Monthly Archives: Outubro 2008

Entrando em Buenos Aires de Harley Davidson

Pergamino/Buenos Aires 231 Km

Saímos de Pergamino as 7:00hs da manha. O piso da Ruta 8 neste trecho era melhor o que possibilitou desenvolvermos maior velocidade na estrada. Neste trecho o Zé Maria transferiu a condução do grupo na estrada para o Geraldo.

Na entrada de Buenos Aires, tivemos a oportunidade de conviver com dois extremos inesperados de comportamento de motoristas argentinos. Decidimos ir para a loja Harley Davison antes de ir para o Hotel, visto que era bastante cedo para o check-in. Quando paramos brevemente na lateral de uma autopista interna a Buenos Aires, parou um Ford Ka e um argentino saiu do carro perguntando se precisávamos de ajuda. Ao saber nosso destino se ofereceu para nos escoltar até o início da Avenida El Libertador onde a Loja da Harley ficava uns 8 quilômetros à frente.

Na Avenida El Libertador, mal acenamos e buzinamos agradecendo a ajuda do motorista do Ford Ka e passou uma Harley Davidson Elektra por nós, sem fazer nenhum sinal ou cumprimento. Quando chegamos na loja HD, lá estava a Elektra estacionada. Estacionamos as nossas motos e o Geraldo notou que era um modelo diferente da Elektra brasileira (sem Tour Pack) e comentou conosco mostrando alguns detalhes diferentes na moto (apenas apontando de perto). O Argentino saiu da loja visivelmente irritado dizendo que estávamos mexendo na moto dele…dizia que ele não mexia nas nossas motos e que portanto devíamos ficar longe da dele! Ignoramos a presença do argentino e fomos comprar camisetas e acessórios na loja!

Deixamos as motos estacionadas na Loja HD e almoçamos no excelente restaurante La Campiña do outro lado da rua. Após o almoço rumamos para Porto Madero onde ficava o Hotel Holliday Inn. Chegando no hotel, descarregamos as motos e fizemos reservas para o Show “Madero Tango” logo mais a noite. Além do musical, o Show incluiu um requintado jantar num ambiente muito especial com belíssima vista para Porto Madero (US$68,00 por pessoa). Retornamos á meia noite para o Hotel satisfeitos por ter tido a oportunidade de ir em um Show de Tango de excelente qualidade.

No dia 01 de novembro, contratamos um Van para um City Tour aos principais pontos turísticos de Buenos Aires. Compramos os tickets para o Buquebus (balsa da travessia do Rio da Prata para o Uruguai) para viajar no dia seguinte. Em seguida o grupo se dispersou para o almoço. O programa noturno foi o bonito Cassino de Porto Madero que fica em um barco. O Geraldo estava com sorte e ganhou cerca de 1000 pesos (US$400).

dsc10551peq

Casa Rosada

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

Cruzando a Argentina de moto rumo a Buenos Aires

San Luis/Pergamino 605 Km

Saímos as 7:30hs do hotel Quintana e rumamos via Ruta 8 para Pergamino. Escolhemos a Ruta 8, um pouco mais longa que a Ruta 7, para evitarmos o trafego pesado de caminhões. O volume de trafego estava OK, mas foi o pior piso de estrada que pegamos na viagem.

Durante toda a viagem e também neste trecho foi possível constatar fatos que os colegas do Brasil tem nos perguntado bastante: Como é a convivência de motos com outros veículos nas estradas da Argentina? Com certeza os caminhoneiros argentinos gostam ou admiram mais Harleys que seus companheiros brasileiros. Durante toda a nossa viagem, tivemos uma forte cooperação dos caminhoneiros. Seja nos avisando sobre ultrapassagem segura, seja buzinando e acenando para nos saudar!

Outra pergunta freqüente tem sido sobre o comportamento da policia nos paises visitados: passamos por inúmeras barreiras e postos policiais e não fomos incomodados… Acenavam e mandavam as motos passar, tínhamos a impressão que em alguns casos queriam ate facilitar o nosso caminho!

Chegamos em Pergamino no meio da tarde, abastecemos as motos e rumamos para o Hotel. Como era uma parada técnica e a cidade não apresentava grandes interesses o grupo se dispersou para o jantar.

Subindo a Cordilheira dos Andes rumo a Argentina

Santiago/San Luis 619 Km

Planejamos sair mais cedo visto que o trecho incluía a subida da cordilheira, parada na aduana, parada para fotos, etc. Entretanto acabamos conseguindo sair somente às 7:30hs. Compensamos o atraso com uma saída rápida da cidade de Santiago, pois o Hotel estava a 3 quadras da Ruta 5 que nos levava direto para fora da cidade rumo aos Andes.

