Filmes

A marcha dos Motociclistas

Cruzando de moto a Cordilheira dos Andes - 2008

Cruzando de moto os Andes em 2008

Resolvi escrever este post para analisar os pontos em comum entre as marchas dos motociclistas e dos pingüins…

Isso mesmo, motociclistas e pinguins!!

O que tem a ver? Primeiramente, veja o filme “A marcha dos Pingüins”, em seguida leia os diversos posts deste blog e os links com relatos de  longas viagens de grupos de motociclistas.

A Motivação

Você verá que tem tudo a ver…principalmente se fizermos uma análise sobre a grande motivação dos dois grupos para as suas longas marchas: os pinguins em busca da perpetuação da espécie e os motociclistas em busca de aventura e  liberdade !!

Marcha dos Pinguins, o FilmeOs pingüins e  suas companheiras se arriscam em marchas de mais de 100 km no gelo, em baixíssimas temperaturas durante o inverno na Antártica.

O objetivo é sempre irem num mesmo local que é ideal para o acasalamento e conseqüentemente garantirem a perpetuação da espécie. Tanto durante a marcha, como no local escolhido, estão sempre em grupos e são fortemente solidários pois sabem que a sobrevivência de um depende do grupo. Eles se defendem formando um grande círculo, um do lado do outro, para se protegerem do forte frio e dos predadores.

A importância dos Amigos de Aventura

Como os pingüins, os motociclistas sabem muito bem a importância de estar acompanhado de amigos em uma longa viagem pelas estradas. Sabem que os amigos ajudam nos momentos difíceis e de perigo.

Comungam da mesma motivação e objetivos! São movidos por um forte desejo de superação, onde os obstáculos vencidos fortalecem a alma e a amizade entre os integrantes do grupo. Toda grande viagem de motocicleta tem um grande objetivo estabelecido e, atingí-lo, passa a ser uma meta almejada pelo grupo de forma tão forte, quanto a marcha dos pingüins em busca da perpetuação da espécie. O retorno destas grandes aventuras de moto, trás uma alegria imensa pelo objetivo alcançado…alegria de terem conseguido superar os seus limites que foram desafiados na aventura!!!

Como os pingüins, os motociclistas são capazes de voltar anualmente em grupos a determinado destino, eventualmente com alterações de percurso, sempre com o mesmo objetivo da aventura anterior…e ao retornarem íntegros da aventura, são capazes de sentir novamente os mesmos sentimentos de alegria e superação!!

Queridas Garupas

Outra comparação com os pingüins é com relação às queridas garupas…as valentes esposas que compartilham os mesmos sentimentos e objetivos acima!! Como os pingüins, nestas longas viagens, o companherismo entre o casal é fundamental para a superação dos desafios…chuva, vento, frio, calor, altitude, estradas ruins tem que ser superados em cima da motocicleta. Um sempre ajudando o outro, tendo em mente o objetivo final da aventura que no caso dos pingüins é o acasalamento para a perpetuação da espécie…. No caso dos casais  motociclistas a única diferença é que não há tanta preocupação com a perpetuação da espécie nos acasalamentos durante a viagem…rsrsrs
_________________________________________________________________________
Texto: José Maria e Imaculada


Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas

Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas

Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas

O filme “Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas” (título original Big Fish) do Tim Burton é calcado no sentimento que um peixe grande não pode ser posto dentro de um pequeno aquário. Ele precisa de espaço para a sua mobilidade e ser livre para sair e explorar o mundo. Quando enclausurado em um aquário pequeno o peixe permanece pequeno, mas quando não existem barreiras ele cresce, se torna um Peixe Grande.

O centro do filme é Edward Bloom, que como o peixe, desde a sua juventude necessita de espaço e mobilidade para conhecer as coisas e sair pelo mundo. O filme é contato em flashbacks do próprio Edward Bloom, já idoso e doente, que tem o dom de cativar as pessoas com suas histórias fantásticas e surrealistas, que mais parecem terem sido retiradas de um livro infantil. De tão surreais, as histórias não são levadas muito a sério por ninguém, mas conquistam a simpatia e a admiração de todos por onde ele passa.

A mensagem principal do filme é que estamos sempre cercados de coisas maravilhosas e depende apenas de nós mesmos enxergá-las e transformá-las realmente em coisas que façam a diferença em nossas vidas. Como o nosso cotidiano é muitas vezes monótono e sem graça temos muita dificuldade em encontrar a magia que está ao redor de nossa existência.

A realidade das nossas vidas é encarnada pelo filho de Edward. Will é uma pessoa normal, e portanto, um sujeito objetivo, pragmático e previsível com uma imensa dificuldade de aceitar e interagir com um pai contador de histórias. Entretanto, com a doença do pai e a forçada necessidade de aproximação, Will tem a chance de descobrir toda a magia que cercam as histórias fabulosas e, no ponto culminante do filme, entrar dentro dessas histórias para entender melhor o grandioso pai que tem!

______________________________________________________________________________
Texto: Imaculada


Motoqueiros Selvagens (Wild Hogs)

Motoqueiros Selvagens (Wild Hogs)

Motoqueiros Selvagens (Wild Hogs)

Mais um filme que aborda de forma cômica as aventuras de quatro motociclistas cinquentões, cada um com o seu stress/conflito pessoal e que utilizam a motocicleta para relaxarem…

Woody Stevens (John Travolta) é um executivo rico e carismático,  casado com uma modelo famosa. Woody parece ser um grande vencedor, mas sofre com seus problemas pessoais.

Doug Madsen (Tim Allen) é um dentista com dificuldade de aceitação pelo filho pré-adolescente e com um complexo de inferioridade tão grande que sempre se apresenta como médico.

