beleza que vale a pena ser conferido por quem por ali passar. Já no lado Chileno pernoitamos em Rancagua, para no dia seguinte irmos para Villarica e Pucón, onde visitaríamos o Vulcão Villa Rica.

Quando dirigíamos ao Vulcão fomos agraciados por uma nevasca relativamente forte, o que impediu que a Van que nos levava chegasse ao nosso destino, pois, nem mesmo com correntes na roda foi possível ultrapassar o obstáculo criado pela nevasca. Diante disso, o clima ficou relativamente frio, alguma coisa em torno de 1 a 2 graus, acrescida pela umidade ocasionada pela chuva intensa que insistia em nos acompanhar.

Já em Puerto Varas, onde fixamos no nosso QG, visitamos a cidade de Puerto Mont, Petrohue, e o Vulcão Osorno, que estava totalmente coberto de neve. Esses locais são de beleza ímpar. Voltando para a Argentina, dessa vez atravessamos a cordilheira dos Andes na parte sul, com destino a Bariloche. Devido à nevasca que haviam caído dias antes as laterais da estrada estavam com significativo volume de neve, deixando a paisagem fascinante.

osorno1a

Vulcão Osorno

Em Bariloche encontramos mais chuva e frio, o que antecipou a nossa partida rumo a Esquel, não sem antes visitar os pontos turísticos mais importantes, como a estação de esqui no Cerro Catedral.

O vento era muito forte, o que fez com que o bondinho que leva os turistas para o alto da montanha subisse cautelosamente em alguns pontos, sendo logo em seguida suspensa a travessia devido o mal tempo.

andes-e-neve

Picos nevados dos Andes

Iniciamos o caminho para Esquel sob intensa chuva, o que não permitia acelerar muito. A pista estava escorregadia, o que era agravado por forte ventania. Mal sabíamos que essa ventania nada significava diante daquela que nos aguardava nas gélidas montanhas de Esquel. Para a nossa sorte na medida em que a altitude aumentava, a vegetação típica ia dando o seu contorno, a chuva para o nosso alívio cessou. Mas logo em seguida, a pista que corta as montanhas é tão alta que fica relativamente próximo do cume da cordilheira, dando a impressão de estar na crista da cordilheira. Isso permitia sentir o frio do gelo que parecia estar logo acima das nossas cabeças. Ao longe podia ser avistada a ventania no cume das montanhas geladas, porque a sua força descomunal deslocava a neve quase que na horizontal arrastando em direção à pista que em alguns trechos estava molhada. Enfim, fomos atingidos pela ventania que quase arrancou as motos da estrada.

andes-e-neve2

Neve na estrada

As três Harleys, modelo Electra, pareciam feitas de papel diante da força do vento que parecia querer impedir a nossa passagem por ali. Nem mesmo com o peso das malas e dos seus ocupantes que somavam alguma coisa entre 500 quilos parecia ser significativo para o vento que nos acompanhou por muitos quilômetros. As motocicletas seguiam inclinadas e forçando a sua direção contra o vento, somente assim conseguimos nos manter na pista. A essa altura a chuva e o vento eram apenas um detalhe que enriquecia os cenários que estávamos atravessando. A chuva permitiu o colorido especial, pastos e vegetação mais exuberantes, a nevasca, e o frio da Patagônia.

Em Puerto Madryn foi possível visitar a Península de Valdez onde ficamos lado a lado com baleias, leões marinhos, pingüins e focas. Experiência muito interessante!!  Para quem viajar por essas cercanias, uma dica é não deixar de experimentar a cerveja Patagônia, de excelente qualidade.

Rumávamos para Bahia Blanca quando o pneu da minha moto furou, como demorei um pouco a perceber o pneu acabou cortado e não permitiu reparo. Isso me obrigou a abreviar a minha chegada a Buenos Aires. A minha entrada em Buenos Aires foi triunfal, na boléia do caminhão guincho. Na carroçaria a minha moto ostentava a sua beleza e era admirada pelas pessoas nas extensas avenidas de Buenos Aires, que se tornaram mais longa em razão do motorista não conhecer a cidade me obrigando a ligar o GPS para orientá-lo. Substituído o pneu fiquei aguardando a chegada dos demais para prosseguirmos com o nosso cronograma.