O céu estava límpido com um azul luminoso que fazia as Harleys brilharem ainda mais na estrada. A temperatura estava agradável, mas saímos bem agasalhados, pois não sabíamos como estava o tempo no topo da Cordilheira. Como esperado a temperatura caiu no topo da Cordilheira, mas o céu continuou azul com um sol que amenizava a temperatura.

Cruzamos a fronteira Chile/Agentina sem problemas nem atrasos. Paramos na Puente del Inca, uma ponte natural de pedra feita pela natureza através da deposição de sedimentos do rio Las Cuevas. Embaixo da ponte natural tem as ruínas de um antigo SPA da década de 40, que foi destruído por uma enchente. Como a Puente del Inca é um local bastante conhecido, haviam inúmeros carros e ônibus com turistas no local.

Mais uma vez pudemos constatar como as nossas Harleys chamavam a atenção. Fomos literalmente cercados por adolescentes que estavam em um ônibus, primeiramente interessados nas Harleys e em seguida o interesse aumentou ao perceberem que o idioma que nos comunicávamos era o Português! Dispararam inúmeras perguntas até que chegou uma argentina falando um português sem sotaque, que explicou que era uma excursão de estudantes de Santa Fé na Argentina. Acrescentou que ela era professora de língua Portuguesa daquela garotada e que eles iriam fazer um trabalho após o retorno da viagem…

DSC00378peq

Puente Del Inca

Nos despedimos após inúmeras fotos dos adolescentes nas motos e continuamos a viagem com a certeza que as nossas Harleys iriam inspirá-los no trabalho escolar onde iriam narrar como eles encontraram 12 brasileiros vestidos em trajes negros de couro em seis motos enormes no meio da Cordilheira dos Andes!

Paramos para abastecer as motos e almoçar em Uspallata, uma cidadezinha no meio dos picos nevados da Cordilheira dos Andes. Tiramos um pouco de agasalho, visto que a temperatura estava aumentando gradualmente a medida que a cordilheira terminava. Em pouco tempo estávamos nas conhecidas estradas planas e retilíneas das planícies argentinas!

Cruzamos Mendoza rapidamente a 120 km/h e rumamos para San Luis onde chegamos às 19:00hs com o céu ainda claro. Como a cidade de San Luis era apenas uma parada técnica, jantamos no Hotel e fomos descansar mais cedo.

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

O encontro com as águas do Pacífico em Viña del Mar

Viña Del Mar/Santiago 135 Km

Saímos do Hotel para abastecer as motos as 7:30hs. Dentro de Viña Del Mar em uma curva fechada o Geraldo praticamente parado tombou a moto com a Solange na garupa. Após o susto, visto que nada havia acontecido ao casal e com a moto, partimos para Santiago.

Hotel em Vina del Mar - Nov 2008

Hotel em Vina del Mar – Nov 2008

O tempo estava frio e com neblina, o que nos obrigou a colocar capa de chuva. No meio do caminho a moto do Geraldo quebrou a vareta de engate das marchas, ele amarrou com fio de cobre e continuamos a viagem.

Chegamos em Santiago no final da manha e fomos para o hotel Panamericano que fica bem no centro perto das atrações turísticas. Descarregamos as motos e fomos almoçar no excelente Mercado Público de Santiago.

Mercado Público de Santiago - Nov 2008

Mercado Público de Santiago – Nov 2008

Na parte da tarde o grupo se separou após uma fracassada ida até a loja da Harley Davidson (segunda feira era o dia da loja ficar fechada!), incluindo dores de cabeça com motoristas de táxi desonestos (tomem cuidado com táxi em Santiago!).

O programa noturno foi variado: o Betão/Marli e Geraldo/Solange foram em um Jantar com show típico e os demais ficaram no hotel descansando tomando vinho e comendo queijos, frios e contando casos e piadas.

No dia 28 contratamos uma Van para um City Tour na cidade, incluindo uma visita na Loja da Harley-Davidson. Na loja compramos camisetas e alguns acessórios, incluindo a vareta de engate das marchas para a moto do Geraldo.

Após a saída da Loja HD finalizamos o City Tour com uma visita a um bairro elegante de Santiago, localizado em uma colina que tem uma bela vista para a cidade e para a Cordilheira dos Andes. Em seguida o grupo se separou, parte indo passear de teleférico e parte foi ao excelente Museu de Arte Pré-Colombina do Chile. No jantar o grupo se dispersou, alguns jantaram no Hotel outros no calçadão próximo ao hotel.