Bobby Davis (Martin Lawrence) é um encanador limpador de fossas desempregado que odiava o seu trabalho e é dominado pela esposa, Karen (Tichina Arnold). Bobby  decidiu ficar sem trabalhar por um ano para tentar, sem sucesso, tornar-se um escritor.  Enquanto isso sua vida é infernizada pelos filhos e pela sogra.

Dudley Frank (William H. Macy) é um um gênio da informática solteirão, tímido com as mulheres e meio atrapalhado e que tem o incrível dom de se meter em enrascadas.

Os quatro levam suas vidas normais durante a semana e nos fins de semana vestem suas jaquetas de couro e se reúnem para andar de moto. Cansados desta rotina de fins de semana, eles decidem agitar suas vidas e planejam uma viagem radical de moto, cruzando os EUA de ponta-a-ponta com destino às praias quentes da Califórnia.

Eles conseguem tirar uma folga de seus trabalhos e se preparam para a viagem das suas vidas. A viagem é cheia de desafios e situações cômicas, quando o convívio diário faz ressaltar as diferenças de personalidade dos integrantes do grupo.  Como o grupo é iniciante neste tipo de aventura, se metem em todo tipo de enrascada, até que enfrentam uma gangue de motoqueiros chamada Del Fuegos, liderada por Jack (Ray Liotta).

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria


A Marcha dos Pinguins

marchadospinguinsGosto de escrever sobre filmes para pessoas que já viram o filme! Portanto, esta resenha, se podemos chamar assim, é para aqueles que já assistiram a este maravilhoso filme.

O filme mostra de forma dramatizada, mas expontânea do ponto de vista dos Pinguins, a brava jornada anual dos Pinguins na busca da perpetuação da espécie, abordando  aspectos tais como:  missão, definição de objetivos e metas, espírito de equipe, persistência,  solidariedade, visão compartilhada e  convivência com ameaças e riscos.

O filme do biólogo e documentarista francês Luc Jacquet, dramatiza as atividades dos Pinguins Imperadores em seu ciclo reprodutor durante o inverno da Antártica e acompanha a marcha destas aves nos períodos que antecedem e suscedem o inverno.

O documentário mostra, do ponto de vista de um casal de Pinguins (e posteriormente também de seu filhote), a luta pela sobrevivência da espécie, a união do grupo, os sacrifícios de acasalar e reproduzir em temperaturas tão baixas, a falta de comida e alternativas para contornar a fome e os perigos que levam alguns à morte.

Uma vez acasalados, após uma longa marcha no gelo de mais de 100 quilômetros, os machos tomam conta dos ovos enquanto as fêmeas partem numa longa marcha em busca de alimento para os futuros filhotes.  Os ovos, e futuramente os filhotes,  necessitam de enormes cuidados e proteção do frio intenso e dos predadores.  Mostrando uma enorme noção de equipe, os Pinguins se aglutinam em uma enorme roda de pingüins que se revezam, um esquentando o outro, protegendo os ovos e os filhotes do frio intenso de cerca de 40 graus negativos.

O filme  foi recorde de bilheteria na França,  foi  o segundo documentário mais visto nos Estados Unidos e  também ganhou o Oscar de melhor documentário em 2006.  O maior mérito do filme em relação a outros documentários sobre o mesmo tema, é a abordagem da saga dos Pinguins para a perpetuação da espécie.  Normalmente os documentários sobre a vida animal ficam no binômio simplista presa-predador.

Analisando mais profundamente o filme, fica para nós seres humanos “inteligentes”, profundas  lições de missão, objetivos, vida em equipe, valores,  abnegação, persistência e sacrifícios para o bem da coletividade, tudo isso vindo de simples animais tidos como irracionais, os Pinguins Imperadores do polo sul.

_________________________________________________________________________________________
Texto: José Maria

Easyrider (Sem Destino, o filme)

easyrider(1969) Procurar duas pontas de caminhos tão diferentes e tão iguais ao mesmo tempo, discutir ideologia a partir da contra-ideologia, ou o que é pior, discutir ideologia onde ela mora enfaticamente: na cultura americana ou o seu american live. Easy Rider é um filme de motoqueiros para motoqueiros.

Uma das pontas desta belíssima película é desvendar este mundo no que ele tem de fantástico: o visual, a ausência de destino e principalmente, captar o espírito da viagem em si, da saída de casa e sua simbologia (o relógio caído) do atravessar o deserto escaldante e perpassar uma américa dividida entre o o rural e o progresso urbano. A sedução de uma highway, no meio de um imenso deserto de sois e planaltos que se avolumam densamente, como psicodélicas imagens retratadas a pincel e esponja; o delírio de andar, sempre e sempre em caminhos, desvios e desvãos que misturam a realidade com o movimento.

Montados em suas motos, ambas de estilos diferentes: chopper com guidão alto, bem tradicional e esportiva no sentido harley; e outra guidão t-bar, quase uma dragster dos anos 70, quicando no asfalto bruto enfileirado na areia e visões amarelas da estrada.

Uma lenda se constrói a partir de sensações e devaneios, onde a presença milagrosa da imagem, do vento, do barulho do motor aberto de dois cilindros em V podem proporcionar; esta lenda passa a ser mito na medida em que é modelo, símbolo e passa a mediar o desejo incontrolável de imitar, sentir o que se sente quando se pega uma estrada com uma motocicleta…

_____________________________________________________________________________
Link para o artigo completo:
http://teoliterias.blogspot.com/2007/05/easy-rider-sem-destino-filme.html