Atravessamos para o Uruguai pelo Buquebus, onde foi feita a festa no free shoping. A Glaucia e Folegatti compraram tanto alfajor na Argentina que ficamos com receio de ficarmos retidos na alfândega. A viagem seguiu tranqüila. O que muito incomodou foi as péssimas condições das estradas brasileiras. Dá a impressão que a engenharia nacional não sabe construir estradas de qualidade. Parece que usam pantógrafo (igual aquele equipamento utilizado para fazer cópia de chaves), mantendo todas as imperfeições do solo original. A capa de asfalto mais lembra o dorso de um cordeiro, tamanho a sua imperfeição. As cabeceiras das pontes mais lembram uma rampa de lançamento de foguete. Situação que não ocorre na Argentina, Chile e Uruguai que possuem pistas com excelente qualidade de asfalto.

No retorno para casa, na medida em que nos aproximávamos a saudade aumentava, o tempo parecia correr mais devagar. Era possível sentir uma prazerosa sensação de bem estar proporcionada pelo fato de novamente poder estar com os seus. Pois, afinal de contas a viagem foi de 26 dias, período em que os contatos foram pelos meios de comunicação, que nem de longe supre o contato presencial. O afã de retomar o contato com a nossa rotina nos deixavam mais apreensivos.

Dessa viagem foi possível extrair muitos aprendizados, assim como nas outras anteriormente feitas. Mas, cada viagem tem a sua particularidade. Os integrantes da expedição à Patagônia, sem exceção, deram uma prova exemplar de participação e de solidariedade. Nenhum contratempo entre os integrantes do grupo. Portanto, ficam os meus agradecimentos a todos os meus amigos, que a essa altura já os chamo de irmãos. Fica o meu agradecimento aos meus irmãos Betão, Folegatti e Zoom, assim como às suas esposas Marli, Glaucia e Luciana. Agradecimento especial ao Betão e Folegatti que no momento crítico da viagem, quando o meu pneu furou, não arredaram pé do lugar. Inicialmente na tentativa de reparar o pneu. Sendo isso impossível, enquanto Folegatti buscava auxílio de um guincho Betão permaneceu firme na tentativa de encontrar alguma solução, sem êxito porque o pneu estava cortado. Com isso, a solidariedade com que se portaram reclama a sua exaltação. Grandes Amigos e Irmãos. Fica o meu agradecimento ao PHD José Maria que acompanhou a trajetória do grupo relatando as informações recebidas em seu site “vivermaisavida.com.br”.

______________________________________________________________________________
Texto: PHD Cabanas (Geraldo)

Patagônia 2009: Depoimento final do Betão !!

Índice dos posts da Viagem à Patagônia 2009

Betao01pb

Betão e Marli

Amigos, enfim estamos em casa!

Hoje meu sentimento é um mix de alegria, tristeza e saudades.

Alegria, por termoscompletado a maior aventura sobre duas rodas que já fiz. Foram 18 cidades e 10.150km rodados nas situações mais adversas possíveis, sendo pelo menos 6.500km rodados sob chuva (muita chuva), mas a união e a irmandade dos 4 casais foi impressionante. Não tivemos nenhuma divergência, todos estavam unidos, e olha que foram 26 dias de convívio intenso! Parabéns e muio obrigado aos meus grandes parceiros e me permitam chamá-los de amigos Geraldo e Solange Cabanãs, Marcão e Gláucia Folegatti, Zoom e Luciana pelos momentos de alegria e felicidade que eu e a Marli vivemos ao lado de vocês.