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

Cruzando os Andes em motos Harley Davidson

Mendoza/Viña Del Mar 411 Km

Após um excelente café da manha no Hotel Ibis, abastecemos as motos e checamos o óleo (a moto do Zé Maria teve o nível do óleo completado). Saímos de Mendoza às 7:30hs com o tempo encoberto e temperatura em torno dos 10 graus centígrados. Saímos bem agasalhados, mais para enfrentar a Cordilheira dos Andes do que a temperatura matinal de Mendoza.

Cruzamos a Cordilheira parando várias vezes para fotos e filmagens, rodamos cerca de 150 km rodeados por montanhas com os cumes e paredes cobertas de neve!! A paisagem era fantástica…Após o túnel, logo na fronteira do Chiile (Aduana),o Marcão resolveu plagiar o Papa João Paulo II que beijava o solo logo quando entrava em um novo país: ele tombou a Elektra parada (com a Beth na garupa) em frente aos guardas do posto aduaneiro e beijou o chão!

Cruzando de moto a Cordilheira dos Andes - Nov 2008

Cruzando de moto a Cordilheira dos Andes – Nov 2008

Mais a frente paramos em Portillo, uma estação de esqui às margens da rodovia, onde tem um charmoso lago em frente a um Hotel com o mesmo nome. Em seguida, descemos os caracoles (estrada com inúmeras curvas na descida dos Andes no lado Chileno) e rumamos para Viña del Mar, uma elegante cidade praiana do Chile.

Zé Maria e Imacula no Lago de Portillo

Zé Maria e Imaculada no Lago Portillo

Em Viña del Mar descarregamos as motos e fomos passear pela orla da cidade visto que o Hotel San Martin ficava muito bem localizado perto de pontos de interesse (restaurantes, Cassino, etc.). Jantamos no próprio Hotel, uma vez que todos os restaurantes estavam fechados devido a lei eleitoral chilena que manda fechar estabelecimento no dia de eleição (era dia de eleição de prefeitos no Chile).

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria

Rumo a Mendoza de Harley Davidson

Mina Clavero/Mendoza 470 Km

Saímos às 7:30hs debaixo de um forte frio (menos de 5 graus) para atravessar o trecho mais inóspito da nossa viagem. Foram cerca de 260 km sem parar por falta de lugar para parada…quando encontramos um posto de gasolina já estávamos em San Luis.

Estranhamente, nenhuma das motos estava com a luz de reserva acesa! Deduzimos que a excelente gasolina da Argentina, aliada ao fato de termos viajado em terreno plano com velocidade constante de cerca de 120 km/h fez com que o nosso consumo fosse baixo.

Almoçamos sanduíches no posto de gasolina e rumamos para o trecho final com destino a Mendoza. Ao cruzarmos os estados de San Luis para Mendoza, o Marcão se enganou e passou pelo local destinado a desinfecção de caminhões, para eliminar pragas agrícolas, resultado: tomou um esguicho de um líquido não identificado…

Paramos mais uma vez em um posto onde havia um ônibus com um monte de velhinhas de Buenos Aires em excursão, para variar chamamos muito a atenção em nossas Harleys. O Helio fez o maior sucesso com as velhinhas e apesar da Cris estar nas redondezas ele deixou muitas velhinhas apaixonadas…

Chegamos em Mendoza no meio da tarde e fomos para o Hotel Ibis. O Jeferson ligou para o PHD Enrique de Mendoza, que recomendou um mecânico para olhar a sua Harley. A moto estava com nível baixo de óleo e com aspecto escurecido. O mecânico trocou o óleo e diagnosticou que estava tudo bem com a moto. À noite fomos jantar no centro da cidade, alguns rumaram para o Cassino local e outros foram dormir.

No dia 25 fizemos um City Tour de Van em uma Vinícola que tinha em anexo um excelente Museu do Vinho. Fomos a um Museu Histórico de Mendoza, ao Cerro de La Glória e fomos almoçar em um restaurante típico. À noite fomos jantar no centro e alguns foram ao cassino.

Cerro de la Glória / Mendoza / Argentina - Nov 2008

Cerro de la Glória / Mendoza / Argentina – Nov 2008

Cruzando as Altas Cumbles de Harley Davidson

Santa Fé/Mina Clavero 509 Km

Saímos às 7:30hs rumo a Mina Clavero com tempo bom mas com temperatura abaixo de 5 graus e ao meio dia o calor era muito forte exigindo que grande parte das roupas fossem tiradas. O Zé Maria foi conduzindo o grupo neste trecho da viagem.

Fomos até Córdoba em uma estrada plana e reta, onde a monotonia era quebrada ao atravessarmos os pequenos lugarejos. Almoçamos na Villa Carlos Paes, uma pequena cidade turística na beira de um lago perto de Córdoba.