Tristeza, porque hoje eu não vou andar mais 500 ou talvez 600km de motocicleta na companhia desses grandes e experientes motociclistas e juntos conhecermos mais uma cidade, ou comer um churrasco de cordeiro, tomar um gole de vinho ou ainda uma boa cerveja (tudo que fazíamos era gostoso).

Saudades, porque é o que vai ficar dentro dos nossos corações de momentos tão intensos, felizes ou as vezes tensos como nas estradas ou descontraído como o que vivemos dentro de uma Van encalhada por horas no meio da neve e do gelo.

Cabe um elogio a loja e a equipe tecnica da HD Campinas, que cuidou com muito carinho de nossas Harley Davidson que foram e voltaram impecáveis por mais de 10.000km.

Agradeço especialmente ao meu amigo e irmão Zé Maria por ter nos acompanhado durante todo tempo quer seja por email ou telefone, mas o seu coração com certeza estava junto ao grupo da estrada.

Todos vocês fizeram a diferença.  Obrigado a Deus e ao seu filho por ter nos conduzido esse tempo todo com segurança, e por nos ter trazido de volta prontos para uma proxima expedição.

Abraço a todos!!

______________________________________________________________________________
Texto: PHD Betão

Patagônia 2009: Após 10.300 km, em casa!

Índice da Viagem à Patagônia 2009

Após 10.300 km percorridos em suas motocicletas nossos amigos chegaram hoje em casa, aproximadamente às 18:30hs!! Todos nós estamos ansiosos para sabermos os “causos” da viagem, principalmente os não contados neste blog…

mapa Chile 2009 Blog Final campinas

Trajeto total percorrido de 16/10 a 10/11/2009 (26 dias)

São Pedro colaborou com o grupo em terras brasileiras… Desde a entrada no país por Jaguarão/RS, a  viagem foi feita com tempo bom e sem  chuva, mas com muito calor!!! Como previsto, o trecho da estrada entre  Porto Alegre a Joinvile foi muito difícil!!! O  tráfego de caminhões foi intenso e as inúmeras obras de duplicação da BR101  tornaram a viagem muito lenta e cansativa no trecho de Torres/RS a Palhoça/SC. O grupo parou para almoçar em um restaurante entre Itapema e Florianópolis e seguiram viagem  para Joinvile, onde chegaram por volta das 18:00 hs.

Hoje foi feito o trecho final da viagem  de Joinvile a Campinas, passando por Ponta Grossa, cruzando o interior do Paraná, interior de São Paulo até Tatuí onde o grupo se dispersou, cada um tomando o rumo das respectivas cidades. O tempo estava limpo e claro, com um sol forte e muito calor…o jeito foi acelerar as motos!!!

______________________________________________________________________________
Texto: PHD José Maria

 

Patagônia 2009: O pneu furado em Rio Colorado

Índice dos posts da Viagem Patagônia 2009

mapa Chile 2009 Blog Final Rio Colorado

Trajeto percorrido de 16 de outubro a 3 de novembro

O Folegatti foi até Rio Colorado e voltou com um guincho, e até a colocação da moto sobre o guincho, se passaram umas 3 horas. A partir deste ponto o Betão e Marcão seguiram o roteiro planejado rumo a Bahia Blanca e o Geraldo seguiu na cabine do guincho, junto com a Solange, viajando toda a madrugada para Buenos Aires para tentar comprar um pneu novo. Chegando em Buenos Aires, descobriram que a concessionária HD não abria na segunda-feira e tiveram que deixar a moto em um estacionamento. Somente na terça-feira puderam levar a moto para a concessionária onde foi comprado o último pneu disponível para Elektra 2009….Ufa que sorte!!!

Guincho para a moto do Geraldo

Com o atraso na viagem, devido ao pneu do Geraldo, o Betão e Marcão chegaram tarde e cansados em Bahia Blanca, e foram direto para cama descansar após o jantar. No dia seguinte o dia amanheceu com forte chuva em Bahia Blanca e a água acompanhou as motos durante os 480 km da estrada entre Bahia Blanca e Mar Del Plata.

Amanhã, no final da tarde, o grupo se junta novamente em Buenos Aires. Após uma pausa para diversão e descanso na cidade, as tres motos continuam na sexta-feira dia 06/11 o trajeto planejado até Montevideo no Uruguai, onde será o próximo pernoite.

______________________________________________________________________________
Texto: PHD José Maria (informações fornecidas por telefone pelo Gera)

 

 

Patagônia 2009: A fauna da Península Valdez

Índice de posts da Viagem Patagônia 2009

Península Vandez

A cidade de Puerto Madryn fica ao longo de uma bela curva da baía Golfo Nuevo e é conhecida como um resort de verão, embora sua função principal seja servir de base para turistas visitarem as belezas da rica fauna da região.

Hoje, sábado dia 31/10,  tiramos o dia para visitar a Península Valdez cuja entrada do parque  fica a 75 km de Puerto Madryn.

A Península Vadez é uma das mais importantes reservas marinhas do planeta. Entre o final de junho e início de dezembro a península é o lar de um dos seus mais famosos residentes temporários, a baleia do pólo sul.

valdez04

Península Valdez

Em Punta Delgada, na ponta sudeste da península Valdez, é o local ideal para se ver leões marinhos e, na alta temporada , uma enorme colônia de mais de 5.000 elefantes marinhos, que se deitam na praia aos pés dos rochedos.

Fretamos um tour completo para visitar as atrações da península, que além da Van para a parte terrestre, incluía um belíssimo passeio de barco para chegarmos bem perto das baleias.  Nesta época do ano elas estão presentes em grande número na região e, portanto,  fica muito fácil encontrá-las!!! ….Foi o máximo ver baleias tão de perto!!

valdez08

Focas na Península Valdez

É impressionante como a fauna da península é exuberante, além de ficamos lado a lado com as Baleias, vimos  piguins, leões marinhos e inúmeras focas… O passeio foi sensacional!!!

 

 

 

 

valdez05

Baleias nas águas da Península Valdez

______________________________________________________________________________
Texto: PHD Cabanas (Geraldo)

Patagônia 2009: Rumo a Puerto Madryn

Índice de posts da Viagem Patagônia 2009

mapa Chile 2009 Blog Final Madryn

Trajeto percorrido de 16 a 30 outubro de 2009

Saímos ontem pela manhã da cidade de Esquel com uma temperatura de zero graus centígrados.

Durante a manhã
o tempo estava
maravilhoso mas a
temperatura máxima não passou dos 4,5 graus… A viagem foi muito boa, mas nós tivemos que dar uma turbinada e tomamos chá com pisco para aguentar o forte frio!!! Foram quase 150ml de pisco diluídos em 3 xícaras de chá para mim, o Gera e o Marcão. Apesar do frio, as motos atravessaram valentemente a patagônia Argentina de lado a lado, foram 690 quilômetros de pura emoção!!!

Desde ontem de manhã o grupo está reduzido a três casais em três Harleys, pois os nossos amigos Zoom e a Lou tiveram que partir antecipadamente para Campinas por motivos particulares.

Estrada entre Esquel e Puert Madryn

A paisagem da Patagônia nesta regiao é muito árida, o que me fêz  lembrar os desertos do Arizona nos EUA. O Gera hoje foi testado, aprovado e promovido a  novo Road Captain do grupo, juntamente com o seu GPS. Almoçamos num restaurante muito simples no vilarejo de Las Plumas, fomos muito bem atendidos e a comida estava muito saborosa. Comemos bife a milanesa, com papa frita, ovo frito e salada de tomate com cebola.  Ao abastecermos as motos, ficamos pasmos: a gasolina com 97 octanas aqui no sul da Argentina custou R$1,45 !! Pode?

Agora estamos em Puerto Madryn, onde ficaremos até domingo cedo quando iremos para Bahia Blanca. Hoje iremos visitar a famosa península Valdez e  fazer um tour para vermos bagenas, pinguinos, gaviotas e outros cocitas mas. Al sur da patagônia es mui rico!!!