Após o almoço rumamos para Mina Clavero atravessando as “Altas Cumbles”, uma cadeia de montanhas que corta o chaco deixando a paisagem bastante diferente. Neste trecho subimos a cadeia de montanhas que tinha uma paisagem com aspecto “lunar” e um solo bastante pedregoso e com curvas maravilhosas, principalmente para nós que estávamos cansados de andar nos dias anteriores pelo chaco e suas estradas planas e retilíneas. Paramos algumas vezes para tirar fotos.

Chegamos em Mina Clavero no final da tarde. Embora a cidade fosse pequena (um pouco menor que Monte Alegre do Sul/SP), ficamos um bom tempo procurando o Hotel, foi o bastante para marcarmos nossa presença na cidade nas Harleys enormes montadas por forasteiros com roupa de couro preta. Após o City Tour forçado, chegamos no Hotel, descarregamos as motos e fomos almoçar em um simpático restaurante familiar (Pai, mãe e filhas dividem a cozinha e o atendimento) nas margens do rio que corta a cidade.

Mina Clavero / Argentina - Nov 2008

Mina Clavero / Argentina – Nov 2008

Rumo a Santa Fé de moto Harley Davidson

Corrientes/Santa Fé 564 Km

Saímos na hora de costume desfilando as Harleys pela avenida Costaneira. A certa altura, o Carlos nos fez uma surpresa se juntando ao comboio e nos conduzindo com sua moto até a saída da cidade.

Rumamos para Santa Fé debaixo de um sol escaldante e um forte calor. A viagem pelo chaco argentino é uma coisa indescritível, a estrada é muito boa, muito reta, dando para desenvolvermos bem, principalmente com as motos abastecidas com a excelente gasolina Argentina.

Quando estávamos a 100 km de Santa Fé, um motorista nos avisou que estava chovendo granizo próximo de Santa Fé. Andamos mais um pouco e quando decidimos colocar as capas de chuva o céu desabou com uma chuva fortíssima.Reduzimos a velocidade e a mantivemos constante, chegando em segurança em Santa Fé.

Ficamos o dia 22 em Santa Fé, o que possibilitou que descansássemos e enviássemos a roupa para lavar no Hotel. Almoçamos uma excelente carne argentina (chorizo) e fizemos um city tour de moto pela cidade.

Ao lavarmos as motos no Hotel, percebemos que a plataforma da moto do Zé Maria estava bamba e encontramos um misterioso parafuso debaixo da moto do Helio. O Betao apertou a plataforma da moto do Zé Maria e o mistério do parafuso da moto do Hélio continuou pois ninguém sabia de onde ele era….Quando o Geraldo chegou do Cassino ele imediatamente localizou de onde era o parafuso: era do suporte do escape! O Helio ficou muito agradecido e novamente o Geraldo teve mais uma lavagem da sua moto na “faixa”.

Nosso primeiro contato com as estradas argentinas

Puerto Iguazú/Corrientes 615 km

Saímos pontualmente às 7:30 horas já no horário de verão (Argentina também adotou no dia 19/10!). O calor estava insuportável, para isso o remédio foi acelerar mais e ficar com pouca roupa. Almoçamos em Ituzaingo, uma pequena cidade turística nas margens do rio Paraná.

Chegamos em Corrientes no meio da tarde e saímos para um City Tour de moto, parando na avenida Costaneira que margeia o Rio Paraná para comermos e bebemorarmos com muito chopp. Tivemos a companhia de um Argentino (Carlos) dono de uma moto Honda que ficou com a gente tomando chopp.

Notamos como as motos Harleys chamam muita atenção na Argentina, em todo lugar querem tirar fotos da gente! Foi assim que o Carlos se aproximou do nosso grupo para tirar fotos das nossas Harleys.

Entrando de moto Harley na Argentina rumo ao Chile

Guarapuava/Porto Iguazú 405 Km

Saímos as 7:30 hs da manha, com um forte frio e céu nublado mas sem chuva. Por precaução, colocamos capas de chuva que tiveram que ser tiradas no meio do dia, visto que o céu se abriu com um sol maravilhoso. Chegamos em Puerto Iguazu no inicio da tarde e fomos ao Freeshop fazer compras. Em seguida fomos comer Parrilla no centro da cidade.

A moto do Marcão estava com problemas na injeção com dificuldades para dar partida. Contatamos o PHD Bam-Bam que nos indicou um mecânico para ver a moto no dia seguinte. Entretanto, o Geraldo às 23 hs do domingo, colocou um rele novo na moto e o problema foi resolvido. O Marcão em agradecimento lavou a moto do Geraldo, visto que todas estavam imundas devido à chuva dos dias anteriores.

______________________________________________________________________________
Texto: José Maria