Puerto Madryn

Gostaria de ressaltar a valente presença de nossas companheiras, sempre presentes em qualquer situação, seja no frio ou no calor, na neve ou na chuva, nas estradas boas ou nas péssimas!!! Mas nunca abandonaram seus postos,  lá estavam sempre nos apoiando…grandes mulheres!!!

A saudade dos amigos que não puderam nos acompanhar desta vez, começou a apertar… Gostaria de dedicar um grande abraço a todos e dizer que a experiência que estamos vivendo é fantástica e gostaria que todos estivessem aqui compartilhando conosco estas emoções.

Abraços a todos!

______________________________________________________________________________
Texto: PHD Betão

 

 

Patagônia 2009: Esquel e Parque Los Alerces

Índice de posts da Viagem Patagônia 2009

Vista parcial da cidade de Esquel

Após descarregarmos as bagagens das motos no Hotel, fomos conhecer o Parque Los Alerces que fica próximo, e como o tempo estava instável não pudemos nos aventurar pelas belas atrações mais distantes do parque. Nos divertimos muito e demos muita risada!!!

O parque tem charmosas lojinhas de compotas e doces onde as meninas aproveitaram, teve gente que até passou para o lado de vendedora e foi mexendo em tudo, até achar o que queria!!! Em seguida fomos a uma típica casa de chá que servia doces maravilhosos!!!.

Los Alerces

Entrada do Parque Los Alerces

Hoje, acredito que pegaremos tempo bom para Puerto Madryn, serão cerca de 700 quilômetros de estrada que esperamos esteja em melhores condições que a de Bariloche para Esquel. De qualquer forma, eu e a Lou planejamos voltar direto para Campinas, pois compromissos profissionais me aguardam no início da semana que vem. O grupo continuará viagem normalmente nas motocicletas, sem a Land Rover de apoio.

Casa de Chá em Esquel

Espero que todos estejam aproveitando os posts e fotos que estou fazendo!!! Espero também que os demais colegas continuem as postagens no blog na minha ausência. Pena ter dado o tempo para mim, pois estava me divertindo muito, mas a Internet que dependo para trabalhar, tem sido de péssima qualidade!!! Hoje estou ao lado da recepção do Hotel, são 5:00 hs da manhã, o sinal está ruim…e é isso todo dia!!! Brigas nos hotéis para ter uma qualidade melhor de recepção na rede sem fio no meu Notebook.

Abraço a todos!!

______________________________________________________________________________

Texto: Zoom

Patagônia 2009: Chegando em Bariloche de Harley

Índice para os posts da Viagem Patagônia 2009

Trajeto percorrido de 16/10 a 26/10/2009

Gosto dos amigos que compartilham comigo o entusiasmo por motocicletas Harley-Davidson!!! Estar com alguns deles por aqui, enfrentando estes desafios, me faz um bem danado!!! Estamos sempre juntos e a alegria é total.

Cruzamos em Puerto Varas com um casal de Sampa, numa Suzuki Vstron. Eles estavam fazendo o mesmo trajeto, mas no sentido inverso e estavam sozinhos. Nós os convidamos para jantar, mas eles preferiram ficar sozinhos!!! Se fossem Harleyros, primeiramente não estariam sozinhos e com certeza aceitariam nosso convite para o jantar e, quem sabe, dariam meia volta e nos acompanhavam no resto do nosso trajeto…..rsrssrsrs

cerveja patagonia

Deliciosa cerveja Patagônia

A amizade e o espírito de união está acima de tudo!!! Somente quem anda e gosta de Harley sabe o que é isso… Pena o Zé Maria e a Imaculada nao estarem por aqui com a gente, mas são lembrados sempre…

Lembramos também do Hélio sempre que conseguimos achar um lugar com a deliciosa Patagônia, uma cerveja muito suave e saborosa que ele gostou muito na viagem do ano passado por estas bandas.

 

 

 

Andes perto do passo Cardenal Samoré

Hoje pela manhã partimos para uma nova travessia da Cordilheira dos Andes, atravessando o paso Cardenal Samoré. A cordilheira, nesta região, é bem mais estreita e mais verde do que no Paso de Jama, por onde entramos no Chile dias atrás. A altitute também foi bem menor, o que tornou o trajeto bem mais curto e rápido do que a travessia de Mendoza para Santiago.

carabineiros perto de bariloche

Policia Caminera inspecionando as motos

Na alfândega, que é operada conjuntamente pelo Chile e Argentina, foi a primeira vez na viagem que invocaram com as motocicletas!!! Ficaram retidas na fronteira, enquanto a Land Rover passou sorrindo e dando tchauzinho….Na chegada a Bariloche, foram parados novamente pela Polícia Caminera argentina e lá foi a Land Rover embora sem problemas…. Cada um tem o seu dia de caça e dia de caçador…rsrsrsrs

Andes chegando a Bariloche

Ficaremos três dias em Barilhoche, na minha opinião o ideal seriam dois dias…. Vamos aproveitar o tempo para comer e beber os ótimos vinhos argentinos, e vamos fazer um pouco de bagunça por aqui também!!! Nada de anormal, mas espero que ninguém do grupo seja preso pelos Camineros!!! Afinal, só tem anjo por aqui, né?

______________________________________________________________________________
Texto: Zoom

 

Patagônia 2009: Homenagem às nossas Rainhas

Índice para os posts da Viagem Patagônia 2009

Muito frio e chuva… o clima tem castigado os nossos amigos que estão de motocicleta!! A temperatura tem ficado em torno dos 10 graus centígrados mas a sensação térmica fica em torno dos 4 graus. Andando, com o vento nas motocicletas, gela até os pensamentos!!!

Os Andes entre Osorno e Bariloche

As mulheres estão de parabéns, se comportaram até aqui como verdadeiras guerreiras!!! Sentam atrás das motocicletas, e somente saem quando paramos para abastecer. E mesmo assim, sorrindo e no maior astral….Pode??

A alegria das nossas guerreiras não é ofuscada nem pela chuva, nem pelo frio, nem pelo trânsito, nem por todas as adversidades que temos passado!!!

todos em Osorno2

Galera em Osorno

Elas complementam a diversão comprando todo tipo de tralha como agasalhos, luvas, pescoçeiras, tudo que ajude a aguentar o frio e a chuva. Mesmo tendo lugar vago na Land Rover, elas não largam seus companheiros na chuva e frio…elas sentam na garupa no maior alto-astral e ficam rindo adoidado, nem ligando para os desafios do clima.

Hoje, ao cruzarmos a Cordilheira, eu e a Lu nos desviamos do caminho planejado, enquanto o grupo nas motocicletas continuou o trajeto rumo a Bariloche.

allianca02

Estrada de rípio para Antillanca

Resolvemos revisitar sozinhos de Land Rover, um local maravilhoso  que há 21 anos atrás serviu de palco para firmar o nosso  relacionamento…Estávamos aguardando este momento durante toda a viagem, especialmente para reviver esta história no refúgio Antillanca, uma estação de esqui ao lado da fronteira Chile/Argentina, a alguns quilômetros de Osorno. Antillanca continua sendo um lugar maravilhoso e romântico ao extremo. Só por isso já valeu esta viagem!!!. Foi um remember total !!!

Pena os casais Betao/Marli, Geraldo/Solange e Folegatti/Gláucia não terem tido a oportunidade de conhecer Antillanca, nos separamos deles para dar uma esticada até a estação, pois o acesso era difícil para as motos. A estrada era de rípio (terra vulcânica) e as HDs nao teriam conseguido subir a serra. Recomendo este lugar para quem está de mal com a companheira !!!

______________________________________________________________________________
Texto: Zoom